Acesso Rápido

    Entenda como funciona a precificação através do markup

    Entenda como funciona a precificação através do markup

    De nada adianta uma empresa oferecer um ótimo produto, ou prestar um serviço de altíssima qualidade, e não cobrar o preço justo por ele. Da mesma forma, se o valor cobrado estiver muito acima da média do mercado, e o produto ou serviço oferecido for semelhante ao da concorrência, a empresa não terá nenhum cliente disposto a pagá-lo. Por isso, as empresas precisam sempre fazer uma precificação que ao mesmo tempo garanta a lucratividade do negócio e que seja competitiva em relação ao mercado. Nesse sentido, um dos cálculos mais utilizados para chegar ao preço mais adequado é conhecido como markup.

    Mesmo existindo vários métodos distintos para definir qual preço cobrar, cada um com sua particularidade e aplicações diferentes, muitos consideram o markup a ferramenta de precificação mais objetiva a disposição dos gestores de uma empresa.

    O que é o markup?

    Markup ou é um índice que mostra quanto o preço de um bem está acima do seu custo de produção e distribuição. Ou seja, através do markup, a empresa consegue definir qual será a precificação de seus produtos e serviços – já que o indicador demonstra a diferença entre o que a empresa gastou para produzi-lo e quanto ela irá faturar quando vendê-lo.

    Dentro do processo de precificação, o markup surge após a soma das despesas fixas e variáveis de produção e os custos de venda (distribuição, comercialização e divulgação) de um produto ou serviço. Após isso, é acrescentada a margem de lucro que se pretende atingir para encontrar o markup. Logo, para encontrar o preço de venda, multiplica-se o markup pelo custo primário do item.

    O índice de markup mais adequado irá variar muito de acordo com perfil de cada negócio e com o seu respectivo setor de atuação. Portanto, não existe um valor ideal para o markup – já que cada empresa precisa encontrar qual o valor mais adequado para a situção de mercado em que se encontra.

    Como o mark-up é calculado?

    Em termos gerais, o markup será um percentual multiplicado sobre o custo total do produto ou serviço para formar o preço de venda. Ou seja, a método consiste em acrescentar uma margem de lucro ao custo unitário de cada bem a ser vendido.

    Logo, a fórmula do markup é a seguinte:

    • Markup = (Despesas gerais + Comissões + Tributos + Lucro desejado)

    Dessa forma, o preço de venda seria calculado da seguinte forma:

    • Preço de venda = Custo primário + Markup

    Para entender melhor, suponha a precificação de um produto vendido em uma loja, por exemplo:

    • Custo de compra do produto = R$ 100;
    • Despesas gerais = 9% do preço de venda;
    • Comissões de venda = 6% do preço de venda
    • Impostos diretos sobre a venda = 25% do preço de venda;
    • Margem de lucro desejada: 22% do preço de venda.

    Com isso, a precificação do produto será:

    • Markup: (9% + 6% + 25% + 22%) x 100 = (62%) x 100 = 62,00
    • Preço de venda = 100 + 70,00 = R$ 162,0o

    Por que fazer uma precificação correta é tão importante?

    Estabelecer um bom markup para seu produto ou serviço é a etapa mais crucial dentro de um processo de vendas. Logo, por ser essencial para manter a sustentabilidade do negócio, a precificação precisa estar, antes de tudo, adequada com a realidade contábil da empresa. Ou seja, o valor cobrado precisa ser alto para gerar lucro para a empresa – mas ao mesmo tempo competitivo estimular os clientes a fazerem compras.

     

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    3 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Alexandre 31 de agosto de 2019

      Me deixou confuso duas coisas. Por que a somatória do Markup: (9% + 6% + 25% + 22%) x 100 = (70%) deu o resultado 70%? A somatória era para dar 62%. A segunda coisa é, por que o Preço de venda = 100 + 70,00 = R$ 160,0o o resultado final deu R$160,00 em vez de R$170,00 que é o resultado da somatória? Por favor, me esclareça essa dúvida porque fez uma confusão na minha mente. Obrigado!

      Responder
      • Rodrigo 2 de junho de 2020

        Também fiquei com a mesma dúvida do Alexandre. Poderiam me esclarecer, por favor? Obrigado.

        Responder
        • Suno Research 2 de junho de 2020

          Olá Rodrigo,

          Obrigado pela observação. O artigo estava com os detalhes errados, realmente. Já corrigimos.

          Abraços.

          Responder