Preço do petróleo barril

O petróleo é uma commodity (mercadoria de baixa industrialização). Por isso, o preço do petróleo é ajustado de acordo com a lei da oferta e demanda mundial.

Juntos, os três maiores países produtores de petróleo representam 40% do mercado mundial. Sendo assim, o preço do petróleo é influenciado fortemente por essas nações.

Porém, o que mais influência o comportamento do preço do petróleo é o estoque dos grandes países consumidores, e a variação deste impacta severamente os preços dessa commodity. Para se ter uma ideia, de 2014 a 2016, os estoques de petróleo cru aumentaram substancialmente devido ao aumento da produção. Isso fez com que o preço da commodity despencasse.

Contudo, após passado esse período, já em 2017, os estoques de petróleo cru reduziram drasticamente. Tal fato se deu devido uma forte demanda gerada pela economia mundial aquecida.

Podemos observar isso no gráfico abaixo, onde, com o aumento da demanda e redução dos estoques, o preço do barril seguiu para uma tendência de alta.

Preço do petróleo gráfico

Outro fator que influenciou a retomada do movimento de alta nos preços foi o corte de produção da Rússia e da OPEP – Organização dos Países Produtores e Exportadores.

Riscos geopolíticos

O mercado de petróleo sempre acompanha o risco de perturbações no suprimento da commodity em nível mundial. Por isso, cada perturbação pode desencadear um desequilíbrio de abastecimento.

Em 2018, um risco imediato era de que o então presidente Donald Trump abandonasse o acordo nuclear com o Irã. De fato, isso poderia replicar em sansões que vigorariam contra a exportação de petróleo do país do oriente médio.

Preço do petróleo barril

A Venezuela é outro grande produtor. Viu sua demanda cair mais de 500 mil barris de petróleo por dia devido sua crise interna.

Contudo, a produção do país latino pode cair ainda mais. Isso acontecerá se os EUA colocarem em vigor as prometidas sansões adicionais ao atual governo de Nicolas Maduro.

Fundos de Hedge

Os fundos de hedge lastreados em petróleo, que servem como forma de proteção de capital investido, atraem muitos especuladores quando as tensões geopolíticas são acirradas.

A expectativa é de que o preço dispare caso algum desequilíbrio maior aconteça no mundo.

Portanto, os investidores passam a construir posições compradas em contratos futuros de petróleo cru, no intuito de se proteger de solavancos originados pelas tensões geopolíticas.

Preço do petróleo Brasil

A estratégia dos grandes países produtores do mundo determina a variação do preço do ouro negro.

No jogo mundial do petróleo, geopolítica e estratégia dos grandes produtores movem as peças do tabuleiro.

Antes do início da retomada da alta, a Petrobras adotou, no início de 2016, uma política de variação dos preços do petróleo baseada nas variações do mercado internacional.

Preço do petróleo refinaria

À época, a empresa explicava que os ajustes seriam baseados na paridade com o mercado externo, e que as revisões de preço seriam feitas ao menos uma vez por mês.

A partir desse contexto, a Aepet (Associação dos engenheiros da Petrobras) fez algumas considerações:

  • A política de preços de Temer é melhor para a Petrobras?
  • Quem ganha com a atual política de preços dos combustíveis?
  • A Petrobras ganha com preços mais elevados no mercado interno?

A associação já alertava que, com a ociosidade das refinarias brasileiras e a entrega de sua participação no mercado de combustíveis, perde a maioria dos brasileiros.

Portanto, com os preços dos combustíveis mais altos, seguindo o preço do petróleo no mercado internacional, abre-se espaço para importação por concorrentes, fazendo com que os brasileiros paguem caro pelo combustível que move nossa economia.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.