Acesso Rápido

    Regime de capitalização: entenda como funciona esse sistema

    Regime de capitalização: entenda como funciona esse sistema

    Bastante falado desde que foi sugerido como parte da Reforma Previdenciária, o regime de capitalização existe há algum tempo.

    Porém, esta não foi a primeira vez que se falou em regime de capitalização, quando o assunto é investimentos e aplicações a longo prazo no mercado financeiro.

    O que é o regime de capitalização?

    O regime de capitalização é um modelo de aplicação financeira que pega as contribuições e valores pagas pelos contribuintes e as redireciona para diferentes investimentos, funcionando como uma espécie de poupança.

    Com isso, uma aposentadoria ou investimento que esteja nesse modelo variará de acordo com o valor que o titular conseguiu depositar e o quanto este montante rendeu ao longo do tempo.

    Vale lembrar que, no Brasil, a Previdência Social sempre trabalhou com regime de partição.

    Ou seja, os trabalhadores ativos atualmente pagam pela aposentadoria de quem não está mais no mercado, com suas contribuições previdenciárias.

    O mesmo ocorreu com as pessoas que estão aposentadas hoje, cujas contribuições pagaram os benefícios de quem saiu do mercado antes deles. E assim sucessivamente.

    Já a rentabilização do regime de capitalização trabalha de uma forma diferente.

    As contribuições deixam de ser coletivas e passam a ser individuais. Com isso, cada pessoa se torna responsável pela própria aposentadoria.

    Regime de capitalização e a previdência privada

    Regime de capitalização

    Apesar de o assunto ser novidade no tocante à Previdência Social, o regime de capitalização já é utilizado nos programas de previdência privada.

    Isso inclui modelos como fundos de pensão e aplicações como PGBL e VGBL.

    Os regimes de capitalização funcionam de duas formas diferentes:

    Regime de capitalização de juros simples

    Regime de capitalização de juros compostos.

    Regime de capitalização de juros simples

    O regime de capitalização simples, também conhecido como regime de juros simples, tende a ter um rendimento menor.

    Isso porque a taxa de juros incide apenas sobre o valor originalmente aplicado.

    Ou seja, quem fez um depósito inicial de R$ 500 terá juros apenas sobre este valor, ainda que o montante aumente a cada rendimento.

    Isso significa que não há o reinvestimento dos juros.

    Regime de capitalização de juros compostos

    Já o regime de capitalização composta, mais comumente utilizada pelo mercado financeiro, aplica juros sobre juros.

    Com isso, os juros são calculados sobre a soma de capital inicial e rendimento já existente.

    Então, quem depositou inicialmente R$ 500 e teve um rendimento de R$ 80 ao longo do período, terá juros calculados sobre R$ 580.

    Vale lembrar que juros e taxa de juros são conceitos diferentes. A taxa de juros é a percentagem equivalente aos juros.


    Já os juros são um valor monetário, ou seja, são calculados em moeda (seja real, dólar ou euro, por exemplo).

    Regime de capitalização e investimentos

    Regime de capitalização

    O regime de capitalização não está restrito às aposentadorias, funcionando também como um investimento.

    Afinal, o conceito de capitalização é a aplicação de valores em investimentos. Com isso, é possível escolher títulos de capitalização ou demais papeis com diferentes valores e rendimentos.

    A escolha deverá considerar o capital a ser aplicado e o objetivo do investidor em adquirir aquele título.

    Toda capitalização tem incidência de juros. Esse rendimento costuma ser mensal e a taxa de juros varia de acordo com o papel.

    Há a possibilidade de o rendimento dos juros, ou seja, a capitalização, ser diária. Logo, o que seria negativo em uma dívida se torna lucrativo em um investimento.

    Porém, é importante não confundir capitalização com liquidez. Por mais que o rendimento seja diário, é possível que só seja possível sacar o dinheiro após o fechamento do período. Neste meio tempo, o montante aplicado, bem como o seu rendimento, fica inacessível.

    Para escolher a melhor forma de rendimento, o ideal é procurar ajuda de quem conhece o mercado.

    Por isso, a Suno Research oferece um ebook com os dez livros que todo investidor deveria ler.

    Desta forma é possível saber se um regime de capitalização é o que realmente se procura ou não.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *