Por: Tiago Reis

Radar do mercado: Oi (OIBR3) esclarece notícia veiculada na imprensa

Na data de ontem (23), a Oi S.A apresentou ao mercado e aos seus acionistas os esclarecimentos a respeito de notícia veiculada na imprensa, mediante solicitação por ofício da B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão.

No ofício, foi solicitado o esclarecimento da notícia veiculada pelo jornal Valor Econômico, em 20/09/2019, sob o título “Oi tenta vender fatia na Unitel e emitir dívida garantida”.

A notícia afirma que, prestes a iniciar uma transição no seu comando, a Oi está empenhada simultaneamente em vender sua participação na operadora angolana Unitel e em levantar R$ 2,5 bilhões por meio da emissão de dívida garantida (secured debt).

E-book: Investindo em Dividendos

Baixe gratuitamente o nosso ebook e descubra como viver de renda investindo em empresas pagadores de dividendos!

A expectativa é de que os títulos tenham prazo de vencimento entre três e cinco anos, podendo ser resgatados antes.

Além disso, a empresa tem reafirmado a investidores que pretende fechar, ainda neste ano, a venda da participação de 25% que detém na operadora Unitel.

Dessa forma, mesmo que a Oi consiga fechar a venda da sua fatia na Unitel, a tendência é de que seja mantida a emissão de R$ 2,5 bilhões, como forma de reforçar o caixa da companhia e garantir os recursos necessários para os investimentos previstos em seu plano estratégico divulgado em julho.

Por sua vez, a Oi reiterou as informações já amplamente divulgadas em diversas oportunidades acerca de seu planejamento estratégico, no contexto do seu processo de recuperação judicial.

Dentre estas informações, são incluídas, a título de exemplo, alguns comunicados ao mercado, as informações prestadas no momento da divulgação dos resultados do último trimestre e o próprio Plano Estratégico, divulgado em 16 de julho de 2019.

Nesse sentido, a Oi ressaltou que vem perseguindo opções estratégicas de futuro e trabalhando em diferentes iniciativas, com o objetivo de melhorar sua performance operacional e financeira, através de um modelo de negócio sustentável.

Assim, a administração da empresa vem avaliando todas as alternativas à sua disposição e avaliando continuamente oportunidades para a melhor adequação da estrutura de capital e maximização de valor da companhia, em especial aquelas previstas no Plano de Recuperação Judicial.

Nesse contexto, dentre as suas múltiplas frentes de atuação, a administração tem dedicado foco especial ao plano de venda de ativos non-core e geração de liquidez de curto prazo, de forma a assegurar a execução do plano de investimentos e a sustentabilidade de tais investimentos.

Por último, a Oi reafirmou o seu compromisso de manter seus acionistas e o mercado devidamente informados a respeito dos aspectos relevantes e significativos de seus negócios, bem como reiterou que os investidores e o mercado em geral devem pautar-se somente pelas divulgações oficiais realizadas pela empresa.

Acreditamos que a notícia não altera o nosso racional a respeito da companhia, que não vem apresentando resultados consistentes, além de estar atravessando um processo de recuperação judicial. Dessa forma, permanecemos de fora do ativo.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

3 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Alvaro Lopes 24 de setembro de 2019

    acredito que a Oi é um ativo para longo prazo e venho fazendo aportes do “lixo” nesse ativo. aportes pequenos de dinheiro que provavelmente gastaria com besteiras e coisas fúteis. com o grande risco mais com grande ganho caso dê certo. gostaria de elogiar a publicação você Tiago e a Suno pelo ótimo serviço, acompanho vocês em todos os canais de comunicação.

    Responder
  • Mauricio 25 de setembro de 2019

    Caso a OI venda apenas seu segmento móvel, que é o mais provável, suas ações serão multiplicadas por 4, ou seja, vai para 4 reais, que é aproximadamente o valor patrimonial por ação.
    É uma empresa gigantesca, a maior do brasil no ramo, uma intervenção é praticamente descartada, pois pelo menos 4 empresas vão brigar por seus ativos.
    Quem viver verá… vai deixar muita gente com dinheiro da noite para o dia!

    Responder
  • Roberto Pivetta 26 de setembro de 2019

    Creio que OI é uma espécie de atrativo para mercados emergentes que quiserem adquirir a empresa. Não aguento mais esse papo de vender a fatia da unitel . É uma empresa em recuperação judicial tem um plano a cumprir. Muito arriscado, muitas especulações, manipulações de mercado. Porém, acredito que poderão comprar a empresa, mas não agora. Algo vai acontecer, mas o Sr. Mercado que dirá e precificará antes de acontecer :).

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

202 artigos
Ações

FIIs

52 artigos
FIIs
navigation

Conteúdo Gratuito

Radar do
Mercado

Os principais fatos relevantes do mercado, comentados no seu e-mail diariamente

%d blogueiros gostam disto: