Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Petrobras (PETR4) recompra títulos e informa sobre oferta da BR Distribuidora (BRDT3)

    A companhia esclareceu as notícias veiculadas na mídia acerca da oferta pública secundária (follow-on) referente à alienação de 37,5% do capital social da BR Distribuidora (BRDT3).

    A referida proposta foi aprovada pelo conselho de administração da companhia em 26/08/2020. No entanto, a operação está sujeita “às condições do mercado e a aprovações adicionais dos órgãos internos da Petrobras”.

    Além disso, a transação depende do aval da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), assim como outros órgãos reguladores, conforme a legislação aplicável.

    O esclarecimento foi divulgado após uma série de veículos midiáticos reportarem o adiamento do follow-on da BR Distribuidora.

    Minicurso: Aprenda a Investir em Dividendos

    Inscreva-se no nosso minicurso online gratuito sobre investimento em dividendos mais acessado do Brasil e junte-se a mais de 10.000 Alunos!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Dada a volatilidade do mercado a atual, a Petrobras deve esperar para que condições mais propícias à realização da oferta se concretizem.

    A companhia também anunciou a conclusão da oferta de recompra de títulos globais. As transações foram realizadas por meio de sua subsidiária integral, Petrobras Global Finance B.V (PGF).

    O volume do principal entregue pelos investidores, excluindo os juros capitalizados e não pagos, foi de aproximadamente US$ 3,5 bilhões, utilizando as taxas de câmbio de US$ 1,1828/€ (dólares para euro) e US$ 1,2975/£ (dólares para libra esterlina).

    A Petrobras pagou a tais investidores o valor de cerca de US$ 3,975 bilhões, excluindo os juros capitalizados até o dia da liquidação. Os títulos tinham as mais variadas taxas de juros em diferentes moedas, desde 4,2% a.a. a 8,75% a.a.

    Embora o montante total que havia sido ofertado por investidores tenha excedido US$ 4 bilhões, o volume oferecido para certos títulos não foi deferido – para que o limite de US$ 4 bilhões não fosse ultrapassado na oferta.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *