Acesso Rápido

    Retrospectiva 2017

    Retrospectiva 2017
    Crowd and fireworks. New Year concept

    Este foi o primeiro ano completo de operações da Suno Research.

    Começamos a produzir conteúdos no final de 2016. Portanto, 2017 foi o primeiro ano completo da Suno. Começamos a ter nossos primeiros clientes em fevereiro.

    E como o ano chega ao final, esta é uma oportunidade de mostrarmos o que construímos ao longo deste período.

    O que tínhamos no começo de 2017? Apenas um site em que as pessoas deixavam seu e-mail para receber o “Ações Garantem o Futuro”, uma coluna semanal com conteúdos feitos em parceria com o megainvestidor Luiz Barsi.

    Nada melhor, para aprender a investir, do que beber direto da fonte. Se eu fosse um investidor iniciante, gostaria de aprender com quem realmente teve sucesso na bolsa.

    Logo em janeiro começamos a levar para o YouTube vários trechos das conversas que tivemos com Barsi.

    Em fevereiro, iniciamos a produção de relatórios exclusivos e conseguimos nossos primeiros assinantes.

    Uma prova de que existia demanda por nossos produtos.

    Lembro como se fosse hoje, na hora de testarmos o processo de pagamento com cartão de crédito, uma compra de assinatura anual já havia sido realizada, antes mesmo de nós conseguirmos fazer o procedimento.

    Nosso primeiro cliente conseguiu ser mais rápido que nós mesmos.

    E nossas carteiras estão superando os principais índices de referencia.

    Nossas recomendações têm sido boas, e algumas excelentes.

    É isso que propomos: trazer uma analise com qualidade para os investidores individuais.

    Mas não podemos ser apenas uma casa de analise. Precisamos educar para atrair mais investidores ao mercado.

    Pensando nisso, fizemos uma série de programações para ajudar na educação do investidor.

    No primeiro semestre de 2017 iniciamos o #SunoResponde, que virou uma marca nossa, e eu digo sem engano que é o maior programa brasileiro para tirar dúvidas de investidores individuais.

    Este programa contribuiu muito para o mercado, pois muitas vezes o investidor só precisa tirar uma dúvida com um especialista para ganhar a confiança necessária para se tornar um investidor.

    E o #SunoResponde tem esta função: ser o balcão de informação dos investidores.

    Em julho introduzimos o #SunoResponde com o professor Marcos Baroni – para mim a maior autoridade de fundos imobiliários do Brasil, juntamente com o professor Arthur Vieira de Moraes. A reputação do Baroni é tão grande que foi apelidado de “Google dos FIIs”.

    Baroni faz suas lives tirando dúvidas com investidores todas as quintas-feiras. Se você tem interesse em ingressar – ou já é um investidor em fundos imobiliários – eu te convido a ver suas lives que devem retomar na segunda quinzena de janeiro.

    Faço o convite também a acompanhar o FIIKIPEDIA, a carta semanal gratuita do Baroni.

    E continuando com nossa abordagem educativa, criamos uma série de minicursos e ebooks gratuitos a respeito de diversas áreas do investimento em renda variável, como: Fundos Imobiliários, Estratégia de Dividendos e Value Investing.

    Somente o nosso ebook de Fundos Imobiliários foi baixado por mais de 10 mil pessoas. Contribuímos de alguma forma para o crescimento do segmento, que passou de 85 mil investidores, quando iniciamos, para 106 mil.

    Diversos investidores me falaram que começaram a investir em FIIs depois de aprender conosco. Ótimo!

    Além disso, a Suno realizou diversos cursos presenciais. Todos com 100% de ocupação e com satisfação elevada nos feedbacks que pedimos por e-mail.

    Em dezembro lançamos nosso primeiro livro: O Guia Suno Dividendos.  Este livro chegou a ser o 4º mais vendido do Brasil, e segue como o livro de investimentos mais vendido neste momento.

    Mas para mim, vender de nada adianta sem a satisfação do cliente.

    E na satisfação estamos bem: nota 4,8 de 5 no ranking da Amazon. Nota mais alta que verificada em livros de investimentos que respeitamos, como “Faça Fortuna com Ações” de Décio Bazin e “O Investidor Inteligente” de Benjamin Graham.

