Fiikipedia

Fiikipedia: SOMOS TODOS VENCEDORES

By 10 de janeiro de 2019 No Comments
3 dicas para montar um portfólio de ações vencedor

Gostaria de iniciar o ano trazendo a vocês um artigo que escrevi em junho de 2016, portanto, há pouco mais de 2 anos e meio. Foi bastante libertador naquele momento e acho que faz total sentido trazê-lo novamente no início deste ano, até como forma de ratificar o tema. Obviamente, farei ajustes pertinentes, sobretudo para melhorar a qualidade da leitura. No entanto, o tema central será preservado.

LIVE – SUNO RESPONDE (10/JAN/2019 às 21h)

Com certa frequência, gosto de reavaliar minhas premissas, meus objetivos, minhas motivações, enfim, gosto de colocar tudo na mesa para que eu possa ter uma melhor leitura do contexto geral no qual estou inserido e onde quero chegar (ou simplesmente seguir em frente).

Gosto de refazer simulações, aprimorar e refinar estudos – ainda acho que uma Planilha jamais irá acertar na vírgula suas projeções, mas te dará uma excelente noção de onde você irá chegar.

Entendo que todos nós precisamos evoluir e buscar, cada vez mais, alinhar nosso perfil de investidor. Nesta linha de pensamento, há três anos atrás, cheguei a uma conclusão: SOMOS TODOS VENCEDORES!!!

Creio que este assunto poderia até render um livro – na verdade, rendeu! (risos). Escrevemos, em 2018, um livro sobre Fundos Imobiliários – não tratamos exclusivamente deste tema, mas, de alguma forma, pudemos trazer informações relevantes aos investidores focados em uma visão previdenciária de longo prazo.

Vejamos: o Brasil hoje possui aproximadamente 210 milhões de habitantes.

O Tesouro Direto, apesar de ter quase 3 milhões de cadastrados, possui em torno de 752 mil investidores ativos.

A BMF possui por volta de 800 mil CPFs cadastrados.

Temos hoje pouco mais de 184 mil investidores em Fundos Imobiliários

A grosso modo, fazendo uma conta simples: Temos em torno de 0,70% da população que investe de forma “mais independente”.

Oras, eu conheço os principais sites, fóruns e blogs que discutem Investimentos no dia a dia. Tenho plena convicção de que, somando todos e sendo otimista, talvez até tenhamos algo entre 2 a 3 mil investidores que se relacionam com certa frequência.

Puxa vida, estamos falando de 0,001% da população que se preocupa, de forma mais “intensa e assertiva”, com seus próprios investimentos.

Então, neste instante, peço licença para “fugir” um pouco do meu discurso já conhecido.

Peço desculpas a todos que, de uma forma ou de outra, se sentiram desconfortáveis com comentários que eu trouxe a vocês até hoje. Tenho absoluta certeza de que ajudei a muitos. Porém, posso ter confundido outros, mesmo que de forma involuntária. Minhas sinceras desculpas!

Como dito, somos 0,001% da população e chegamos até aqui. Alguns de nós, inclusive, já conquistaram a independência financeira e outros estão em fase de acumulação, a pleno vapor.

Pronto!!

O segredo é muito mais simples: CONTINUEM ASSIM

Não importa se você está fazendo Gestão Passiva ou Ativa em função da dinâmica de preços do mercado, seja comprando Renda Fixa, Ações, Câmbio, Multimercados e Fundos Imobiliários, ou simplesmente concentrando em alguma classe com a qual se identifique mais.

Como já dizia o “poeta”: O que seria do Amarelo se todos gostassem do Azul?

Como sabem, gosto de fazer simulações e estou hoje plenamente convicto de que você pode enriquecer de várias formas, desde que siga um plano de investimentos consistente e vigilante no longo prazo.

Você pode ficar “rico” investindo apenas no Tesouro Direto, com os dividendos de boas Ações ou até mesmo remunerando sua carteira praticando Venda Coberta. Por que não? É muito mais uma questão de autodisciplina do que qualquer outra coisa, certo?

Cada vez mais, vejo isso com clareza e não justifica qualquer tentativa de “Personificar Investimentos” como se o sucesso ou fracasso deles tivesse relação direta com você.

Nada disto!

Pude perceber também, nestes últimos tempos, o surgimento de determinadas “tribos virtuais” como se houvesse uma fórmula mágica e única para enriquecer, e isso se tornou uma espécie de “competição”. Sim, isso mesmo, uma “eterna” disputa entre Comprados e Vendidos, Holders e Traders, Rentistas e sabe-se lá o quê.

