Acesso Rápido

    Índice Dow Jones (DJIA): saiba tudo sobre esse índice de ações

    Índice Dow Jones (DJIA): saiba tudo sobre esse índice de ações

    Ao pesquisar sobre o histórico e sobre outras informações a respeito de investimentos no exterior, muitos investidores se deparam com o índice Dow Jones. Afinal, esse é um dos mais antigos índices de performance de ações dos Estados Unidos.

    Assim como o Ibovespa, o Dow Jones também tem um papel fundamental no mercado de renda variável. Afinal, ele é responsável por indicar como os preços de determinado conjunto de ações listadas na bolsa estão se comportando ao longo do tempo.

    O que é o Índice Dow Jones (DJIA)?

    O Índice Dow Jones é um índice de ações que busca representar a evolução da cotação de 30 ações de empresas norte-americanas líderes de mercado. Esse índice foi criado em 1896 pelo jornal estadunidense The Wall Street Journal, sendo este o responsável pelo cálculo e pela seleção dos ativos até os dias de hoje.

    Acompanhado por milhões de pessoas diariamente, o DJIA é fundamental para o mercado financeiro americano e mundial. Sendo que sua composição e performance é responsável por movimentar bilhões de dólares diariamente em diversos produtos financeiros.

    E-book: Investindo no Exterior

    Descubra como investir nas melhores empresas e ativos do mundo com o nosso ebook gratuito de Investimentos no Exterior!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Apesar da antiga data de criação, o índice Dow Jones não foi o primeiro índice de ações dos Estados Unidos, ficando atrás apenas do chamado Dow Jones Transportation Average, também criado e calculado pelo jornal norte-americano no final do século 18.

    O nome oficial do índice é Dow Jones Industrial Average. Apesar disso, ele é mais conhecido, obviamente, apenas por Dow Jones, e também por: DJIA, Dow 30 e INDP.

    A parte “industrial” do nome oficial do índice refere-se à sua composição inicial. Isto pelo fato de que a primeira carteira teórica do DJIA era composta basicamente de empresas do setor de indústria pesada, muito significante no mercado acionário na época de sua criação.

    Importância do Dow Jones para o mercado financeiro mundial

    Um dos principais aspectos que fazem desse índice tão importante é a sua idade centenária. Isso porque ele acaba servindo como um excelente parâmetro de análise e de estudo sobre o desempenho do investimento em ações ao longo do tempo.

    Contudo, existe também a crítica de que atualmente o índice não pode mais ser analisado para avaliar o mercado acionário americano. Isto por conta do fato do Dow Jones possuir apenas 30 empresas em sua composição, enquanto existem milhares de companhias de capital aberto nos Estados Unidos.

    Independente disso, o DJIA, ao lado do S&P 500, continua sendo um dos benchmarks mais acompanhados no mercado financeiro americano e mundial. Sendo base para o investimento de diversos fundos de investimentos e também para operações com contratos futuros e derivativos que movimentam diariamente bilhões de dólares.

    Além disso, e por fim, o Dow 30 é também fundamental para que investidores possam avaliar como as ações de algumas das principais companhias de capital aberto dos Estados Unidos se comportaram ao longo do tempo. Isto é, durante décadas de economia, as quais envolvem bull markets e bear markets.

    Como o Dow Jones funciona?

    Dow Jones

    Uma das dúvidas mais comuns de investidores é sobre como o Dow Jones funciona. Afinal, o índice oscila vários pontos ao longo do tempo e essa oscilação está diretamente relacionada às empresas que o compõe e ao modo pelo qual ele é calculado.

    Como é feita a composição do Dow Jones?

    Ao contrário de outros grandes índices do mercado acionário, como o S&P 500 ou, no Brasil, o Ibovespa, o Dow Jones não possui uma metodologia específica de seleção dos ativos que vão compor a sua carteira teórica.

    Então, desde sua criação, os editores do jornal financeiro The Wall Street Journal que são os responsáveis pela seleção dos ativos do índice. O único critério em comum nas escolhas dos editores ao longo do tempo foi de que as companhias escolhidas fossem blue chips líderes de mercado em seu segmento de atuação.

    Fórmula de cálculo do Dow Jones

    Inicialmente, quando foi criado, o cálculo da sua pontuação era uma simples média aritmética do preço das ações que compunham o índice. Contudo, ao longo do tempo essa metodologia foi se alterando de forma a considerar os diversos eventos possíveis relacionados, por exemplo, à troca de companhias do DJIA.

    A metodologia de cálculo do DJIA é bastante simples e, ao mesmo tempo, muito correta. Sendo que a fórmula do Dow Jones é:

    • DJIA = Σp/d

    Onde:

    • Numerador: somatória do preço das 30 ações que compõem o índice;
    • Denominador: divisor Dow.

    O divisor Dow, que é utilizado para dividir a soma dos preços das 30 ações, inicialmente era igual ao número de empresas do índice. Por isso, representava uma média aritmética do preço das ações do DJIA.

    Contudo, ao longo do tempo esse divisor foi sendo alterado para considerar eventos como distribuições de dividendos e splits de ações do índice. Com isso, mesmo que o preço de uma ação altere por conta da distribuição de proventos ou por causa de um split de ações, a pontuação do DJIA não é afetada.

    Da mesma maneira, o divisor também serve para evitar distorções quando há uma mudança de empresa no índice. Afinal, o preço de uma ação que sai não é o mesmo preço da ação de outra empresa que entra no Dow 30.

    Com isso, o divisor Dow serve para equalizar essa mudança e fazer com que o índice DJIA imediatamente anterior e posterior à alteração de uma companhia do índice seja exatamente o mesmo. Isto é, que ele não se altere e se distorça por conta de uma troca de componente.

    Quais empresas fazem parte do Dow Jones?

    Depois de entender melhor como um dos principais índices de ações do mundo funciona, muitos investidores podem se perguntar também quais empresas fazem parte do Dow Jones. Afinal, apenas 30 grandes companhias americanas são selecionadas pelo The Wall Street Journal para fazer parte do índice.

    Vale destacar que, ao contrário de outros grandes índices de ações, o DJIA não possui uma metodologia específica para selecionar os ativos. O que se sabe é que a seleção do jornal de Wall Street precisa escolher 30 empresas e que elas normalmente são líderes em seu segmento.

    A seguir, algumas das principais empresas do Dow Jones:

    Apple

    A Apple, gigante dos iPhones, é uma das companhias que fazem parte do índice DJIA. A companhia foi adicionada ao índice em março de 2015 e conquistou a marca de empresa com o maior peso no Dow Jones, atingindo quase 10% de participação no índice.

    McDonald’s

    Outra tradicional empresa que faz parte do Dow Jones é o McDonald’s. A empresa já está presente no índice há quase 40 anos, desde 1985. Além disso, possui uma participação relevante no DJIA, com um peso que fica próximo dos 5%.

    Microsoft

    A Microsoft é, ao lado da Apple, outra empresa de tecnologia de grande peso no índice Dow Jones. Contudo, sua presença no índice é mais antiga, fazendo parte do mesmo desde o final do ano de 1999.

    Visa

    A Visa, bandeira de cartões, é mais uma empresa que compõe o DJIA e que destoa muito das primeiras companhias de industria pesada do Dow Jones Industrial Average. A companhia, que possui cerca de 5% do índice, também foi adicionada há pouco tempo, em 2013.

    The Walt Disney Company

    Mais uma empresa tradicional no Dow Jones é a Disney, que já está presente na composição do índice desde 1991. A gigante do entretenimento se consolidou ao longo do tempo no índice, possuindo peso de cerca de 3% no mesmo.

    Johnson & Johnson

    A Johnson & Johnson, negociada sob o ticker JNJ, é outra empresa estadunidense bastante conhecida que faz parte do DJIA. A companhia da indústria farmacêutica possui cerca de 4% no índice e está presente nele desde 1997.

