O Banco Inter comunicou ao mercado na última sexta-feira (16) que a agência de classificação de risco de crédito Fitch Ratings, elevou o Rating Nacional de Longo Prazo do Banco Inter, de ‘BBB(bra)’ para ‘BBB+(bra)’ com Perspectiva Positiva.

De acordo com o relatório da Fitch, a elevação do rating reflete a consolidação do modelo de negócios, além da melhora dos resultados e do fortalecimento da base de capital, em decorrência, principalmente, da abertura de capital da companhia ocorrida neste ano.

 

Ainda em relação ao comunicado de elevação do rating acima destacado pelo Banco Inter, é interessante adicionar, também, que no mesmo relatório emitido pela agência, a mesma afirmou que o Banco Inter tem se beneficiado da estratégia de venda cruzada de diversos produtos oferecidos, o que elevou suas receitas de serviços e proporcionou maior capilaridade à distribuição de seus produtos de crédito, serviços e investimentos à base de investidores.

Dessa forma, ainda de acordo com a agência, o Banco Inter reduziu a dependência de terceiros na distribuição de seus produtos de investimentos, ao mesmo tempo em que reduziu seu custo de captação.

Os analistas destacaram, também, que o banco tem se posicionado acima da média de seus pares em termos rentabilidade, qualidade de ativos e capitalização, além do fortalecimento do perfil de captação, reportando crescimento forte nos volumes de depósitos de varejo por meio de sua plataforma digital – “estratégia na qual tem sido bem-sucedido, com foco no desenvolvimento de uma base de captação própria, com perfil pulverizado e de baixo custo”, ressaltaram.

Em nossa visão, essa pode ser interpretada como mais uma notícia positiva para esse banco que, por operar majoritariamente através de plataformas digitais, possui os seus custos operacionais bastante reduzidos em relação aos grandes e tradicionais bancos atuantes no mercado brasileiro.

Avaliamos, com isso, que o Banco Inter possui, ainda, uma vantagem competitiva considerável frente aos principais atuantes de seu segmento de atuação.

Vale lembrar que, desde 1994, o Banco Inter se caracteriza por percorrer uma trajetória de inovação e crescimento, sendo o primeiro banco 100% digital do país e o único a oferecer uma conta totalmente isenta de tarifas.

Atuando com esse diferencial, acreditamos que essa é a porta de entrada dos seus clientes para uma completa plataforma digital de serviços e, por consequência, para o crescimento exponencial do seu número de correntistas.

Por conta disso, entendemos que essa companhia ainda possui bastante para entregar a seus acionistas em termos de geração de valor, embora seja ainda muito recente na bolsa e possuir, até esse momento, um valor de mercado ainda “pouco expressivo” (cerca de R$ 3,5 bilhões) quando comparado a seus pares no setor bancário brasileiro.

Seguimos apreciando o Banco Inter, embora acreditemos que o seu atual preço de cotação (BIDI4 sendo negociado a R$ 35,17 no fechamento do pregão de sexta-feira), nesse momento, não proporcione uma margem de segurança a qual gostaríamos de nos submeter.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.