Fundos multimercado são fundos de investimento que podem diversificar suas aplicações em uma cesta de ativos variados. Existem diversas modalidades de fundos no setor de multimercados, cada um com suas diretrizes e políticas de investimentos diferentes. Porém, dentro desse universo, um tipo de fundo chama a atenção em especial pela sua estratégia de investimento diferenciada: os fundos macro.

Nos últimos anos, os fundos macro vem ganhando muita popularidade no país. Estima-se que estratégia mais presente no mercado de fundos de investimento brasileiro é a macro, concentrando cerca de 80% do volume investido em multimercados.

O que são os fundos macro?

Os Fundos Macro são fundos de investimento multimercado que realizam aplicações em diferentes tipos de ativos (como títulos de renda fixa, ações, câmbio, entre outros) com uma estratégia baseada nos indicadores e cenários macroeconômicos de médio e longo prazos.

O termo “macro” diz respeito à macroeconomia, um dos ramos da economia que analisa os grandes agregados econômicos – como taxas de juros, crescimento, inflação, câmbio, índice de desemprego, nível da atividade econômica, entre outros. Ou seja, nos fundos macro, o principal elemento de análise adotado não é a condição dos ativos em si, mas sim a conjuntura econômica em geral.

Logo, nesse tipo de fundo, os gestores avaliam primeiramente as condições macroeconômicas de médio e longo prazo, bem como o impacto que elas possuem nos preços dos ativos. O objetivo é conseguir se antecipar e investir em ativos subavaliados no momento, mas que podem se valorizar de acordo com projeções econômicas do futuro.

Como Funciona um fundo macro?

O processo de investimento em um fundo macro começa com uma profunda análise do cenário macroeconômico, tanto local como internacional, bem como as respectivas conexões entre esses mercados.

Após feita essa análise, os gestores analisam quais ativos disponíveis no mercado possuem a melhor relação risco-retorno dentro do cenário econômico que foi traçado.

Dessa forma, os fundos macro busca identificar assimetrias nas variáveis econômicas para melhor alocar seus recursos, de forma que essas ativos evoluam de acordo com o que foi projetado.

Normalmente, este tipo de fundo multimercado busca investir visando o médio e longo prazo, sem preferência por tipo de ativo e muitas vezes ignorando as direções do mercado.

Tipos de fundos macro

Embora todos os fundos macro sigam uma diretriz comum, as estratégias dos fundos macro pode ser divididas em dois modalidades diferentes: o macro trading e o macro carregamento.

  • Fundos macro trading: possuem um prazo de investimento mais curto, com uma maior sensibilidade aos preços e a questões macroeconômicas de curto prazo
  • Fundos macro carregamento: possuem um prazo de investimento mais longo, com posições mais sólidas e mais focadas em grandes questões estruturais e macroeconômicas.

Além disso, os fundos macro também podem ter abordagens de análise e tipos de gestão diferentes. As duas principais são:

  • Gestão top-down: focada na avaliação da conjuntura econômica em geral, para depois ser analisada em detalhes os feitos em cada setor. Geralmente, esse tipo de fundo possui um horizonte de investimento maior.
  • Gestão bottum-up: focada na avaliação setorizada e de curto prazo, identificando tendências claras de preços e minimizando a volatilidade. Fundos desse tipo geralmente possuem um horizonte de investimento menor.

Rentabilidade e volatilidade dos fundos macro

Os fundos multimercado macro costumam ter o CDI como principal benchmark, buscando sempre superar percentualmente esse indicador. Além disso, meta percentual de retorno sobre CDI também é o objetivo de volatilidade da sua carteira.

Ou seja, quanto maior a rentabilidade esperada, maior será a volatilidade do fundo. Por isso, existem fundos macro tanto com baixa, média e alta volatilidade, atendendo assim os mais diversos investidores.

Vantagens e características dos fundos macro

A principal característica dos fundos macro é o embasamento das alocações realizadas em sua carteira. Por terem o cenário macroeconômico como referência, os fundos macro conseguem captar oportunidades que muitas vezes não são consideradas em outros tipos de fundo.

Além disso, devido a diversificação e alocação em diversos produtos dentro de um mesmo fundo, os fundos macro são uma alternativa interessante para quem procura aplicações mais longas. Isso se deve porque, ao mesmo tempo que o prazo é maior, esse tipo de fundo possui flexibilidade e liquidez para investir sempre nos melhores ativos.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.