    Walmart

    O Walmart, uma das maiores redes de departamento do mundo, está presente no Dow 30 desde 17 de março 1997 e foi responsável por entregar uma excelente contribuição ao índice.

    Planilha de Controle de Investimentos

    Faça o controle completo das suas ações, FIIs e todos os seus investimentos com a nossa planilha gratuita de Controle de Investimentos!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Outras empresas do Dow Jones

    Além das companhias citadas acima, algumas das outras empresas do Dow Jones são:

    • IBM;
    • Intel;
    • JP Morgan;
    • Merck & Co;
    • Nike;
    • Pfizer;
    • Procter & Gamble (P&G);
    • Verizon;
    • Walgreens;
    • 3M;
    • American Express;
    • Boeing;
    • The Coca Cola Company;
    • ExxonMobil;
    • Goldman Sachs.

    Outros índices do mercado americano

    Dow Jones

    Além do índice Dow Jones, o mercado acionário dos Estados Unidos possui diversos outros índices de ações. Sendo que cada um deles busca demonstrar a performance ao longo do tempo de um conjunto específico de ativos.

    Esses índices são fundamentais para o mercado, porque servem como benchmark (indicador de referência) para diversos fundos e investidores em geral. Além disso, também são um excelente histórico de rentabilidade para o investimento em bolsa de valores, mostrando o comportamento do preço das ações em diversos momentos da história da economia.

    A seguir, alguns dos outros índices do mercado americano além do DJIA:

    1. S&P 500

    O S&P 500 é o índice do mercado acionário norte-americano mais acompanhado por investidores no mundo inteiro. Isso porque ele demonstra muito bem o comportamento das ações de empresas dos Estados Unidos de capital aberto.

    Ao contrário do Dow Jones, que possui apenas 30 empresas, o S&P é calculado levando em consideração as 500 maiores empresas das bolsas de valores americanas. Portanto, ele consegue demonstrar melhor a oscilação do mercado acionário como um todo, ao contrário do DJIA.

    2. Nasdaq Composite

    Outro índice do mercado acionário dos Estados Unidos é o Nasdaq Composite. Basicamente, esse índice demonstra a performance ao longo do tempo das companhias de capital aberto na bolsa da NASDAQ, que é a responsável por listar algumas das maiores empresas de capital aberto do mundo, como: Apple, Amazon, Google, Microsoft e Facebook.

    3. NYSE Composite

    Assim como o Nasdaq Composite, o NYSE Composite é um índice que acompanha o desempenho das cotações das empresas que possuem capital aberto na New York Stock Exchange (NYSE), ou, simplesmente, na Bolsa de Nova York.

    4. Russell 3000

    Por fim, outro índice bastante conhecido do mercado de ações norte-americano é o Russell 3000. Basicamente, ele é um índice que é capaz de abranger a performance de todo o mercado de ações dos Estados Unidos.

    Isso pelo fato do Russell 3000 refletir o desempenho das ações das 3.000 maiores companhias de capital aberto nos EUA. Para se ter uma ideia, esse número consegue abranger cerca de 98% de todo market cap das companhias de capital aberto no país.

    Diferenças entre o Dow Jones e o S&P 500

    Dow Jones

    Como foi dito, o Dow Jones e o S&P 500 são os principais e mais acompanhados índices do mercado acionário norte-americano. Por isso, muitos investidores podem se perguntar quais são algumas das diferenças entre eles.

    Portanto, as principais diferenças entre o Dow Jones e o S&P 500 são:

    Metodologia de cálculo

    Talvez a principal diferença entre o DJIA e o S&P 500 seja com relação a forma como cada um deles é calculado. Basicamente, os pontos do DJIA são calculados de acordo com o preço das ações, enquanto os pontos do S&P são encontrados de acordo com a capitalização das empresas que o compõe.

    1. Metodologia do Dow Jones

    Na metodologia do Dow Jones, os pontos são encontrados com base no preço das 30 ações que fazem parte do índice. Isso significa que as mudanças na pontuação estão diretamente relacionadas a variação de preço de suas ações.

    Isso significa que empresas que possuem uma ação com um valor nominal superior possuem maior impacto no índice. Por sua vez, aquelas com o valor nominal menor impactam menos o DJIA. Por exemplo:

    • -10% em uma ação de 300 dólares: -30 dólares de preço;
    • -10% em uma ação de 30 dólares: -3 dólares de preço.

    Como pode ser observado, a mesma variação percentual em duas empresas com o preço de ação diferentes irão impactar o Dow Jones de maneira muito distinta. Contudo, nem sempre a empresa com uma ação de valor nominal mais alto é maior em termos de capitalização que outra de valor nominal menor.

    2. Metodologia do S&P 500

    A metodologia do S&P 500 se difere muito em relação ao Dow Jones. Isso porque os pontos desse índice não são calculados com base no preço nominal das ações, mas no valor de mercado (market cap) das empresas do índice.

    Isso significa que as companhias com maior valor de mercado possuem um impacto superior no S&P em relação àquelas companhias menores, com uma capitalização inferior. E os pontos do índice variam de acordo com a variação do valor de mercado das empresas, e não na variação, em dólar, do preço dos papéis.

    Número de ações

    Outra diferença importante entre o S&P 500 e o DJIA diz respeito ao número de ações de cada índice. Enquanto o DJIA possui 30 empresas em sua composição, o S&P 500 possui, como seu próprio nome diz, 500 companhias.

    Composição das empresas

    Mais uma distinção entre o Dow Jones e o S&P 500 diz respeito à composição de cada um desses índices. Nesse sentido, vale destacar que o DJIA é, como visto, um índice de grandes companhias líderes no setor. Isto é, um índice de Blue Chips.

    Por outro lado, o S&P 500 não se configura dessa forma. Na verdade, ele é um índice que é composto pelas 500 maiores empresas de capital aberto dos EUA, sendo elas Blue Chips, líderes de mercado, ou não.

    Metodologia de seleção dos ativos

    Por fim, mais uma diferença fundamental entre os dois principais índices de ações dos EUA diz respeito a maneira como é feita a seleção dos ativos. Isto é, a metodologia de seleção dos componentes dos índices.

    Se, por um lado, o Dow Jones não possui uma metodologia pré-determinada de seleção de ativos, dependendo da discricionariedade do comitê de escolha do The Wall Street Journal. Por outro, o S&P possui uma metodologia bem definida de investimento,devendo investir, basicamente, nas 500 maiores companhias de capital aberto nos EUA.

    Curiosidades sobre o Dow Jones

    Além de todos esses aspectos que envolvem o DJIA, vale também ressaltar alguns pontos que podem ser considerados curiosidades sobre o Dow Jones. Sendo que os principais deles são:

    1. Escolha do nome

    Como foi dito, o índice Dow Jones foi criado pelo The Wall Street Journal no final do século 18, em 1896. Curiosamente, os seus idealizadores foram: Charles Dow e Edward Jones. Então, o índice carrega até hoje em seu nome uma homenagem aos seus criadores.

    2. Market Cap

    Outra curiosidade em relação ao índice Dow Jones refere-se ao seu market cap. Isto é, a soma do valor de mercado de todas as companhias presentes no índice. Apesar desse número variar ao longo do tempo, o market cap do Dow Jones fica próximo dos 10 trilhões de dólares.

    3. Número de empresas

    Já é sabido que o número de empresas do Dow Jones é de 30 companhias. Contudo, essa quantidade não foi sempre a mesma, sendo que as mudanças em relação ao número de componentes do índice foram:

    • 1896: 12 empresas;
    • 1916: 20 empresas;
    • 1928: 30 empresas.

    4. Empresas originais

    Como é de se esperar, nenhuma das 12 empresas que inicialmente compunham o índice Dow Jones faz parte da atual composição do DJIA. Sendo que algumas dessas companhias eram:

    • American Cotton Oil Company: atualmente faz parte da Unilever;
    • General Eletric: ainda existe, e foi retirada do índice em 2018;
    • American Sugar Refining Company: se tornou a atual Domino Foods;
    • American Tabacco Company: declarou falência em 1911.

    5. Empresa com mais tempo de presença no índice

    A General Eletric foi a companhia que teve maior presença contínua no índice DJIA em todos seus anos de existência. A empresa, que foi uma das 12 primeiras companhias do índice, fez parte da sua composição continuamente desde 1907, sendo retirada em 2018.

    6. Rentabilidade histórica

    Mais uma curiosidade de investidores em relação ao Dow Jones tem relação com a evolução de 1 dólar investido em 1896, data de sua criação. Apesar de nenhum investidor ter sido capaz de aplicar mais de 120 anos no índice, a informação da rentabilidade histórica do Dow Jones é fundamental para comprovar o poder do investimento em ações no longo prazo.

    Além disso, serve também para mostrar a importância do reinvestimento de dividendos pagos pelas empresas ao longo do tempo. Afinal, o resultado obtido sem reinvestir e reinvestindo os dividendos é bastante diferente.

    Abaixo, o resultado aproximado de $1 dólar investido em 1896 no DJIA seguindo essas duas estratégias:

    • $1 sem reinvestir dividendos: $440,00;
    • $1 reinvestindo dividendos: $85.000,00.

    Agora, o gráfico da rentabilidade do Dow Jones ao longo do tempo, de 1916 até 2017, entregando um retorno médio de 5,5% a.a em dólar por 100 anos:

    Dow Jones

    7. Maior queda e maior alta percentual

    A maior queda e maior alta percentual do índice Dow Jones também é outra curiosidade em relação a esse índice do mercado acionário norte-americano. Afinal, elas representam momentos históricos para o DJIA.

    Nesse sentido, a maior queda percentual observada no DJIA foi no dia da chamada Black Monday, uma segunda-feira de 19 de outubro de 1987. Nesse dia, o índice Dow Jones sofreu a maior queda percentual de sua história, derretendo 22,61% em um único pregão.

    Por outro lado, a maior alta percentual aconteceu em 15 de março de 2020. Neste dia, o índice Dow Jones acumulou a incrível alta de 15,34%, o que representou um aumento de 8 pontos no índice, fechando aos 62,10 pontos.

    Vale destacar que, recentemente, em 2020, o DJIA obteve a 4a maior alta em um único dia. Essa alta foi de 11,37% e aconteceu em 24 de março de 2020, e representou um aumento de 2.112,98 pontos em um único dia para o índice.

    Como investir no Dow Jones?

    Dow Jones

    Sabendo de todas essas informações sobre um dos mais acompanhados índices de ações do mundo, muitos investidores podem ficar com a dúvida final: como investir no Dow Jones?

    Contudo, o investimento no DJIA deve ser analisado em duas vias. Isto é, investindo no Dow Jones pelo Brasil ou pelo exterior.

    Investindo no Dow Jones pelo Brasil

    Em primeiro lugar, é fácil de entender que muitos investidores podem ter o interesse de poder estar investindo no Dow Jones pelo Brasil. Afinal, não são todos os investidores que possuem conta em uma corretora americana para investir diretamente do exterior.

    Contudo, vale destacar que, infelizmente, não existe uma forma de investir diretamente no DJIA pelo Brasil. Isso porque, em primeiro lugar, não há uma maneira de comprar um investimento de Dow Jones, nem mesmo pelo exterior.

    Então, para investir no DJIA o investidor precisa comprar cotas de ETFs (Exchange Traded Funds) que, por sua vez, realizem investimentos nas ações que compõem o Dow Jones. Afinal, esses ETFs são uma espécie de fundos de investimentos que investem em determinada classe de ativo.

    No caso, existem diversos ETFs que possuem uma metodologia de investir estritamente nos papéis escolhidos pelo The Wall Street Journal. Isto, inclusive, levando em consideração o peso dos ativos dentro do DJIA.

    Contudo, esses ETFs de investimento no Dow 30 não existem. Por isso, não será possível investir no DJIA pelo Brasil. Por outro lado, existem outros ETFs no brasil de investimento no exterior, como:

    Vale destacar, contudo, que ambos os ETFs acima, o IVVB11 e o SPXI11, investem nos ativos do índice americano S&P 500, citado acima. Por isso, caso o investidor realmente queira investir no Dow Jones, talvez seja preciso considerar começar a investir do exterior.

    Investindo no Dow Jones pelo exterior

    Como foi dito, não é possível investir no DJIA pelo Brasil. Contudo, isso será possível investindo no Dow Jones pelo exterior. Isto é, por meio de uma conta em uma corretora de valores que atua no mercado norte-americano.

    Isso porque, ao contrário do Brasil, nos EUA existem diversos ETFs diferentes que investem exclusivamente no DJIA. Isto, como foi dito, considerando, inclusive, o peso dos ativos e as mudanças que eventualmente acontecem na carteira escolhida pelo The Wall Street Journal.

    Sendo que alguns dos principais ETFs que investem no Dow Jones disponíveis no exterior são:

    • DIA – SPDR Dow Jones Industrial Average ETF;
    • IYY – iShares Dow Jones U.S. ETF;
    • UDOW – ProShares UltraPro Dow30;
    • DDM;
    • DJD.

    Ao comprar uma cota de algum desses ETFs americanos, o investidor está comprando indiretamente a cesta de ações do Dow Jones com suas devidas proporções. Em outras palavras, estará investindo no DJIA.

    E então, conseguiu entender e conhecer mais sobre o Dow Jones? Deixe abaixo suas dúvidas e comentários sobre esse índice do The Wall Street Journal.

    Perguntas frequentes sobre o Dow Jones
    O índice Dow Jones é um índice de ações do mercado acionário norte-americano. Ao contrário da maior parte dos índices de mercado, o também chamado de DJIA representa o desempenho de 30 empresas de capital aberto nos EUA escolhidas por um comitê do jornal The Wall Street Journal.
    A Nasdaq e o Dow Jones são termos diferentes do mercado acionário dos Estados Unidos. Enquanto a Nasdaq é uma bolsa de valores (assim como a B3), o Dow Jones é um índice de mercado que representa o desempenho de 30 ações de capital aberto escolhidas pelo jornal financeiro The Wall Street Journal.
    A única forma de investir diretamente no Dow Jones, que é um índice, é por meio de ETFs (Exchange Traded Funds) nos Estados Unidos que investem apenas nas ações desse índice. Alguns desses ETFs norte-americanos são: EDOW, DIA, FDN e IYY.
    Algumas empresas que fazem parte do Dow Jones são: Apple, Microsoft, Disney, Coca Cola, Visa e Walmart. Vale destacar, contudo, que as companhias desse índice alteram ao longo do tempo dependendo da escolha do jornal financeiro norte-americano The Wall Street Journal.
    Ao longo do tempo, no longo prazo, investir no Dow Jones valeu sim a pena. Afinal, as escolhas das empresas do índice pelo The Wall Street Journal levam em consideração o critério da companhia ser líder de mercado, o que já é um ponto que corrobora com o bom resultado no longo prazo.

    Bibliografia

    http://www.anpad.org.br/diversos/down_zips/53/fin587.pdf

    http://www-siepr.stanford.edu/papers/pdf/99-16.pdf

    https://pdfs.semanticscholar.org/7335/6d6b1427c4d1b796bd9b0d4725faf799f587.pdf?_ga=2.63313383.959168599.1588636923-625897424.1588636923

    https://arxiv.org/ftp/arxiv/papers/1109/1109.4372.pdf

    http://swer.wtamu.edu/sites/default/files/Data/yu.pdf

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *