Por: Tiago Reis

Radar do Mercado: BRF (BRFS3) – Eleito novo CEO, Pedro Parente terá muitos desafios a serem superados

A BRF comunicou ontem (14) aos seus acionistas e ao mercado em geral que, em reunião realizada na mesma data, o seu Conselho de Administração aprovou, por unanimidade, a indicação do Sr. Pedro Pullen Parente para o cargo de Diretor Presidente Global da companhia (Global Chief Executive Officer – CEO Global), o qual estava vago desde o último dia 23 de abril, e vinha sendo ocupado, interinamente, pelo seu Diretor Vice-Presidente Financeiro e de Relações com Investidores.

No mesmo comunicado, a companhia informou que seu Conselho de Administração também aprovou, na mesma reunião, a criação do cargo de Diretor Presidente Global de Operações (Global Chief Operating Officer – COO Global), que será ocupado por Lorival Nogueira Luz Junior. Essa mudança entra em vigor na data da posse, pelo Sr. Pedro Pullen Parente, na posição de CEO Global da BRF.

“O COO Global terá responsabilidade primária sobre a gestão operacional da companhia, se reportando diretamente ao CEO Global”, finalizou a BRF em seu comunicado.

 

Em relação à nomeação de Pedro Parente para o cargo de CEO da BRF, é preciso ressaltar que, por conta de o executivo ter ocupado cargo em sociedade de economia mista (CEO da Petrobras), será necessário que Parente tenha a autorização da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, no que tange à existência de conflito de interesses entre o cargo anterior e o cargo de CEO Global da BRF.

Caso a Comissão conclua pela inexistência de conflito, e tão logo seja informado da decisão, o Sr. Pedro Pullen Parente tomará posse no cargo de CEO Global da BRF.

Isto posto, e efetivada a posse, Parente acumulará os cargos de Presidente do Conselho de Administração e Diretor Presidente Global por um período inicial de cento e oitenta dias, conforme previsto no Estatuto Social da companhia e conforme autoriza o regulamento do Novo Mercado.

Ainda, conforme destacado pela BRF, durante o período em que for o CEO Global da BRF, o Sr. Pedro Pullen Parente priorizará o processo de planejamento estratégico e financeiro, cuidará diretamente da preparação de seu sucessor e liderará o processo de reorganização da companhia, em especial o preenchimento de posições chaves e questões ligadas à sua governança.

Também nesse período, a atribuição relativa à elaboração da pauta das reuniões do Conselho de Administração da companhia será exercida pelo Vice-Presidente do referido Conselho, Sr. Augusto Marques da Cruz Filho.

É fato que Parente terá, pela frente, uma situação bastante desafiadora a ser superada, no que tange o operacional da companhia e também na superação de episódios que transpareceram o âmbito empresarial e foram comentados, inclusive, em assuntos de caráter criminal.

Vale lembrar, nesse sentido, que há pouco mais de três meses, com a ajuda de documentos obtidos por meio de uma ação trabalhista, investigadores da Polícia Federal (PF) denunciaram que a companhia adulterava resultados de análises relativas à presença de salmonela em seus produtos.

O objetivo, segundo a investigação, era burlar a fiscalização sanitária e continuar exportando para destinos que têm uma tolerância menor à presença da bactéria na proteína, afirmaram delegados e representantes do Ministério da Agricultura, durante coletiva sobre a 3ª fase da Operação Carne Fraca.

A salmonela, comum em carnes, é permitida para comercialização até determinados níveis e não é necessariamente é nociva à saúde se a carne for cozida adequadamente.

Porém, 12 importadores têm uma exigência mais elevada em relação à presença da bactéria e, neste sentido, estes mercados colocam isso como requisito de restrição para a compra do produto e podem devolver os lotes, caso o nível não seja atendido.

Entre os destinos, estão a União Europeia, China, Coreia do Sul, Arábia Saudita, Rússia e África do Sul.

Geraldo Samor, jornalista do Brazil Journal, escreveu uma matéria bastante esclarecedora sobre o fato, que inclusive sucumbiu na prisão, na época, de Pedro Faria, ex-CEO da BRF.

Com esses escândalos na mídia, as ações da BRF (BRFS3) apresentam um cenário de queda bastante acentuado nos últimos meses.

Cotação BRFS

É sempre desafiadora a situação de uma empresa que apresenta escândalos dessa magnitude divulgados na mídia de maneira bastante intensa, tendo executivos presos e sendo impactadas com medidas e punições com possuem caráter de alterar significativamente as suas receitas operacionais.

Além disso, com a conjuntura atual da companhia apresentando desafios que fogem de seu campo de atuação impactando diretamente no seu operacional, fica bastante coerente recomendarmos a não participação na BRF a nossos assinantes por tempo indeterminado.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

208 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs
navigation

Conteúdo Gratuito

Radar do
Mercado

Os principais fatos relevantes do mercado, comentados no seu e-mail diariamente

Você quer receber os melhores conteúdos para Investir?

A Suno está criando novos conteúdos para melhorar os seus investimentos, e você pode nos ajudar respondendo uma pesquisa de 2 minutos!

Sem Título-1
Frame

NÃO VÁ EMBORA AINDA...

Inscreva-se e receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!