Acesso Rápido

    FPOR11: entenda melhor como funciona esse fundo

    FPOR11: entenda melhor como funciona esse fundo

    O investimento em renda variável possui canais diferentes para ser realizado. Uma delas é via aplicação em FIP’s através do FPOR11.

    O FPOR11 possui características específicas tanto pela sua natureza quanto pela forma e motivo que foi constituído. Para compreender melhor esse fundo é importante também conhecer o funcionamento de um FIP e suas variáveis.

    O que é o FPOR11?

    O FPOR11 é um Fundo de Investimento em Participações de Infraestrutura (FIP-IE). O objetivo desse fundo é adquirir títulos PORT11, baseados em royalties provenientes da operação do Porto Sudeste. Logo, a rentabilidade dos cotistas desse fundo é derivada desse título.

    Os títulos PORT11 foram emitidos no contexto da reconfiguração da MMX, mineradora que foi criada por Eike Batista. Dessa forma, esse título foi emitido a fim de reestruturar a dívida da companhia com o objetivo de completar a construção do Porto Sudeste.

    Minicurso: Investindo em Fundos Imobiliários

    Inscreva-se no nosso minicurso curso gratuito sobre FIIs e aprenda os principais conceitos para investir e viver da renda de Fundos Imobiliários!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Na reconfiguração de ativos, aqueles que possuíam os títulos MMXM11 foram trocados na proporção um pra um pelas cotas do fundo FPOR11, o qual foi criado em 2015. Esse fundo por sua vez detém os títulos PORT11.

    O que é um FIP e um FIP-IE?

    Os Fundos de Investimento em Participações (FIP) é um fundo que pode realizar aplicações em companhias abertas, fechadas ou sociedades limitadas em fase de desenvolvimento. Esse fundo também é conhecido como Fundo de Private Equity, pelo fato de ser a classe de fundo usada para esse tipo de investimento.

    Os FIPs possui algumas particularidades como:

    • Constituído sob a forma condomínio fechado;
    • Captação via venda de cotas;
    • Participação do gestor no processo decisório da investida.

    Esse fundo é um investimento de renda variável constituído sob a forma de condomínio fechado. Ou seja, as cotas somente são resgatadas ao fim da sua duração ou quando a liquidação é decidida em assembleia.

    Além disso, a captação de recursos é realizada pelo administrador em um processo de venda de cotas. Além disso, obrigatoriamente esse fundo deve participar do processo decisório da empresa investida. Essa determinação tem por objetivo que a administração do FIP gere valor para a empresa investida.

    Dentre as modalidades de FIP, tem-se o FIP-Infraestrutura (FIP-IE), que é o caso da FPOR11. O FIP-IE são aqueles fundos que possuem patrimônio investido em títulos de emissão de companhias que realizem novos projetos de infraestrutura.

    Esses projetos devem ser na área de energia, transporte, saneamento básico ou outras áreas de interesse do Poder Executivo Federal. O FPOR11 está dentro dessa classificação justamente por estar atrelado à construção de um terminal portuário.

    Informação sobre o FPOR11

    A aplicação em um fundo desse tipo é realizada diretamente junto ao administrador do fundo. Esse tipo de fundo apesar de possibilitar boas possibilidade de ganhos no longo prazo costumam demorar para gerar rendimentos. No caso do FPOR11 não é diferente, o fundo desde a sua constituição até setembro de 2019 ainda não distribuiu dividendos.

    A aplicação nesse fundo ou em qualquer FIP requer um bom conhecimento do setor que está sendo investindo, bem como do administrador do fundo. Essa última informação é ainda mais importante nesse caso, dado que o FIP deve exercer influência na gestão da empresa investida.

    Esse artigo ajudou você a entender melhor sobre o FPOR11? Deixe suas dúvidas e comentários abaixo.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *