A M. Dias Branco Indústria e Comércio de Alimentos comunicou ontem (16) aos seus acionistas e ao mercado que, na mesma data, ocorreu a conclusão da aquisição de 100% das ações da Indústria de Produtos Alimentícios Piraquê S.A.

Segundo informando pela companhia, a operação foi ratificada em Assembleia Geral dos Acionistas da M. Dias Branco, realizada em 12 de abril, bem como todas as condições precedentes para a conclusão da aquisição foram cumpridas, incluindo a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE.

“Com o desfecho dessa fase da operação, a M. Dias Branco reafirma seu compromisso com a criação de valor a longo prazo para seus acionistas, uma vez que esta aquisição representa uma excelente oportunidade estratégica de acelerar o seu crescimento nas regiões sul e sudeste do Brasil, bem como de incluir no seu portfólio produtos de alto valor agregado”, ressaltou a companhia em seu comunicado.

 

Finalmente, ao que tudo indica, o referido processo de aquisição da Piraquê por parte da M. Dias Branco se encerrou de maneira satisfatória, de acordo com o comunicado feito pela compradora no dia de ontem sobre o desfecho de tal transação.

Em nossa visão, essa informação pode ser interpreta de maneira bastante positiva por seus acionistas, dada a relevância e o impacto positivo nos números da M. Dias Branco que as operações da Piraquê tenderão a proporcionar no médio prazo.

Nesse sentido, é interessante destacar que, com mais de 60 anos de história e presença em grande parte do país, a M. Dias Branco S.A. Indústria e Comércio de Alimentos, com sede na cidade de Eusébio, no Ceará, é uma das maiores empresas brasileiras do setor alimentício, sendo uma das líderes no mercado de massas e biscoitos do Brasil.

Em relação ao mercado mundial, a empresa é a sexta maior na categoria de massas e a sétima maior na categoria de biscoitos.

Um fato positivo que nos agrada em relação a esta companhia se faz no fato de que a M. Dias Branco produz a maior parte das suas matérias-primas utilizadas para a fabricação dos seus produtos.

Em geral, a companhia produz mais de 90% dos materiais básicos que ela mesma consome.

Na visão da empresa, não existe paralelo desse nível de verticalização em sua indústria.

Essa capacidade e maior controle da produção garante à M. Dias Branco um melhor acompanhamento da qualidade do seu produto, bem como a maximização das suas margens operacionais.

No que diz respeito aos seus resultados operacionais, o último ano de 2017 foi marcado por conquistas em sua estratégia de crescimento, diversificação geográfica e otimização do portfólio de seus produtos.

Além disso, em 2016, a companhia reestruturou a sua área comercial, e as equipes passaram a ter uma abordagem regional e a negociar as marcas e produtos adequados a cada região, ampliando o potencial de crescimento e racionalizando a estrutura de despesas. Ainda, com foco no crescimento das vendas e na construção de marcas fortes, a M. Dias Branco ampliou e redefiniu os investimentos de marketing.

Já em 2017, em linha com a sua estratégia operacional, a companhia deu continuidade aos projetos descritos acima e realizou outras medidas importantes para o exercício em análise e para os anos vindouros.

No mais, gostamos muito da companhia, e a evolução de seus resultados no último trimestre reforçam nossa tese de que a M. Dias Branco é uma ótima empresa, que detém marcas de destaque, em termos de marketshare, apresenta métricas de rentabilidade elevada, com um ROE atrativo, um histórico de crescimento bastante expressivo e que entregou excelentes resultados aos seus acionistas.

Vale ressaltar, ainda, que a companhia tem um conjunto de marcas altamente conhecidas junto aos seus consumidores, dentre elas marcas nacionais (como a Adria) e as marcas de caráter mais regional (Vitarella, Fortaleza, Richester Pillar).

É importante destacar que todas são líderes em seus respectivos mercados de atuação.

Acreditamos que o reconhecimento de marca é de grande valor no setor alimentício, pois traz consigo a credibilidade e a tranquilidade que o consumidor necessita para poder comprar um produto de confiança para os membros da sua casa.

Não bastasse esse representativo portfólio de marcas sob sua gestão, o fato da companhia adquirir a Piraquê reforça ainda mais o interesse da M. Dias Branco em continuar se expandindo, agregando ainda mais valor naquilo que se propõe a fazer de maneira magistral.

Neste sentido, é interessante mencionar que a Indústria de Produtos Alimentícios Piraquê, é sociedade brasileira que atua no ramo alimentício, através da fabricação e comercialização de massas, biscoitos, salgadinhos e refrescos e que, no período de outubro de 2016 a setembro de 2017, registrou receita líquida total de R$ 717,0 milhões.

Avaliamos como bastante positiva essa aquisição, de modo que entendemos que a mesma pode agregar bastante valor para os próximos resultados operacionais da companhia no médio prazo.

Destacamos, aqui, que caso os papéis MDIA3 da companhia continuem apresentando a movimentação de queda na qual se encontra nos últimos meses, é bem provável que indiquemos a aquisição de suas ações, caso uma margem de segurança satisfatória possa ser observada no âmbito de tal investimento.

Isto posto, seguimos na posição de espera de boas oportunidades para realizar a recomendação de MDIA3 a preços um pouco mais descontados.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.