Valor de Mercado

No estudo dos indicadores de mercado, é muito importante entender o conceito de Valor de Mercado. Mas o que seria isso?

Enquanto tentamos calcular o preço justo de uma ação através do Valuation, o Valor de Mercado (VM) é um número pronto, disponível publicamente. Sua fórmula?

Então, é simples.

VM = Número de ações emitidas X Cotação

Portanto, vamos explicar agora cada um desses termos.

O número de ações emitidas é simplesmente o total de ações (ordinárias e preferenciais) em posse de todos os acionistas da empresa, de controladores e minoritários.Mas não entra nessa conta as ações em tesouraria detidas pela companhia.

Quando a companhia possui mais de uma classe de ações, somamos o VM para as PN e para as ON.

Ou seja, o VM mede o montante pelo qual a companhia está sendo negociada no mercado em um determinado momento.

Assim, percebemos que se trata de uma métrica dinâmica, que muda sempre que a cotação varia ou número de ações muda de patamar.

Mas aqui cabe uma ressalva: o nº de ações só influencia o valor de negociação da companhia quando ocorre a emissão de novas ações. Mudanças contábeis, como desdobramentos, grupamentos e bonificações não afetam o VM.

Por exemplo, digamos que no dia 01/04/2018 uma empresa tivesse 100.00.000 de ações em circulação e a cotação às 15:45 fosse de R$ 18,95.

Nesse caso, o VM seria de 100.000.00 X R$ 18,95 , ou aproximadamente R$ 1,9 bilhão.

Faixas de Valores de Mercado

Faixas de Valor de MercadoUma vez que o VM se refere ao valor de negociação da companhia como um todo, então valor irá oscilar. Basicamente, é costume do mercado separar as empresas em quatro tipos, de acordo com o tamanho de cada uma:

  • Micro Caps
  • Small Caps
  • Mid Caps
  • Large Caps

Mas que fique claro que essa não é uma classificação única. Existe o costume de também separar as empresas também pelo tamanho da receita líquida ou pela liqudez das ações.

Além disso, as faixas de valores que separam cada categoria também não são padronizadas. Por isso, neste artigo estaremos usando uma definição própria. Ok?

Então vamos ver alguns exemplo..

Valor de Mercado da Petrobrás

Valor de Mercado (azul) e Cotacao PN (vermelho) da Petrobrás - Economatica

Valor de Mercado (azul) e Cotacao PN (vermelho) da Petrobrás – Economatica

A Petrobrás (PETR3, PETR4) é o exemplo de uma Large Cap, que são empresas com VM superior a R$ 100 bilhões. Perceba como o VM oscila de maneira parecida com a cotação da ação. Isso costuma ser verdade, a não ser que a empresa costume fazer muitas recompras de ações ou novas emissões.

Valor de Mercado da Weg

Valor de Mercado (azul) e Cotacao (vermelho) da Wege - Economatica

Valor de Mercado (azul) e Cotacao (vermelho) da Weg – Economatica

A Weg (WEGE3) é o exemplo de uma Mid Cap, que são empresas com VM entre R$ 10 e R$ 100 bilhões.

 

Valor de Mercado da São Carlos

Valor de Mercado (azul) e Cotacao (vermelho) da Sao carlos - EconomaticaA São Carlos (SCAR3) é o exemplo de uma Small Cap, que são empresas com VM entre R$ 1 e R$ 10 bilhões.

 

Valor de Mercado da Senior Solutions

Valor de Mercado (azul) e Cotação (vermelho) da Senior Solutions - Economatica

Valor de Mercado (azul) e Cotação (vermelho) da Senior Solutions – Economatica

A Senior Solutions (SNSL3) é o exemplo de uma Micro Cap, que são empresas com VM inferior a R$ 1 bilhão.

As Micro Cap costumam ser as empresas com maior potencial de crescimento, mas também as mais arriscadas.

Apesar disso, cada caso é um caso.

É preciso sempre fazer uma análise fundamentalista da empresa em questão.

Conclusão sobre o Valor de Mercado

 

Capitalização de mercado

Capitalização de mercado  – Suno Research/Economatica

Então, chegamos ao fim.

Como podemos ver no gráfico acima, as Large Caps representam praticamente metade da capitalização total da bolsa, enquanto as Micro Caps representam apenas 1%. Isso é compreensível, pois a bolsa costuma ser o lugar para as empresas captarem recursos quando já estão em um tamanho considerável.

O Valor de Mercado é útil para poder avaliar o quanto o mercado está pagando por determinada empresa. Contudo, o investidor não deve confundir esse valor com o preço justo da companhia ou com o patrimônio líquido da empresa.

Compartilhe a sua opinião
Rodrigo Wainberg

Rodrigo Wainberg

Profissional aprovado no Level III da certificação CFA, investidor em ações há 6 anos, possui registro de Analista e Consultor de Valores Mobiliários, e é Bacharel em Física pela UFRGS.