Acesso Rápido

    Green shoe: entenda como funciona esse tipo de oferta

    Green shoe: entenda como funciona esse tipo de oferta

    O mercado financeiro funciona com base na “lei da oferta e demanda”. Porém, esta lógica pode ir contra os interesses dos investidores, quanto a demanda se torna pequena. Por exemplo, no caso da IPO (Initial Public Offering), a oferta de ações pode ser recolocada no mercado através do processo de green shoe.

    Assim sendo, o green shoe é um termo que precisa ser conceituado e entendido pelos investidores. Principalmente sobre seu funcionamento no mercado financeiro.

    O que é green shoe?

    O green shoe é um lote suplementar de ações disponibilizadas para serem compradas pelo banco coordenador de uma oferta de ações. A compra desse lote suplementar, que é opcional, poderá acontecer com até 15% da quantidade que estava disponível inicialmente ao mercado, através do IPO.

    Dessa forma, se julgar necessário e conforme a demanda, o banco pode exercer a sua opção e vender o lote extra ao mercado posteriormente.

    O termo “green shoe” vem da da Green Shoe Manufacturing Company, uma empresa americana fundada em 1919 que foi a primeira oferecer essa opção de compra ao banco.

    Para saber mais sobre o mercado e o processo de precificação de uma empresa, principalmente em momentos como o IPO, conhça o nosso minicurso gratuito sobre Valuation e Precificação de Ativos.

    Como funciona o processo de green shoe?

    O objetivo da opção de lote suplementar é estabilizar o preço das ações ou das ofertas. Logo, o green shoe acontecerá quando a demanda for maior que oferta inicial. Ou seja, esse excesso de demanda gerará a necessidade de criar mais lotes para vendas. Se o IPO já teve a opção de lote suplementar e ainda sim o número de investidores que deseja comprar for maior que o número de ações disponíveis, haverá um processo de rateio.

    Entretanto, existem diferenças quanto ao funcionamento do lote suplementar, emitido através do green shoe, para o lote adicional.

    Quando falamos de lote adicional, ele existe para é atender uma demanda não prevista. Ou seja, o lote adicional é emitido pela empresa quando ela deseja aumentar somente o volume de mercado. A captação de recursos é um dos objetivos, por exemplo, para investir em projetos na empresa. É importante ressaltar que nesse caso a empresa estará diluindo o capital.

    Fases de emissão do lote suplementar

    Durante o período anterior a emissão, um intermediário é designado para liderar o processo. O intermediário define o preço e elabora a proposta para o lote suplementar. Sendo que o emissor e os acionistas devem aprovar o processo.

    Durante o período de oferta, serão emitidos os valores mobiliários ofertantes. Esses novos ativos estarão na posse do intermediário e serão oferecidos aos investidores.

    Assim, o intermediário pode solicitar um lote adicional (hot issue), no caso do montante inicial exceder as expectativas do mercado. Os valores que se referem ao green shoe servem como base para operações de estabilização para o mercado secundário.

    O que é um reverse green shoe?

    Já o reverse green shoe é uma opção de resgaste reversa. Ou seja, é o direito de vender as ações do acordo em oferta pública na data posterior.

    Assim, as operações deste tipo acontecerão quando o preço das ações estiver desvalorizando-se. Por isso, as operações de venda posteriores aconteceriam na prática, somente no momento que preço das ações voltasse a se elevar.

    Esperamos que o processo de emissão de um green shoe tenha ficado claro com esse artigo. Em caso de dúvidas ou perguntas sobre o tema, deixe um comentário abaixo e compartilhe conosco a sua opinião.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Jobson 15 de dezembro de 2019

      Há vídeos no canal Subo sobre Green Shoe, Hot Issue e Reverse Green Show?

      Responder