A Qualicorp comunicou ontem (01) ao mercado que decidiu pagar pelo menos R$ 150 milhões ao fundador e atual diretor-presidente da empresa, José Seripieri Filho, mediante a assinatura de um contrato de assunção de obrigação de não alienação de ações e não competição de negócios com o executivo, diretor-presidente e detentor indireto de 15% do capital social da companhia. Para manter por seis anos a fidelidade e exclusividade do empresário – inclusive com a atual quantidade de ações – a administradora de planos de saúde por adesão vai pagar pelo menos R$ 150 milhões.

No mesmo comunicado, a Qualicorp informou que a referida decisão, visando um alinhamento estratégico de médio prazo, foi tomada por unanimidade por seu Conselho de Administração, sem a participação de Seripieri Filho e respeitados todos os ritos legais.

 

Diante de tal acontecimento, as ações da companhia encerraram o dia de ontem apresentando uma extenuante queda de -29,37%, fechando o pregão sendo negociadas a R$ 11,64.

Geraldo Samor, do Brazil Journal, publicou uma entrevista bastante relevante com o fundador e CEO da Qualicorp, José Seripieri Filho.

Sugerimos a leitura da mesma para aqueles que se interessam pelo case. Para conferir a entrevista, basta clicar aqui.

No mais, a Qualicorp é uma empresa de saúde especializada nos chamados ‘planos de afinidade’. Negociando com as operadoras em nome de milhões de afiliados a entidades de classe, a Qualicorp é capaz de obter melhores preços e condições, cobrando uma comissão do cliente.

Assim sendo, conclui-se que a companhia nada mais é que uma intermediária, ou seja, ela é uma empresa que negocia com as operadoras de planos a fim de obter descontos para que algumas classes com muitos trabalhadores paguem um valor mais barato nos planos, apesar de ela também operar na administração de alguns planos, em poucos casos.

A companhia, apresenta, de fato, bons números em seus fundamentos, operando com boas margens e representativos e crescentes patamares de lucratividade e rentabilidade.

No entanto, avaliamos que a empresa apresenta poucas vantagens competitivas e, por conta disso, as suas barreiras de entrada se fazem menos robustas que outros segmentos presentes em nossas carteiras de indicações.

Por conta disso, achamos mais prudente seguir de fora da Qualicorp por tempo indeterminado.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.