nota de corretagem

Você já teve em mãos uma nota de corretagem?

Sabia que a nota de corretagem pode te ajudar a controlar seus ganhos financeiros e mostrar qual é seu lucro líquido?

Isso porque a nota de corretagem funciona como uma espécie de extrato bancário. No entanto, em vez de demonstrar o que ocorre em sua conta corrente, ele traz as informações sobre as movimentações das suas ações.

É possível compará-la com uma espécie de nota fiscal do investimento, por assim dizer, uma vez que ela tem muitas características de um recibo de compra.

Quem já investe e ainda não parou para analisar este documento está perdendo uma boa oportunidade de entender melhor o que acontece na sua carteira.

Conhecimento é a ferramenta mais importante para nos ajudar a chegar mais longe e ampliar nossos retornos.

Então solicite suas notas de corretagem e veja quais dados extrair delas e como eles podem beneficiá-lo.

Como funciona a nota de corretagem

nota de corretagem

Este documento é importante no controle financeiro do investidor. Até porque, na nota de corretagem ele pode ver as operações que realizou na data solicitada.

Isso inclui tanto o valor de compra e venda, quanto especificidades como gastos com corretagem e lucros casuais.

Sobre os gastos de corretagem, lembre-se que existem duas principais mais comuns de taxação, a corretagem fixa e corretagem variável, e, em ambos os casos, o valor é recolhido direto na fonte.

A nota de corretagem informa ainda o preço das ações quando elas foram adquiridas, para que o investidor veja se obteve lucro, prejuízo e se vale a pena vendê-las neste momento.

A nota de corretagem deve ser solicitada junto à sua corretora ou banco de investimentos. Muitas vezes é possível obtê-la online, pelo site ou aplicativo da empresa.

Notas de corretagem e Imposto de Renda

nota de corretagem

Todo investidor precisa saber o quanto de imposto incide sobre os lucros das suas aplicações. Para tornar esse cálculo mais fácil, é importante acompanhar as movimentações diárias de seus investimentos.

Como cabe a ele fazer o recolhimento e o pagamento deste imposto, as informações presentes podem te ajudar a fazer este cálculo corretamente.

Somente após fazer – e checar – esta conta é que deve-se emitir o Documento de Arrecadação de Receitas Federais, popularmente conhecido como DARF.

Vale lembrar que os investimentos em renda fixa têm um funcionamento diferente, podendo ser tributados direto na fonte ou ainda sendo isentos do Imposto de Renda.

Os rendimentos tributados diretamente na fonte são calculados com taxa regressiva. Ou seja, quanto maior o tempo do investimento, menor será o imposto cobrado sobre o lucro que ele gerar.

Já as aplicações isentas de Imposto de Renda são:

  • Debêntures incentivadas,
  • Letra de Crédito Imobiliária (LCI)
  • Letra de Crédito do Agronegócio (LCA),
  • Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), e
  • Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA).

Assim, tome cuidado para não pagar imposto a mais ou a menos e ficar em dívida com a Receita Federal.

Viu como as notas de corretagem são úteis? Quem ainda tiver o IR sobre seus investimentos, pode baixar aqui o eBook preparado pela Suno Research que explica como este tributo funciona.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.