Fiikipedia

Fiikipedia: Ninguém pode te ensinar a ser feliz

By 14 de fevereiro de 2019 No Comments

Nesta semana, faremos a nossa tradicional Live com perguntas e respostas. Vamos debater os últimos acontecimentos do mercado de Fundos Imobiliários. Participe e compartilhe com seus amigos(as).

Lembre-se também que estamos comemorando 02 anos aqui na Suno e para isto, temos uma promoção muito especial: Clique e confira

 

LIVE – SUNO RESPONDE (14/fev/2019 às 21h)

Como sabem, o Fiikipedia foi idealizado para que pudéssemos compartilhar conhecimento. Confesso a vocês que fico feliz quando leio (ou vejo) pessoas (e profissionais) que buscam desenvolver o mercado.

Há poucos dias, tive a oportunidade de ler um artigo publicado por FELIPE RIBEIRO (Banco Fator), que figura hoje entre um dos mais importantes profissionais do mercado de CRIs (Recebíveis Imobiliários) no Brasil.

Desde quando comecei a sedimentar o pilar educacional da Suno Research, pude conhecer pessoas brilhantes – FELIPE RIBEIRO talvez seja um dos “novos” profissionais que fará história no mercado. Na verdade, já está fazendo.

É competente, atencioso e busca sempre decidir por aquilo que é correto para o desenvolvimento da indústria de FIIs no Brasil. E como pai da Iara, sabe muito bem que o amanhã depende daquilo que fazemos hoje.

Todos têm espaço por aqui e, hoje, reproduzirei então este extraordinário artigo que poderá ajudar todos trilham nesta longa jornada em busca da conquista de uma vida financeira bem-sucedida.

Tenho comigo que “investir bem no longo prazo é um estado de espírito” e, este artigo, procura cumprir seu papel neste caminho.

1) A necessidade de CRER

Tenho percebido que muita, mas muita gente mesmo, acredita em tudo, ou pelo menos grande parte do que lê (ouve, assiste, ou recebe via WhatsApp, ou Facebook…). pra dizer que é a maioria mesmo.

Lê e acredita naquilo que recebe. Não coloca nenhum filtro ou algum tipo de pensamento crítico daquilo que está “consumindo”. E muitas vezes ainda compartilha. Se for uma frase bonita com uma imagem maravilhosa então… seguramente compartilha. Nem sabe se o autor foi aquele mesmo, ou checa se aquele fato é verdadeiro. Apenas clica em “share”.

Estou para escrever alguma coisa neste sentido faz mais de ano. Ainda estava faltando a coragem. Mas ela chegou.

2) Propaganda e (é?) manipulação

Há alguns anos que aquilo que vende mais, não necessariamente é o melhor produto, mas sim aquele que tem a melhor propaganda / campanha / GoogleAds etc. E isso pode ser bom.

Pode ser bom se a campanha realmente enaltecer qualidades verdadeiras do produto, e se o produto for de fato bom para quem o consome. O que nem sempre é verdade. A ver manipulações em eleições através de mídias sociais e fakenews, indústria automotiva e carros a diesel, área de sustentabilidade da Vale, empresas que vendem felicidade, e por aí vai.

Como se vê hoje, o marketing domina praticamente todos os setores onde possa existir algum retorno financeiro.

Mas, de todas as indústrias, onde o marketing mais me incomoda é na indústria da felicidade e da saúde.

3) Felicidade, saúde e marketing

Por incrível que pareça existe SIM a indústria da felicidade. Existem pessoas, empresas e governos que vendem o conceito de felicidade como um meio de vida, e ensinando como fazer feliz os outros (ou querendo medir a felicidade alheia).

A indústria da saúde a todo tempo está vendendo novas dietas, novas fórmulas ou a nova maneira de ser mais saudável. A última novidade que vi neste sentido é “Mulher usa fibras devoradoras de gordura e vai presa por emagrecer demais”, conforme imagem acima. Parece absurdo que alguém clique ali. Mas clicam.

4) Será que não sabemos ser felizes?

Fico pensando se precisamos de alguém além de nossos amigos e principalmente nossa família para sermos felizes. Alguns (tal qual eu) se utilizam do lado espiritual também.

Milhares e milhares de coachs surgem todos dias pra nos ensinar a ser felizes, como cuidar das nossas carreiras, como nos alimentar melhor, como nos relacionar melhor. De todos estes fico na dúvida se realmente preciso daqueles que me ensinariam a ser mais feliz. Acho que não.

Só o conceito de alguém ensinar o outro a ser feliz (e ganhar dinheiro com isso) já é algo que me dá calafrios. Parece algum filme de ficção científica futurista. Mas, caros amigos, isso está acontecendo hoje, bem debaixo dos nossos olhos, e grande parte se deixa levar pela ilusão.

5) A marketização da vida

Escrevi primeiramente este artigo em forma de “update” aqui no LinkedIn, mas achei que seria mais prudente colocar no formato de artigo. E fazendo isso dei uma pesquisada mais afundo para ver se existiam outras pessoas que pensam da mesma maneira. Grande foi minha surpresa ao descobrir que existem diversos livros, artigos e estudiosos do tema.

O livro “The Happiness Industry: How the Government and Big Business Sold Us Well-Being” de William Davies foi o que mais me surpreendeu, conforme o resumo do livro: ” (…) The Happiness Industry is an essential guide to the marketization of modern life. Davies shows that the science of happiness is less a science than an extension of hyper-capitalism.”

Será que aquele post no Instagram é 100% verdade? Será que aquela pessoa está realmente feliz? Será que aquela empresa que vende felicidade é realmente tão feliz assim? Será que as pessoas que trabalham naquela empresa são realmente felizes? Será que aquela “blogueirinha” tem “aquela” vida tão boa?

Sinceramente acho que não. Mas tenho certeza que estão ganhando dinheiro dizendo que são felizes. E não deve ser pouco.

E você? Sua felicidade é genuína ou é só para mostrar para alguém? É felicidade ou falcilidade?

E, por fim, lembre-se de acessar a nossa playlist no canal do Youtube, que visa mapear os principais FIIs do mercado.

ESPERO POR VOCÊ!

Participe de nossas Lives, no Canal do Youtube da Suno Research, sobre Fundos Imobiliários às quintas-feiras às 21h e aproveite para tirar ainda mais dúvidas sobre tudo que foi abordado neste artigo.

Além disso, temos Relatórios e Radares bem completos que são publicados semanalmente, trazendo destaques dos principais Fundos Imobiliários negociados no mercado brasileiro.

Compartilhe a sua opinião
Marcos Baroni

Marcos Baroni

Marcos Baroni, professor há 20 anos em cursos de Graduação e MBA nas áreas de Gestão de Projetos e Processos. Graduado na área de Tecnologia da Informação e pós graduado em Educação, investe no mercado financeiro desde o início de sua carreira e há 10 anos leva conhecimento por várias cidades do Brasil sobre como conquistar a Independência Financeira.