A Petrobras informou ontem (10) que a sua subsidiária Petrobras America Inc. (PAI) celebrou, na mesma data, com a empresa Murphy Exploration & Production Company – USA, subsidiária integral da Murphy Oil Corporation, contrato definitivo visando à formação de uma joint venture (JV) composta por ativos em produção de petróleo e gás natural no Golfo do México.

“A formação da JV representa um passo importante para a Petrobras, no âmbito do seu Plano de Negócios e Gestão 2018-2022, permitindo, além da entrada de caixa, o compartilhamento de investimentos, resultando num portfólio final com melhor relação risco-retorno, por meio de um novo modelo de negócios nos EUA, com um parceiro que atua na região e é reconhecido pela sua expertise operacional e em segurança, disciplina de custos e qualificação técnica”, destacou a estatal em seu comunicado.

A conclusão da transação, no entanto, está sujeita ao cumprimento de condições precedentes, tais como a obtenção das aprovações governamentais norte-americanas aplicáveis, com previsão de fechamento ainda neste ano.

 

Em relação ao comunicado acima, é interessante mencionar que a constituição da referida Joint Venture se dará através do aporte de todos os ativos em produção situados no Golfo do México de ambas as empresas, na qual a Murphy será a operadora com 80% de participação e a PAI com 20%.

A nova empresa terá uma produção média estimada de aproximadamente 75 mil barris de óleo equivalente por dia no quarto trimestre de 2018 e será composta pelos seguintes ativos:

– Campos em águas profundas: Cascade, Chinook, St. Malo, Lucius e Hadrian North, Cottonwood, Hadrian South, Dalmatian, Front Runner, Clipper, Habanero, Kodiak, Medusa e Thunder Hawk;

– Campos em águas rasas: South Marsh Island 280, Garden Banks 200/201 e Tahoe;

Adicionalmente, a transação envolverá um valor total de até US$ 1,1 bilhão, a ser recebido pela Petrobras America Inc., sendo uma compensação de US$ 900 milhões à vista, correspondente à diferença de valor entre os ativos aportados por ambas as empresas no fechamento da operação, além de pagamentos contingentes de até US$ 150 milhões a serem efetuados até 2025 e um carrego de investimentos de até US$ 50 milhões de custos da companhia no desenvolvimento da produção do campo de St. Malo, a ser assumido pela Murphy a partir de 2019, caso determinados projetos de recuperação de óleo sejam realizados.

Ainda, a Murphy Oil Corporation é uma empresa global independente de exploração e produção de petróleo e gás natural, com produção offshore no sudeste da Ásia, Canadá e Golfo do México e produção onshore na América do Norte.

A companhia detém uma participação de 20% em quatro blocos em águas profundas na bacia de Sergipe-Alagoas e junto com seus parceiros foi bem-sucedida na licitação dos blocos 430 e 573 na mesma bacia durante a 15ª Rodada da ANP.

No entanto, apesar de avaliarmos como positivo tal comunicado sobre a formação da Joint Venture, tal evento não altera o fato de que a Petrobras é uma estatal e que, por conta disso, foi submetida durante bastante tempo a um dos maiores esquemas de corrupção da história da humanidade.

Você gostaria de se associar a uma empresa com esse histórico?

Acreditamos que esse seria, sem dúvidas, uma associação no mínimo insegura para qualquer investidor.

Por conta disso, achamos mais coerente seguir de fora da Petrobras por tem indeterminado.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.