taxa de câmbio real
Por: Tiago Reis

Taxa de câmbio real: entenda como interpretar esse indicador

Seja para investir, vender, comprar ou viajar, é fundamental saber qual é a taxa de câmbio real antes de fechar o negócio.

Como muitas transações são feitas baseadas em moeda estrangeira (em geral o dólar), o cálculo do valor em real será feiyo a partir da taxa de câmbio real.

O que é a taxa de câmbio real?

A taxa de câmbio real é o preço da moeda em termos da moeda nacional, considerando a inflação. Ou seja, é preciso verificar a cotação do dólar no dia para saber o quanto será preciso desembolsar pela moeda.

No Brasil, as cotações mais utilizadas são a do dólar e a do euro. Porém, o conceito de câmbio real vale para qualquer troca entre duas moedas distintas.

Taxa de câmbio real, real efetiva e nominal

Há três tipos de taxa de câmbio:

Taxa de câmbio nominal;

Taxa de câmbio real;

Taxa de câmbio real efetiva.

A taxa de câmbio nominal é a mais vista pela população, uma vez que ela representa o custo de uma moeda em referência a outra, de outro país.

Logo, ao ver que US$ 1 custa R$ 3, o indivíduo está lidando com a taxa de câmbio nominal. Em resumo, é o preço do dólar em relação ao euro, por exemplo.

Esses valores variam de acordo com o dia e a oscilação das bolsas de valores ao redor do mundo.

Já a taxa de câmbio real ocorre quando estes valores são corrigidos de acordo com a inflação interna e externa.

A taxa de câmbio real efetiva, por sua vez, é aquela que considera o quanto cada país interfere nos fluxos das relações comerciais.

Funcionamento da taxa de câmbio real

taxa de câmbio real

O preço de uma moeda é determinado por vários fatores. Entre eles, a oferta e a demanda. O dólar é uma moeda forte porque as principais transações do mundo são lastreadas em cima dela.

Um exemplo disso é o petróleo, cujo preço é atrelado ao dólar. Tanto que quando o real desvaloriza frente à moeda americana, o preço dos combustíveis aumenta no Brasil.

Isso quer dizer que o dólar não é relevante apenas por ser a moeda dos Estados Unidos. Há outros fatores que afetam o seu valor.

O euro, por sua vez, é utilizado aceito na maior parte dos países do continente europeu.

Logo, há grande demanda desta moeda nas transações comerciais mundo afora. O que o torna ainda mais caro do que o dólar.

Isso porque quanto maior a oferta de uma moeda em relação à sua demanda, menor será a taxa de câmbio.

Trocando em miúdos, significa que quanto mais pessoas quiserem comprar o euro e menos euros estiverem em circulação em determinado país, mais barato ele será ali.

Quanto maior a demanda de moeda estrangeira em relação à demanda destas moedas, mais cara elas serão.

Os motivos da demanda podem ser muitos, como fugir da inflação e manutenção do poder de compra.

O medo de enfrentar uma desvalorização do real leva muitos investidores a aplicarem no exterior.

Com estas variações, uma moeda pode sofrer depreciação (desvalorização) ou apreciação (valorização).

Taxa de câmbio real e o dólar

É importante compreender que, quando o assunto é dólar, há três aspectos a considerar:

• Dólar comercial;

• Dólar turismo; 

• Dólar paralelo.

O dólar comercial é a taxa de referência para todas as operações no câmbio. Assim, ele afeta importações, exportações e empréstimo no exterior.

É exatamente nele que se tem uma ideia da valorização ou desvalorização do real frente à moeda americana.

Já o dólar turismo é aquele adquirido por quem vai viajar ao exterior. Em geral, seu valor é um pouco mais alto do que o dólar comercial.

Isso porque o seu custo pé calculado com base no dólar comercial, acrescido de custos administrativos, de logística e de seguro.

Por outro lado, o dólar paralelo é a venda ilícita da moeda. Não há como comprovar a sua origem, e este costuma ser utilizado no tráfico e em lavagem de dinheiro. Logo, este claramente não é autorizado pelo Banco Central.

Para compreender melhor este tema e seus impactos, a Suno Research disponibiliza um ebook sobre investimentos no exterior.

Assim, conceitos como taxa de câmbio real ficarão ainda mais claros para quem está ingressando no mercado agora.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

181 artigos
Ações

FIIs

48 artigos
FIIs

eBook Gratuito

INvestindo
No
Exterior

Descubra como você também pode investir nas maiores empresas do mundo.