Por: Tiago Reis

Radar do mercado: SulAmérica (SULA11) recebe oferta da Allianz pelo seu setor de automóveis

A Sul América S.A. informou ontem (02) aos seus acionistas e ao mercado em geral o recebimento de uma oferta indicativa e não vinculante da Allianz SE para a aquisição de sua operação de Automóveis e Ramos Elementares, que inclui produtos como seguro residencial e empresarial.

Diante deste cenário, a companhia entrou em discussões bilaterais com a Allianz SE sobre uma eventual transação que poderia resultar na concentração de suas operações nos segmentos de Saúde, Odontologia, Vida, Previdência e Gestão de Ativos.

No fato relevante publicado, a empresa disse que avalia constantemente, em conjunto com seus assessores, diversas oportunidades estratégicas com relação aos seus negócios em suas diversas linhas, que podem vir a incluir diferentes alternativas, inclusive eventuais investimentos ou desinvestimentos.

 

No entanto, a companhia destacou que não existe, até o momento, qualquer definição, conclusão ou acordo vinculante relacionado a essas oportunidades. Ressaltou ainda que, caso venham a se concretizar, serão divulgadas ao mercado conforme previsto nos regulamentos acerca desse tipo de operação.

Aprenda a Investir em Dividendos

O Brazil Journal trouxe a informação, de fontes que acompanham a empresa, que possuem a crença de que isso possa ser apenas o primeiro passo em direção a mais desinvestimentos para um foco completo em saúde (leia mais aqui). Vale ressaltar que este negócio é o que faz, hoje, uma parte extremamente expressiva do lucro da seguradora.

O segmento de seguro de automóveis possui alto grau de competição, além de receitas cíclicas. Deste modo, a empresa estava exposta a um segmento suscetível a apresentação de variações inesperadas em seu desempenho. Assim, com a venda deste segmento, ela será capaz de focar mais ainda na parte que possui maior expressividade em suas receitas e lucros.

Além disso, é importante notar que a companhia não apresenta – na parte de automóveis e ramos elementares – retornos equiparáveis ao de seus concorrentes, como Porto Seguro e outros players internacionais que atuam no país, de modo que faz sentido a venda da operação para focar na parte mais rentável.

No ano de 2018, as receitas da SulAmérica atingiram R$ 20,5 bilhões. Este mesmo ano se encerrou com a companhia tendo R$ 41,6 bilhões de ativos sob gestão. Trata-se de uma empresa com aproximadamente cinco mil funcionários, cujos negócios são realizados por meio de uma ampla e diversificada rede de distribuição que inclui mais de 30 mil corretoras independentes, além de parcerias com mais de 20 instituições financeiras de varejo, que adicionam à companhia 16 mil pontos de venda.

Sendo assim, acreditamos que se trata de uma boa notícia para a SulAmérica. Trata-se de uma empresa que apresenta rentabilidade consistente, receitas fortes e crescentes, dentre outros bons aspectos, configurando um case no qual seguimos otimistas e confiantes.

No mais, entendemos que a SulAmérica será capaz de melhorar ainda mais seu desempenho, caso seja concluída a venda em questão, permitindo a geração de mais valor ao seu acionista.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

1 comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Joao Barbosa 3 de julho de 2019

    A empresa Hospital jd. america, foi adquirida empresa ligada a Radar, me informe por favror obgdo!!!

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

201 artigos
Ações

FIIs

51 artigos
FIIs
navigation

Conteúdo Gratuito

Radar do
Mercado

Os principais fatos relevantes do mercado, comentados no seu e-mail diariamente

Série Guia Suno

3 Livros pelo preço de 1

Aprenda tudo que você precisa saber para começar a investir com a série didática de livros Guia Suno

%d blogueiros gostam disto: