Por: Tiago Reis

Liquidez diária: conheça as melhores aplicações com resgate imediato

Na hora de realizar um investimento em renda fixa, um dos pontos mais observados pelos investidores é se o título possui liquidez diária. Afinal, grande parte dos investidores não se sentem confortáveis com aplicações que prendem o dinheiro por um determinado período de tempo.

Para essas pessoas, e para aquelas que pretendem constituir reservas financeiras, de fato, o melhor é optar por um investimento com liquidez diária. Isso porque essas aplicações garantem a remuneração do capital aliada à liberdade para retirar o dinheiro aplicado quando o investidor quiser.

O que é liquidez diária?

A liquidez diária é a capacidade de transformar uma aplicação financeira em dinheiro a qualquer momento, sem que ele perca seu valor corrente. Ou seja, neste tipo de aplicação, o investidor consegue pedir e realizar o saque do seu dinheiro com muita facilidade, recebendo a quantia investida em no máximo 24 horas.

Isso significa que com a liquidez diária o investidor possui total controle sobre o seu capital, podendo decidir livremente por quanto tempo quer manter a aplicação. Além disso, se aparecer alguma emergência, ele poderá retirar o dinheiro a qualquer momento, sem que seus rendimentos sejam prejudicados.

Planilha de Controle de Investimentos

Faça o controle completo das suas ações, FIIs e todos os seus investimentos com a nossa planilha gratuita de Controle de Investimentos!

Por isso, destaca-se que os títulos com liquidez diária permitem que o investidor resgate seu dinheiro sem grandes restrições. Sendo que a única condição necessária é que o pedido de saque aconteça em um dia útil.

Além disso, outro requisito para o saque diário é que o pedido seja realizado durante o horário de funcionamento do banco ou da instituição financeira. Entretanto, vale destacar que alguns títulos específicos podem limitar o valor a ser retirado por dia.

E antes de passar para outros tópicos sobre a liquidez diária, é importante que todo investidor saiba como funciona o resgate de um investimento e quais são as possibilidades de saque.

Como funciona o resgate de uma aplicação?

Para entender as particularidades da liquidez diária, é preciso compreender, primeiramente, como funciona o resgate de uma aplicação. Afinal, essa operacionalização é a responsável pelas características das aplicações com alta liquidez financeira.

Em primeiro lugar, é preciso entender que o recurso aplicado por um investidor em um investimento de liquidez diária não fica parado. Na verdade, o recurso investido é utilizado pela emissora do título para realizar, por exemplo, novos empréstimos.

Então, um banco pode captar recursos por meio de um CDB (Certificado de Depósito Bancário) de liquidez diária para financiar seus clientes em empréstimos. Com isso, o banco lucra com o spread entre o juros que paga e o juros que recebe. Por exemplo:

  • Juros oferecidos pelo CDB de liquidez diária: 100% do CDI;
  • Juros cobrados de devedores: 250% do CDI;
  • Spread bancário: 150% do CDI.

Neste caso, o banco captou recursos a 100% do CDI no CDB de liquidez diária e realizou empréstimos a 250% do CDI. Contudo, o spread de 150% não é o lucro do banco! Afinal, existe a possibilidade de inadimplência e ainda a questão dos resgates dos investidores.

Guia de Investimento em Renda Fixa

Invista com segurança e rentabilidade: baixe gratuitamente o nosso ebook e conheça as principais opções de investimento em Renda Fixa!

Nesse sentido, como o CDB do exemplo é de liquidez diária, é plenamente possível e provável que os investidores peçam o resgate do valor investido. Neste caso, o banco não poderá solicitar o dinheiro emprestado aos seus clientes para pagar aos investidores do CDB. Afinal, os empréstimos, via de regra, possuem prazos bem definidos.

Então, o banco precisa captar um recurso muito grande para emprestar apenas uma fração dele, justamente para que a instituição tenha capacidade de cumprir com os pedidos de resgate. E por precisar captar mais recursos em CDBs de liquidez diária para realizar os empréstimos, o juro oferecido nessas aplicações tende a ser menor do que nos títulos com liquidez no vencimento.

O que é liquidez no vencimento?

Como foi colocado, o juro oferecido nas aplicações de liquidez diária será sempre menor do que nos investimentos com liquidez no vencimento. Mas afinal, o que é liquidez no vencimento?

Esse tempo simplesmente significa que o recurso captado na aplicação ficará disponível, com liquidez, no vencimento da aplicação. Ou seja, apenas no vencimento do título é que o investidor poderá receber o seu capital de volta corrigido pelos juros, ao contrário, obviamente, das aplicações de liquidez diária.

Contudo, a liquidez no vencimento tem uma vantagem, que é a maior rentabilidade financeira. Isso porque, ao captar recursos em aplicações com liquidez no vencimento, o banco tem a possibilidade de realizar empréstimos com a totalidade do capital levando com a aplicação de investidores.

Afinal de contas, o banco não terá que satisfazer, ao longo do tempo, pedidos de resgate de investidores, como acontece nas aplicações de liquidez diária. Então, o lucro do banco com esse tipo de operação costuma ser maior, e parte desse retorno superior é repassado aos investidores que se dispõe a aplicar nos títulos com liquidez no vencimento.

Por que a liquidez é importante?

liquidez diária

Uma dúvida muito frequente de investidores que estão começando a buscar por títulos de renda fixa diz respeito a seguinte pergunta: por que a liquidez é importante? E por que tantos investidores levam isso em consideração antes de investir?

Neste sentido, vale destacar que existem determinadas aplicações que carecem da possibilidade de resgate imediato. Afinal, o investidor pode precisar do recurso a qualquer momento, o que demanda a chance de ter acesso ao capital investido imediatamente.

Este é o caso, por exemplo, daqueles que procuram aplicações de liquidez diária para reserva de emergência ou para uma reserva de oportunidade. A seguir, a importância da liquidez para esses dois tipos de aplicações.

Liquidez diária para reserva de emergência

A primeira aplicação que precisa, necessariamente, da liquidez diária é a reserva de emergência. Sendo que esse investimento é aquele em que o investidor poupa um determinado recurso para satisfazer eventos extraordinários, como:

  • Batida de carro;
  • Problemas de saúde;
  • Reformas inesperadas;
  • Perda de um emprego.

Esses são apenas alguns exemplos, mas existem diversas possibilidades de eventos extraordinários que podem acontecer, demandando do indivíduo uma quantia de dinheiro inesperada, a qual ele não se programou para satisfazer.

Portanto, para evitar dor de cabeça, o ideal é que todos tenham uma reserva de emergência separada especialmente para momentos financeiros extraordinários. E, neste caso, é preciso ter liquidez diária para reserva de emergência.

Afinal de contas, emergências não aguardam pela liquidez no vencimento de um título. Isto é, elas não vão esperar a liberação do recurso de uma determinada aplicação com baixa liquidez para acontecerem. Por isso, o investidor deve ter os recursos disponíveis em aplicações líquidas, onde o saque do capital possa ser realizado diariamente, com facilidade.

Liquidez diária para reserva de oportunidade

Outra aplicação que precisa de uma maior liquidez é a reserva de oportunidade. Basicamente, essa reserva serve para o investidor manter uma quantia de recursos disponíveis para aproveitar oportunidades de investimento que possam surgir.

Por exemplo, quedas expressivas na bolsa de valores, em dias de Circuit Breaker, os quais podem fazer com que o preço de algumas ações fiquem atrativos frente ao valor que possuem. Neste caso, aqueles investidores com reservas de oportunidade pode, obviamente, aproveitar do momento para realizar investimentos pagando um bom preço por isso.

Vale destacar, contudo, que é fundamental ter liquidez diária para reserva de oportunidade. Afinal, grandes oportunidades, logicamente, não costumam durar por muito tempo. Por isso, o investidor deve manter sua reserva em aplicações com alta liquidez para ser capaz de resgatar o montante com facilidade e investir em outros ativos oportunos.

Qual a relação entre liquidez e rentabilidade?

liquidez diária

Uma questão que muitos investidores, principalmente os iniciantes, não compreendem tão bem diz respeito a qual a relação entre liquidez e rentabilidade. Ou seja, o porquê os títulos de menor liquidez possuem maior retorno e o motivo pelo qual aqueles com maior liquidez possuem menor retorno.

Basicamente isso acontece porque as instituições emissoras dos títulos de liquidez diária não captam os recursos para deixá-los parados no caixa . Na verdade, elas utilizam o capital levantado para realizar empréstimos para terceiros.

Isso significa que ao emitir títulos de liquidez diária, a instituição emissora não pode contar com todo o recurso captado para emprestar aos seus clientes. Afinal, se algum dos investidores solicitar o resgate, a instituição não tem como solicitar dos seus devedores o recurso emprestado de maneira imediata (os empréstimos possuem prazos de pagamento).

Com isso, a instituição emissora de um título de renda fixa de liquidez diária normalmente capta um grande montante de recurso para financiar uma pequena parte desse capital para terceiros, justamente para conseguir satisfazer os eventuais pedidos de resgate.

Por conta disso, logicamente, o custo desse montante maior de recurso deve ser menor. Sendo que isso se reflete diretamente na rentabilidade inferior das aplicações com liquidez diária.

Por fim, outras questões que impactam e que relacionam a rentabilidade das aplicações de liquidez diária são:

1. Risco de liquidez

O risco de liquidez é um dos tipos de risco que determinada aplicação pode ter. Resumidamente, ele representa o nível de dificuldade que determinado investidor teria de transformar o seu ativo em dinheiro.

Quanto maior essa dificuldade e quanto menor a facilidade de transformar o ativo em dinheiro, maior o risco de liquidez da aplicação. E quanto maior o risco, maior também o retorno financeiro do investimento.

No caso das aplicações de liquidez diária, o risco de liquidez é muito baixo. Afinal de contas, há uma grande facilidade de transformar o ativo investido em dinheiro. Por isso, são aplicações com pouco risco de liquidez, o que é refletido também, obviamente, em um menor retorno.

Aprenda como analisar uma ação

2. Risco de crédito

O risco de crédito é outro risco que toda aplicação de renda fixa possui e que impacta diretamente o rendimento do investimento. Sendo que isso também se aplica, claro, às aplicações com liquidez diária.

Basicamente, o risco de crédito representa a probabilidade do devedor não conseguir arcar com o pagamento da quantia que recebeu do seu credor. Em outras palavras, e de maneira mais simples, é a possibilidade de calote, quando o devedor não é capaz de pagar a dívida.

Isso significa que emissores de títulos de liquidez diária com situação financeira pior possuem, obviamente, maior risco de calote. Por isso, possuem também um maior risco de crédito, o que é refletido na maior remuneração de suas aplicações.

Por outro lado, emissores de títulos que possuem balanço patrimonial sólido e uma boa saúde financeira possuem, por sua vez, uma menor chance de dar o calote, porque têm um menor risco de crédito. Assim, suas aplicações também oferecem uma rentabilidade inferior para compensar o risco mais baixo.

Investimentos com liquidez diária

liquidez diária

Depois de conhecer mais sobre essa característica de liquidez das aplicações de renda fixa, muitos investidores podem ter interesse de conhecer algumas das possibilidades de investimentos com liquidez diária disponíveis no mercado.

E, neste sentido, as principais aplicações com liquidez diária são:

Tesouro Selic

A primeira aplicação com liquidez diária disponível no mercado é o Tesouro Selic. Com ela, os investidores podem emprestar dinheiro ao Tesouro Nacional do governo brasileiro em troca de uma remuneração por isso.

Isso porque o Tesouro Selic é um dos títulos públicos federais que são oferecidos no mercado por meio da plataforma do Tesouro Direto. E apesar de todos os títulos dessa plataforma terem liquidez diária, o Tesouro Selic é o único recomendado para aplicações em que o investidor tem a possibilidade de sacar os rendimentos no curto prazo.

Isso porque o rendimento do Tesouro Selic é linear, rendendo diariamente um percentual derivado da Taxa Selic vigente, que por sua vez é a taxa básica de juros do Brasil. Por conta desse rendimento linear, que não sofre volatilidade, o investidor não terá a surpresa de sacar seus investimentos, encontrando, por exemplo, um capital menor do que o que foi aplicado.

Além disso, vale destacar também que o Tesouro Selic é, possivelmente, a aplicação de renda fixa mais segura do Brasil. Isso porque, no mercado, o governo é considerado o melhor pagador possível.

Isso pode parecer estranho para algumas pessoas. Afinal, não estaria o governo com muitas dívidas e com uma situação fiscal complicada? A resposta é que sim. Contudo, caso o governo não tenha recurso para pagar os investidores, ele pode imprimir moeda e realizar o pagamento – o que não é possível de ser realizado por nenhum outro ente privado emissor de títulos de renda fixa.

Investindo no Tesouro Direto

CDB

A segunda aplicação com liquidez diária são os CDBs (Certificados de Depósito Bancário). Basicamente, esse é um título de crédito privado que é emitido por instituições financeiras, como pequenos, médios e grandes bancos.

Em outras palavras, é uma forma dessas empresas de crédito captarem recursos no mercado para, posteriormente, emprestar aos seus clientes, ganhando no spread da operação (diferença entre juros pagos aos investidores e juros recebidos dos credores do banco).