Oras, qual o motivo desta competição? Afinal, SOMOS TODOS VENCEDORES, não é mesmo?

Mas, e então, vale tudo? Sim, vale tudo.

Vale tudo desde que seja feito de forma consciente. Estamos em constante mudança. Não somos seres estáticos. Talvez a intensidade (ou frequência) destas mudanças é o que nos diferencie.

Uns mudam a cada dia, a cada semana, a cada mês, a cada ano, mas tenho plena certeza de que, se a mudança for feita com “consciência e maturidade”, a chance de se alcançar sucesso é imensa.

Afinal, como eu disse no início: somos 0,001% da população que “cuidamos”, de maneira mais próxima, de nossos investimentos. Se isso pode dar errado no longo prazo?? É possível, mas acho pouco provável.

Se alguém dorme tranquilo com 10 Ativos em Carteira, quem sou eu para questionar se isto está certo ou errado. Se outro está feliz com 100% do seu patrimônio em NTN-B, ok, ok! Pronto. Vamos em frente.

Quanto aos FIIs, que é mais “nossa praia”: Desde o início, o que mais me atraiu foi justamente o fluxo de caixa mensal potencializando a ação (força) dos juros compostos. Outro ponto é que, no geral, os fundos negociados em bolsa são bons, apesar de alguns riscos evidentes e/ou demasiadamente discutidos e abordados. Suas chances de acertar são muito maiores do que de errar, mesmo com uma “simples” carteira ancorada no IFIX.

Quanto aos Fundos de Papéis, insisto com a ideia de que é fundamental entender a dinâmica e importância deles numa carteira diversificada. No geral, possuem boas garantias, apesar de empecilhos burocráticos, mas saibamos que por trás destes Fundos existem profissionais com o objetivo de dar retorno ao cotista. Cabe avaliar e ponderar caso a caso.

Apesar de pouca relevância, de fato, estou convencido de que a grande maioria de todos nós “batemos” o CDI ou qualquer outro índice passivo. Não pelo fato de nossas escolhas em si, mas pela nossa própria Disciplina.

O que nos enriquece, na verdade, é a capacidade de manter um Fluxo de Renda ancorado e fortalecido pela Progressão Geométrica. Quanto mais você “Acumular Renda” ao longo do tempo, melhor. Vamos nos concentrar nisto!

Faça suas próprias contas e verá que, se você NÃO consumir toda a renda mensal e reaplicar uma parte, você entregará aos seus herdeiros uma boa e honesta “riqueza”. Converse com eles. Explique o que você está construindo e mostre como seguir em frente.

Mostre a importância de seguir com o plano “rumo ao infinito”, de geração em geração.

Pois bem: isso vale para Fundos de Tijolos, de Papéis, Ações, RF, etc. É evidente que, em ativos reais, a proteção do principal lhe proporciona mais segurança, especialmente quando se consome 100% da renda.

Entendo hoje que seja muito mais uma questão de encontrar um ponto de equilíbrio para que, lá no futuro, da mesma forma que você criou um PLANO de “Acumulação” ao longo da vida, chegará o momento de se criar um PLANO para “Usufruir” de tudo isso.

Da mesma forma que, no longuíssimo prazo, os “Preços seguem os Fundamentos”, eu posso inferir que suas “Escolhas seguirão seu Perfil”.

E, por fim, lembre-se de acessar a nossa playlist no canal do Youtube, que visa mapear os principais FIIs do mercado.

ESPERO POR VOCÊ!

Participe de nossas Lives, no Canal do Youtube da Suno Research, sobre Fundos Imobiliários às quintas-feiras às 21h e aproveite para tirar ainda mais dúvidas sobre tudo que foi abordado neste artigo.

Além disso, temos Relatórios e Radares bem completos que são publicados semanalmente, trazendo destaques dos principais Fundos Imobiliários negociados no mercado brasileiro.

Compartilhe a sua opinião
Marcos Baroni

Marcos Baroni

Marcos Baroni, professor há 20 anos em cursos de Graduação e MBA nas áreas de Gestão de Projetos e Processos. Graduado na área de Tecnologia da Informação e pós graduado em Educação, investe no mercado financeiro desde o início de sua carreira e há 10 anos leva conhecimento por várias cidades do Brasil sobre como conquistar a Independência Financeira.