pleno emprego

Você sabia que atingir o pleno emprego é o objetivo de muitas instituições que controlam as economias dos países?

Em alguns casos a meta de atingir o pleno emprego é atribuída ao governo executivo. Em outros casos, como nos Estados Unidos, este missão é atribuída ao banco central do país, o FED.

O pleno emprego é o nome que se dá ao estágio da economia em que todos que buscam um emprego, ou seja, a população economicamente ativa, conseguem encontrar uma ocupação em um curto espaço de tempo e com relativa facilidade. É importante ressaltar que este conceito não significa que o índice de desemprego estará em 0%.

Isto ocorre por causa do desemprego friccional, cujo conceito será explicado mais adiante.

O desemprego friccional e o pleno emprego

desemprego friccional e o pleno emprego

Como especificado anteriormente, o pleno emprego ainda apresenta um pequeno número de desempregados. Este índice representa o desemprego friccional, referente à parcela da economia que está trocando de trabalho.

Ou então trabalhadores que aguardam melhores ofertas de emprego. Fato é que esses trabalhadores poderiam estar empregados, mas aguardam por melhores oportunidades, ou estão apenas temporariamente desempregados. Ou seja, eles não estão desempregados por conta da situação econômica do país.

Os economistas concordam que uma certa taxa de desemprego friccional é saudável para a economia.

Isto ocorre pois esses trabalhadores garantem uma oferta para caso as empresas precisem expandir a sua produção. Bem como mostra que há trabalhadores buscando melhores ofertas, ou seja, os salários podem estar se elevando, o que costuma ser bom para a economia.

Não existe uma taxa definitiva a qual é considerada o percentual do pleno emprego. Porém, a maioria dos economistas apontam que esta seria uma taxa entre 3% e 6%.

É importante considerar que esta taxa é mais apropriada para países desenvolvidos.

O pleno emprego nos EUA

A maioria dos estudos a respeito do índice de desemprego se dão nos EUA.

O pleno emprego nos EUA já foi atingido em algumas ocasiões.

Como é de esperar, as menores taxas de desemprego são atingidas em momentos de crescimento econômico.

Nesses momentos as empresas buscam cada vez mais trabalhadores para expandir a sua produção.

Sendo assim, é comum que quem busca um trabalho o consiga rapidamente. O desemprego, assim como a economia em geral, é cíclico.

Observe na imagem abaixo como a taxa de desemprego americana oscilou nos último anos.

Preste atenção, principalmente, nos anos de:

  • 2008
  • 2010
  • 2017
taxa de pleno emprego nos EUA

Fonte: IndexMundi

Veja que, antes da crise financeira de 2008, os Estados Unidos viviam um momento de baixíssimo desemprego.

Então, a partir de 2008, houve um surto no aumento de desempregados. Este índice atingiu o seu ápice no ano de 2010, a partir de então, começou a recuar.

Observe que, em 2017, o país já se encontrava novamente em uma situação muito saudável no ambiente empregatício.

Em 2018, inclusive, o país teve a sua taxa de desemprego registrada em 3,7%. Esta foi a menor taxa desde o ano de 1969. Portanto, pode-se dizer que a economia americana atingiu novamente uma situação de pleno emprego. Esta situação, obviamente, costuma ser benéfica para todos na economia. Já que as empresas podem expandir a sua produção, as pessoas possuem emprego e ainda possuem renda para consumir.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.