E assim como o Tesouro Selic, existem diversos CDBs que possuem a liquidez diária, não sendo, contudo, essa uma característica comum de todos os Certificados de Depósito Bancário. Ou seja, existem alguns CDBs que possuem resgate apenas no vencimento.

E no que se refere aos títulos com a liquidez diária, a maior parte deles possui rendimento atrelado ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário), taxa que está sempre muito próxima da Taxa Selic vigente.

Além disso, quanto mais segura a instituição emissora do CDB com liquidez diária, menor será o rendimento. Da mesma maneira, quanto mais arriscada a instituição emissora, maior será o rendimento oferecido na aplicação. Afinal de contas:

  • Quanto menor o risco, menor o retorno, e;
  • Quanto maior o risco, maior o retorno.

Vale destacar, contudo, que para encontrar CDBs com liquidez diária com bons rendimentos os investidores precisam, na maior parte das vezes, possuir conta em uma corretora de valores. Isso porque esses títulos emitidos pelos grandes bancos de varejo, via de regra, possuem uma remuneração muito baixa.

Fundos de renda fixa

Outra possibilidade para aqueles que procuram por investimentos com liquidez diária são os Fundos DI. Sendo que esses são fundos de investimentos de renda fixa que normalmente permitem o resgate de cotas em até D+1.

Basicamente, ao investir em um fundo DI, o investidor aplica seu recurso em um fundo de investimento que realiza, por sua vez, diversas aplicações de renda fixa. Algumas de liquidez diária, e outras não.

Contudo, vale destacar que o investidor do fundo DI consegue resgatar seu recurso a qualquer momento. Isso porque o gestor do fundo deixa uma grande parte do patrimônio dos cotistas investido em aplicações de liquidez diária, como o próprio Tesouro Selic.

A vantagem de investir nesses fundos DI é que, na maioria das vezes, eles podem auferir um rendimento maior do que se o investidor aplicasse individualmente no Tesouro Selic, por exemplo.

Isso porque há um percentual do patrimônio do fundo aplicado em títulos de renda fixa com remuneração maior do que a Taxa Selic, como títulos de crédito privado, o que potencializa o retorno final para os cotistas.

E-book: Investir em Fundos de Investimento

Baixe gratuitamente nosso ebook aprenda como escolher e investir nos melhores Fundos de Investimento do mercado.

Poupança

Por fim, outra aplicação de liquidez diária é a poupança brasileira, a aplicação mais comum no país. Como a maioria sabe, é possível retirar o dinheiro da poupança a qualquer momento, e por isso essa aplicação é caracterizada pela liquidez diária.

Contudo, vale destacar que, entre as opções apresentadas acima, a poupança é a que possui, na maioria dos casos, o menor rendimento. Isso porque a regra de rendimento da poupança é:

  • Rendimento de 70% da Taxa Selic, quando esta fica abaixo de 8,5% ao ano;
  • Rendimento de 0,5% ao mês, acrescido da TR (Taxa Referencial), quando a Taxa Selic está acima de 8,5% ao ano.

Por conta dessa regra de rendimento, a poupança sempre irá render menos do que o Tesouro Selic, por exemplo. Sendo que este último oferece, inclusive, maior segurança aos investidores em relação à poupança.

Por outro lado, vale destacar que a poupança é a única aplicação de liquidez diária que permite o resgate fora do horário comercial e aos finais de semana e feriado. Por isso, talvez essa aplicação seja interessante para formar reservas de emergência.  Afinal de contas, emergências não esperam o horário comercial e nem um dia de semana para acontecer.

Contudo, se o objetivo da aplicação de liquidez diária é de realizar uma diversificação do investimento ou de formar uma reserva de oportunidade, então a poupança deve ser desconsiderada. Afinal, seu rendimento será sempre inferior às outras aplicações abordadas anteriormente.

Como escolher um investimento de liquidez diária?

liquidez diária

Depois de conhecer as características e também como funciona esse tipo de investimento, muitas pessoas podem desejar saber como escolher um investimento de liquidez diária. Isso porque existem diversas opções disponíveis no mercado, o que pode gerar dúvida nos investidores.

Por isso, recomenda-se que os seguintes pontos sejam observados:

1. Objetivo da aplicação

O primeiro ponto que deve ser observado na hora de escolher a aplicação de liquidez diária é, sem dúvida, o objetivo desse investimento. Isso porque, dependendo do propósito do investidor, a melhor aplicação pode ser diferente.

Por exemplo, se o objetivo for possuir uma reserva de emergência, para despesas médicas extraordinárias, por exemplo, então talvez deixar uma parte do recurso na poupança seja aconselhável. Afinal, a emergência pode surgir em um fim de semana ou fora do horário comercial, períodos em que essa aplicação permite o resgate.

Por outro lado, caso o objetivo seja formar uma reserva de oportunidade para investimentos na bolsa de valores, então o CDB, o Tesouro Selic e o Fundo DI farão mais sentido. Isto pelo fato dessas aplicações estarem na própria conta da corretora do investidor e pelo fato de sempre renderem mais do que a poupança.

2. Rentabilidade da aplicação

O segundo passo para encontrar o melhor investimento de liquidez diária é analisar a rentabilidade da aplicação. Afinal de contas, apesar desse tipo de aplicação ter uma remuneração menor, as diferenças de rentabilidade entre os investimentos pode ser bastante distinta.

Nesse sentido, é possível encontrar CDBs de liquidez diária com rendimento de 60% com muita frequência. Sendo que normalmente as aplicações com menor rendimento são dos grandes bancos de varejo que oferecem títulos de emissão própria.

Por outro lado, em corretoras de valores os investidores conseguem investir em CDBs com esse mesmo tipo de liquidez e com remuneração de mais de 100% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Por isso, é preciso sempre observar qual é a rentabilidade da aplicação de liquidez diária.

3. Segurança de aplicação

Por fim, além do objetivo e da rentabilidade, os investidores precisam ficar muito atentos com relação à segurança da aplicação de liquidez diária. Afinal, de nada adianta aplicar os recursos em um investimento com alto rendimento se a emissora do título não for capaz de realizar o pagamento na hora da solicitação do resgate.

Para evitar isso, é preciso encontrar aplicações que, sim, tenham boa rentabilidade, mas que também tenham segurança. Por isso, via de regra, os investidores devem desconfiar dos títulos de liquidez diária que prometem rentabilidade muito superior a 100% do CDI.

Normalmente, as emissoras desses títulos apresentam uma situação financeira muito ruim, e por isso precisam prometer um rendimento maior para conseguir captar recursos no mercado. Em outras palavras, são emissoras mais arriscadas e que possuem maior risco de crédito.

E então, conseguiu entender mais sobre o que é e como funcionam as aplicações de liquidez diária? Deixe abaixo suas dúvidas e comentários sobre o assunto.

Telegram Suno
Perguntas Frequentess sobre liquidez diária

O que é liquidez diária?

A liquidez diária é uma possibilidade de liquidez dos investimentos em renda fixa. Isso significa que quando o título possui liquidez diária o investidor pode desaplicar seu recurso e receber o capital investido a qualquer momento.

Qual o melhor investimento com liquidez diária?

O melhor investimento com liquidez diária dependerá da realidade de cada investidor. De qualquer forma, a melhor aplicação será aquela que apresenta uma rentabilidade satisfatória em relação ao CDI e que, ao mesmo tempo, ofereça segurança.

O que quer dizer liquidez diária?

A liquidez diária quer dizer que a aplicação em questão permite que o investidor realize o resgate do recurso investido a qualquer momento. Em outras palavras, não é preciso aguardar o vencimento da aplicação para recuperar o capital investido.

Qual o melhor CDB com liquidez diária?

O melhor CDB com liquidez diária será aquele que concilie uma boa rentabilidade em relação ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário) e que, ao mesmo tempo, ofereça segurança ao investidor de renda fixa.

Quanto tempo demora o resgate de investimento com liquidez diária?

O resgate do investimento com liquidez diária acontece em D + 0. Isso significa que o processamento do resgate da aplicação ocorre no mesmo dia em que é solicitado pelo investidor de renda fixa.

Bibliografia para Liquidez Diária

http://www.cvm.gov.br/export/sites/cvm/menu/acesso_informacao/serieshistoricas/estudos/anexos/Ativos_Liquidos_relat_vfinal.pdf

http://www.anpad.org.br/admin/pdf/CON-A598.pdf

http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/5534/1/MD_COENP_2015_1_07.pdf

https://www.bcb.gov.br/content/estabilidadefinanceira/Documents/Leiaute_de_documentos/drl2160/DRL_2160_M2/DRL_2160_Workshop-LCR-DRL2160-ModeloII-18032019.pdf

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.