A Alupar Investimento divulgou ontem (13) os seus resultados do 2T18 e, no período, a companhia e suas subsidiárias registraram uma Receita Líquida Ajustada de R$ 377,6 milhões, 5,0% superior aos R$ 359,8 milhões registrados no 2T17. Quando analisada a Receita Líquida da companhia, verifica-se que, no 2T18 totalizou R$ 410,7 milhões, 10,1% superior aos R$ 373,0 milhões registrados no 2T17.

Contudo, esse aumento na Receita Líquida, superior ao aumento na Receita Líquida Ajustada, deve-se, exclusivamente, pelo fato de que, de acordo com as normas do IFRS, todo volume de investimentos (Capex) efetuados pelas suas empresas de transmissão são contabilizados como receita.

Em contrapartida, por se tratar de investimentos e não ter nenhum efeito no resultado da Alupar, o mesmo valor da receita é excluído no custo – Custo de Infraestrutura.

Dessa forma, desconsidera-se esse efeito nas receitas da companhia por razões analíticas, conforme detalhado abaixo:

Após os custos e despesas operacionais, o Ebitda da Alupar totalizou R$ 293,9 milhões no período, 12,0% superior aos R$ 262,4 milhões registrados no 2T17. A Margem Ebitda Ajustada, atingiu 77,8%, 4,9 p.p superior aos 72,9% registrados no 2T17.

Já no tocante ao resultado financeiro, a Alupar apresentou um resultado de que totalizou R$ (58,9) milhões no 2T18, ante os R$ (75,3) milhões registrados no mesmo período do ano anterior.

Esta variação no resultado financeiro foi proveniente da redução de R$ 25,8 milhões nas despesas financeiras, em razão da:

– Queda de R$ 2,8 milhões na Alupar – Holding, decorrente da quitação da IV emissão de debêntures, montante de R$ 150,0 milhões, em fev/18;

– Redução da taxa de juros de longo prazo (TJLP), que incide sobre 25% da dívida consolidada, que estava em 7,0% a.a, ao longo do 2T17, para 6,60% a.a ao longo do 2T18;

– Redução da taxa média dos depósitos interfinanceiros (CDI), o qual incide sobre 30% da dívida consolidada, que registrou 1,56% no acumulado do 2T18, ante os 2,50% no acumulado do 2T17;

Consequentemente, o lucro líquido da companhia totalizou R$ 84,6 milhões, 61,9% superior aos R$ 52,3 milhões registrados no 2T17.

Ainda, a dívida bruta consolidada da Alupar e suas subsidiárias totalizou R$ 4.298,8 milhões no 2T18, R$ 464,4 milhões inferior aos R$ 4.763,2 milhões apurados em dez/17.

Já as suas disponibilidades totalizaram R$ 1.554,6 milhões, ante os R$ 2.074,5 milhões registrados em dez/17.

Com isso, a dívida líquida registrada no 2T18 foi de R$ 2.744,2 milhões, ante os R$ 2.688,6 milhões registrados em dez/17.

Pode-se perceber, acima, que a dívida de curto prazo da Alupar registrada no 2T18 totalizou R$ 902,7 milhões, R$ 188,7 milhões inferior aos R$ 1.091,4 milhões registrados em dez/17.

Assim sendo, o perfil de dívida consolidada da Alupar é bastante alongado, compatível com a natureza de baixo risco de negócios da companhia, alta previsibilidade de receitas e forte geração de caixa operacional dos segmentos de transmissão e geração de energia elétrica.

Por fim, concluímos que os resultados da companhia se mostraram em linha com o esperado, muito por conta da Alupar em um segmento que apresenta características bastante conservadoras no horizonte do longo prazo.

Ademais, é interessante lembrar que a Alupar Investimento é uma holding de controle nacional privado que atua nos segmentos de transmissão e geração de energia elétrica, e que tem como objetivo a construção e operação de projetos de infraestrutura relacionados ao setor de energia no Brasil e em países selecionados da América Latina, que apresentam estabilidade econômica, institucional e regulatória.

Assim sendo, seguimos com nosso posicionamento em relação à Alupar, muito por conta de entendermos que a mesma possui grande competência técnica, forte disciplina financeira e responsabilidade social para continuar com o seu crescimento sustentável através do desenvolvimento de projetos de geração e sistemas de transmissão.

Esperamos que, após os projetos da empresa se tornarem operacionais nos próximos anos, e a empresa, naturalmente, se desalavancar, possibilitando um grande fluxo de caixa livre, ela passe a entregar ótimos dividendos aos seus acionistas, e, obviamente, até lá, as ações também devem apresentar boas valorizações, refletindo o crescimento da empresa.

No mais, por se tratar de uma empresa que possui uma gestão que tem se mostrado muito competente ao longo de sua história, além de estar inserida, majoritariamente, num setor de que gostamos muito, apresentar números saudáveis e apresentar um grande potencial de crescimento nos próximos anos, avaliamos que Alupar é uma ótima opção de investimento em ações para aqueles investidores que desejam ter acesso a um bom potencial de retorno, com baixo risco.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.