Deságio

Muitas vezes o consumidor de produtos financeiros acaba perdendo dinheiro por não conhecer alguns termos importantes do mercado, como deságio.

Contudo, termos como ágio e deságio são amplamente utilizados para indicar quais são as taxas e condições aplicadas à uma transação financeira ou investimento.

O significado de deságio remete à diferença entre o valor real e o nominal de um ativo em uma operação financeira. Portanto, trata-se do oposto do ágio, pois diz respeito à diferença entre a quantidade de recurso paga a menos do que o preço nominal.

Exemplos de ágio e deságio

Deságio

Para exemplificar melhor, imagine uma pessoa que adquire um produto e divide o pagamento em 12 prestações iguais. Fatalmente, a administradora do cartão de crédito irá cobrar juros por essa transação financeira.

Por fim, no momento da quitação das 12 parcelas, essa pessoa irá ter pago um valor superior ao valor de face do produto. Então, essa diferença entre o valor nominal e o valor pago ao final dos 12 meses pode ser chamada de ágio.

Nesse caso, a quantia adicional foi cobrada na forma de juros.

Já no caso oposto, imagine que essa mesma pessoa esteja arrependida de ter pago um ágio para o banco em forma de juros.

Então, ela resolve fazer um investimento comprando cotas de um fundo imobiliário em que, o valor atual, de mercado, esteja abaixo do valor nominal de emissão.

Nesse caso, salvo vários outros fatores, o investidor fará um bom investimento, visto que estará pagando um preço inferior ao nominal pelo ativo.

Portanto, temos uma situação em que o investidor está adquirindo um ativo com deságio.

Esse termo também pode ser utilizado para indicar a desvalorização de uma moeda ou título.

Ágio e deságio contabilidade

Deságio

Esse termo também é utilizado na parte contábil da aquisição de participações societárias em investimentos.

O custo da aquisição deverá ser desdobrado em subcotas distintas da conta que registrar o valor contábil do investimento da seguinte forma:

  • O valor do investimento sob forma de participação no patrimônio líquido da sociedade investida, apresentado em balanço patrimonial. Contudo, com prazo de 2 meses a partir da data de aquisição das cotas
  • O ágio e deságio iminente no momento da aquisição das cotas de investimento, representado pela diferença para mais ou para menos

Exemplo: Considere uma empresa “X” que tenha adquirido 10.000 ações de outra empresa “Y”.  Representados por 30% do capital social dessa empresa, pelo valor de R$ 100.000,00.

Contudo, a empresa “Y” apresentou no seu último balanço patrimonial o seguinte patrimônio líquido:

  • Capital social: R$ 160.000,00
  • Reservas: R$ 80.000,00
  • Soma: R$ 240.000,00

Nesse caso, o patrimônio líquido da empresa “Y” é de R$ 240.000,00. Ademais, a empresa “X” adquiriu 30% do capital da empresa.

Portanto, o valor contábil do investimento é de R$ 72.000,00, ou seja, 30% de R$ 240.000,00. A diferença, então, é dada como ágio pago na aquisição de parte da empresa.

Fazendo a contabilidade do investimento da empresa “X” no exemplo citado acima, temos o seguinte cenário:

  1. Participações societárias da empresa “Y”: R$ 72.000,00
  2. Ágio da aquisição de investimento pela empresa “Y”: R$ 28.000,00
  3. Caixa / ativo circulante: R$ 100.000,00

Nesse caso a empresa “X” estaria com um deságio de R$ 28.000,00 computado na ocasião do investimento. Enfim, esse deverá ser contabilizado com a indicação do fundamento econômico em que o determinou.

Compartilhe a sua opinião

Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.