O Bradesco comunicou ontem (10) aos seus acionistas, clientes, funcionários e ao mercado em geral que o senhor Lázaro de Mello Brandão apresentou, na mesma data, carta de renúncia ao cargo de Presidente do Conselho de Administração do Bradesco, bem como das funções que exerce em todas as suas controladas.

Para substituí-lo, foi nomeado o senhor Luiz Carlos Trabuco Cappi, até então Vice-Presidente do Órgão e atual Diretor-Presidente do banco.

Tendo em vista a ascensão do senhor Luiz Carlos Trabuco Cappi à Presidência do Conselho de Administração, foi nomeado para Vice-presidente o senhor Carlos Alberto Rodrigues Guilherme, membro do Órgão desde 10/3/2009.

“Durante todo esse tempo manteve com maestria a “Cultura” e os “Valores” da Organização Bradesco, onde o desenvolvimento e o aprimoramento das ações da Instituição são um dever constante, enriquecido pelo aconselhamento permanente de seus colegiados, revelando que o principal interesse é a vida e prosperidade da Sociedade e a realização de seus objetivos para com a Comunidade em geral” destacou o Bradesco em referência ao senhor Lázaro de Mello Brandão na nota divulgada ao mercado.

 

Entendemos que a referida transição no comando se faz de maneira natural, e a nova gestão terá, sem dúvidas, o desafio de manter o Bradesco entre os bancos mais bem-sucedidos do planeta.

Cabe destacar, ainda neste âmbito, que o senhor Brandão iniciou sua carreira em 1942 na Casa Bancária Almeida & Cia, instituição financeira que, em 1943, se transformou no Banco Brasileiro de Descontos, atual Banco Bradesco, passando por todos os escalões da carreira bancária.

Além disso, foi Presidente da Diretoria de janeiro de 1981 a março de 1999, assumindo a Presidência do Conselho de Administração em fevereiro de 1990, sempre respeitado pelos inúmeros segmentos das sociedades brasileira e internacional.

No comando da companhia, contribuiu para que o Bradesco se tornasse o que é hoje, um nobre integrante do “time” dos grandes bancos privados do país e, por conta disso, é uma companhia a qual temos muito interesse em participar como sócios.

Este interesse é bastante simples de se explicar, basta olhar a tabela abaixo para perceber que o Bradesco foi, no último trimestre, a segunda empresa com maior lucro registrado na Bovespa, ficando atrás somente do banco Itaú, outra joia do setor bancário brasileiro.

Além disso, o Bradesco carrega consigo também o mérito de apresentar a segunda maior rentabilidade dentre os bancos dos Estados Unidos e da América Latina – novamente atrás somente do Itaú.

Não bastasse, outro dos motivos para o interesse na associação com este banco são os dividendos que a mesmo proporciona a seus sócios, sendo inclusive, a primeira empresa do setor financeiro a distribuir dividendos todo mês para os seus acionistas.

O montante desses proventos, por ação, como pode-se perceber abaixo, vem sendo contínuo e crescente ao longo dos anos, o que nos deixa ainda mais atraídos pela companhia.

Fonte: Economática

 

Entretanto, o que não gostamos na empresa, nesse momento, é do seu preço, isto por que o seu papel preferencial – BBDC4 – fechou o pregão de ontem cotado à R$ 37,12.

Conforme pode-se facilmente perceber acima, em meados de janeiro de 2016, uma janela interessante de oportunidade de compra deste ativo surgiu para o mercado.

Essa evidencia demonstra que, realmente, o Brasil é um mercado de oportunidades para investidores de valor e, por conta disso, seguiremos aguardando por outro momento de estresse que contribua para a geração de demais possibilidades de aquisição deste banco.

Comentários

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

©2017 SUNO RESEARCH | Investimentos inteligentes

[i]
[i]
[i]
[i]

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account