    Não sei se merecemos tanto.  Mas acho que nossa marca é tão querida que os leitores se comportam como amigos e dão uma nota alta.

    Também, em dezembro, criamos nosso primeiro Curso Online, focado na estratégia de dividendos. Um sucesso. Foi o mais vendido de nossa categoria no Hotmart, disparada a maior plataforma de cursos do Brasil.

    Essa é a ideia: trazer análise, educação e informação ao investidor. De maneira transparente.

    Por falar em transparência, é interessante falar de algumas práticas nossas: tratamos nossos clientes como se fossem verdadeiros amigos. Queremos construir uma relação de longo prazo, este é um valor que sempre tive comigo.

    Pergunte a algum de nossos clientes sobre sua satisfação a respeito da nossa empresa. Nós mensuramos e sabemos que é alta. Eu poderia tirar print de vários relatos positivos, mas essa abordagem engana, pois eu estaria sendo seletivo.

    Mas existe um lugar que nós não temos controle: O ReclameAqui.com.br. Não temos nenhuma reclamação neste site. ZERO. Como conseguimos este feito, mesmo tendo milhares de clientes? Simples: foco em qualidade do produto, marketing honesto e tratar clientes como amigos.

    Já que estamos falando de amizade, criamos o nosso grupo do Facebook no meio do ano, que já conta com mais de 12 mil integrantes. O grupo é a mais ativa comunidade de investimentos na rede social.

    Quantas empresas se propõem a dar a cara para bater reunindo todos seus leitores no mesmo grupo? Não muitas. A maioria das empresas se esconde.

    Não poderíamos, ainda, deixar de falar de nossa equipe.

    Em 2017 multiplicamos o número de membros do nosso time por 10. Quantas empresas geraram empregos neste ano? Não muitas.

    Nossos colaboradores são os melhores que poderiam existir. Dei muita sorte de conseguir trazer um time muito forte. Somente com eles é possível construir um negócio que seja bom para todos: acionistas, clientes, fornecedores e reguladores.

    Mas não existe ganha-ganha pleno. Sempre alguém perde. Quem perde com nosso avanço é a concorrência, que já começa a mostrar alguns sinais de desespero.

    Nossa abordagem educativa antagoniza frontalmente com o estilo mercenário de algumas empresas de nosso segmento, que estão sempre empurrando mercadoria com promessas de ganhos irreais.

    Mentir para fazer uma venda, que pode ser interpretado como estelionato, é algo que jamais faremos.

    Este é um valor que eu não abro mão: se for para mentir para fazer venda é melhor fechar as portas da Suno. Quero dormir bem, sabendo que ajudei pessoas e não enganei ninguém.

    Os desordeiros já estão sendo punidos através de suspensões por parte das autoridades – o que é bom: estimula que a competição se dê pela qualidade da análise e não pelo tamanho da mentira.

    Cada empresa tem a sua estratégia. Estamos felizes com a nossa que é colocar o interesse do investidor na frente dos nossos interesses comerciais. Isso faz nossa marca ser querida.

    Por falar em reguladores, fui convidado para palestrar no evento de final de ano da CVM. E também tivemos a Suno Research sendo citada no STJ. Calma! Foi por um bom motivo. Nossos materiais foram citados como material para uma decisão importante da corte.

    Queremos ser amigos não apenas dos investidores, mas se pudermos contribuir com pautas nobres dos reguladores e do judiciário, por que não?

    O que vocês podem esperar de nós para 2018? Muito mais. 2017 foi apenas o começo.

    Ainda não executamos nem 5% dos projetos que já temos mapeados: todos são oportunidades para contribuir ainda mais com o nascimento da cultura de investimentos no Brasil.

    Fico muito orgulhoso do que conquistamos até aqui. Conseguimos ajudar milhares de investidores, ao mesmo tempo em que criamos uma empresa rentável que gera empregos e paga impostos durante um dos piores períodos econômicos da história do Brasil.

    O que fizemos foi um milagre, mas é só o começo. Essa é a minha promessa.

    E você sabe que, na Suno, não fazemos promessas que não podemos cumprir.

    Vamos que vamos! Até 2018.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *