O ROI é a abreviação de Return on Investment
Por: Tiago Reis

ROI (Return on Investment): notável indicador de análise de desempenho

Dentre os mais diversos índices e indicadores disponíveis como critérios de avaliação de empresas, o ROI se faz presente de maneira bastante significativa.

Numa definição direta, o ROI é a abreviação de Return on Investment, ou Retorno Sobre o Investimento, no português, e este índice calcula o rendimento, ou seja, a competência de uma empresa em gerar lucro com seus ativos disponíveis.

Nesse intuito, é possível compreender que quanto maior o ganho da empresa sobre o total de ativos, melhor.

ROI – Cálculo

Para se chegar ao cálculo do ROI de uma forma básica e rápida é preciso colocar o lucro líquido da empresa após o imposto de renda e dividir pelo total de ativos.

O resultado normalmente é mostrado em porcentagem.

Para exemplificar, suponha-se que o lucro líquido de uma empresa é de 1 milhão de reais em um período específico e que seus ativos custaram 5 milhões, logo, o seu ROI será de 20% no referenciado espaço de tempo.

Considerações importantes

Esse indicador é comumente usado quando os seus administradores desejam viabilizar um projeto de melhoria para a empresa.

Como consequência disso, investidores e potencias parceiros costumam usar esse índice para analisar a qualidade e a liderança da companhia em questão.

Ainda, o retorno sobre ativos é importante pois com ele é possível analisar se o gerenciamento da empresa é eficaz ao usar os seus ativos para gerar lucros, ao mesmo tempo em que demonstra qual será o ganho resultado do investimento dos ativos.

Cabe destacar que este indicador fundamentalista costuma variar entre as empresas e depende muito do setor em que atuam, por isso, é recomendável utilizar esse índice para comparar o ROI atual com o passado ou comparar com empresas do mesmo setor.

Há de se destacar, ainda, que esse índice também é muito utilizado por investidores individuais pessoa física, no âmbito do cálculo de seus resultados de investidos após determinado período de tempo.

Warren Buffett, o maior investidor de todos os tempos, por exemplo, possui um histórico de 20% de média ao ano na rentabilidade sobre os seus investimentos, o que significa que ele acumulou a sua fortuna bilionária perante uma taxa de crescimento que, para muitas pessoas – principalmente as mais inexperientes – são consideradas baixas, graças as fantasias que correm soltas pela mídia sobre retornos astronômicos de investimentos em transações de alto risco em curtos espaços de tempo.

Dessa forma, é preciso compreender que, se o maior nome no universo dos investimentos no planeta atingiu um ROI médio de “apenas” 20% ao ano, esperar algo acima disso, ainda mais em intervalos de tempo menores, demonstra que pode existir algum ponto fora da curva que não se encaixa na equação.

Conclusão

Ao se levar em consideração o ROI, seja em relação a uma companhia, ou em relação as aplicações no âmbito de investimentos de longo prazo, é preciso sempre estar ciente de um componente primordial nessa definição matemática, que é o fator tempo. Este é, com certeza, um dos maiores aliados para aqueles que tiram um devido proveito da paciência e da coerência no âmbito de seus investimentos no decorrer dos anos.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

209 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs

eBook Gratuito

Como analisar uma ação

Conheça o Passo A Passo para você analisar quais as melhores ações para investir!

CORONAVÍRUS, PETRÓLEO, ECONOMIA E INVESTIMENTOS. VOCÊ JÁ SABE O QUE FAZER?​