mercado livre de energia
Por: Tiago Reis

Mercado livre de energia: entenda como funciona esse mercado

A energia elétrica, de forma geral, é responsável por constituir um dos principais custos de produção e manutenção em qualquer empresa. Entretanto, algumas empresas que necessitam de energia de uma forma mais intensiva em suas atividades (como indústrias, por exemplo) utilizam de uma forma específica de contratação de energia: o mercado livre de energia,.

O mercado livre de energia é uma das estratégias que diversas empresas e indústrias adotam para otimizar seus custos e, assim, aumentar a sua margem de lucro. Além disso, a medida garante que um negócio tenha uma vantagem competitiva. Isso porque os custos com energia elétrica podem afetar expressivamente as contas de um negócio.

O que é o mercado livre de energia?

Criado em 1995, o mercado livre de energia foi uma forma encontrada pelo governo para impulsionar uma maior competição no setor de geração de energia e industrial. Neste mercado, o consumidor pode escolher de quem vai comprar energia, definir quanto vai pagar e a duração do contrato. Este mercado é voltado para consumidores de médio e grande porte.

Planilha Vida Financeira

As empresas que fornecem energia precisam produzir energia de fontes limpas. Isto é, energia geotérmica, eólica, biogás, de pequenas hidrelétricas e solar. As comercializadoras de energia precisam ser autorizadas pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) para fornecerem energia.

Além disso, a CCEE é quem regula as empresas fornecedoras de energia e viabiliza a venda de energia elétrica. O setor tem uma limitação na quantidade de energia produzida, são de no máximo 30 MW de potência.

Além disso, quem compra energia através do mercado livre pode usar de incentivos do governo para diminuir o custo. Conhecida como uma medida para incentivar outras fontes produtoras, há descontos para compradores na tarifa de uso do sistema de distribuição.

Como funciona o mercado livre de energia?

Há dois tipos de consumidores no mercado livre de energia: os tradicionais e os especiais. Como as comercializadoras estão voltadas para consumidores de médio e grande porte, há quantidade mínima de energia que pode ser fornecida.

Os consumidores especiais são aqueles que consomem 500 kW, no mínimo, por mês. Isso representa, cerca de, 60 mil reais mensais. Além disso, há os consumidores tradicionais que consomem pelo menos 3 mil kW, ou seja, desembolsam no mínimo 300 mil reais por fatura.

Vantagens de ser consumidor livre de energia

Uma das vantagens para quem compra energia deste mercado, é a garantia de não alteração dos preços. São feitos contratos que garantem ao comprador uma quantidade de energia a um preço.

O preço no mercado livre de energia é negociado entre fornecedor e comprador. O valor fica estipulado em contratos de prestação de serviços que costumam durar cinco anos. Durante este período, o valor do kW é mantido.

Logo, como o preço no mercado livre de energia é previamente acordado em um contrato, o negócio se torna vantajoso para algumas empresas e indústrias. Quando um negócio, por exemplo uma siderúrgica, sabe o valor que desembolsará com energia ela consegue planejar os custos de produção. Além disso, consegue manter o mesmo valor em despesas.

Por isso, quando a empresa não é um consumidor livre de energia, o seu proprietário paga energia conforme a utilização. Mas quando há mudanças de bandeira, ocasionando aumento nas tarifas, o custo com energia aumenta significativamente.

Contabilidade para Investidores

Dependendo do negócio, essa variação pode afetar no valor final de uma mercadoria ou serviço. Além disso, o negócio pode se tornar menos competitivo devido a variação constante dos custos de produção.

Muitos consumidores tem migrado para o mercado livre de energia como uma forma de estabilizar as despesas com energia elétrica, e também devido a economia que a medida fornece. A migração para este sistema costuma demorar cerca de seis meses, há empresas de consultoria que realizam o processo.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

207 artigos
Ações

FIIs

58 artigos
FIIs
accounting (1)

Minicurso Gratuito

Contabilidade Para investidores

Aprenda os principais conceitos sobre contabilidade que todo investidor precisa saber!

Group 285

NÃO VÁ EMBORA AINDA..

O portal que vai te ajudar a começar
a investir.

Todos os conteúdos gratuitos 
da Suno em um só lugar!