Faturamento da Rumo

Você sabe qual foi o faturamento da Rumo em 2017 ?

Quase R$ 6 bilhões. Vamos analisar o faturamento da Rumo e entender um pouco mais dessa empresa importante, pois de acordo com Warren Buffet, risco vem de não entender o que se está fazendo.

Então, vamos em frente.

A Rumo é a maior operadora independente de logística ferroviária na América Latina. A companhia fornece diversos serviços como:

  • Transporte intermodal door-to-door doméstico e internacional
  • Carregamento e entrega local
  • Terminal portuário
  • Serviços de armazenagem

Ou seja, é uma gama ampla de serviços disponíveis.

Mas para dar uma dimensão da relevância da Rumo, veja os principais ativos da companhia:

  • 12 mil km de ferrovias, abrangendo 80% do PIB.
  • 1000 locomotivas
  • 25.000 vagões
  • Vários centros de distribuição e armazenagem

Dê uma olhada na extensão da linha ferroviária da Rumo:

ferrovias - rumo

ferrovias – rumo

Mas e quanto à governança corporativa?

De fato, as ações da Rumo são negociadas no Novo Mercado, segmento de mais alta governança corporativa, sob o código RUMO3. 

A Rumo se originou em 2015 a partir da fusão da ALL e da Rumo Logística, empresas com então 16 anos e 7 anos de funcionamento, respectivamente.

Principais produtos transportados pela Rumo

Frete de produtos - Rumo

Frete de produtos – Rumo

A principal fonte de receita da Rumo é através dos serviços de transporte de produtos agrícolas, destinados à exportação.

Ou seja, podemos ver a partir da tabela acima que mais de 83% do volume transportado foi de produtos agrícolas, especialmente Soja e Milho.

Por outro lado, o transporte de produtos industriais representa os outros 17%, com destaque para combustíveis, madeira, papel, celulose e contêineres.

Volume transportado - Rumo

Volume transportado – Rumo

Ainda, podemos perceber que os volumes transportados pela Rumo aumentaram 23,4% no total, e 27,1% e 7,7% para produtos agrícolas e industriais, respectivamente.

Fontes de receita da Rumo

Receita da Rumo

Receita da Rumo

Enquanto a receita líquida da Rumo aumentou 18,6% na comparação anual, nem todos componentes da receita tiveram o mesmo desempenho.

A parte de Transportes, que representou quase 84% da receita de 2017, cresceu incríveis 26,1%.

Mas a Rumo também realiza atividades de elevação portuária. Este é um segmento de pouca relevância e que cresceu 7,3% na comparação anual.

Por fim, a companhia também tem outras receitas.

Sejam aquelas pagas por outras empresas para utilizar as malhas ferroviárias da Rumo.

Ou então, a receita da Rumo a partir do transporte de açúcar em outras ferrovias ou rodovias e também a receita de contratos take or pay.

Essas outras receitas caíram 16,6% no ano contra ano.

Para entender melhor os negócios da Rumo, a companhia faz a divisão das suas operações em três tipos:

  1. Operação Norte
  2. Operação Sul
  3. Operação de Contêineres

Então, vamos analisar cada uma delas agora.

Operação Norte da Rumo

Operação Norte - Rumo

Operação Norte – Rumo

A Operação Norte envolve as Malhas Norte e Paulista e também a Operação Portuária em Santos. É a principal operação da Rumo.

Os resultados foram excelentes.

Por exemplo, o volume e receita de transporte de produtos agrícolas e industriais cresceram 29,4% e 33,3%, e 8,9% e 11,7%, respectivamente.

Operação Sul da Rumo

Operação Sul - Rumo

Operação Sul – Rumo

Por outro lado, a Operação Sul envolve as Malhas Oeste e Sul, e também gerou ótimo crescimento nos negócios da Rumo.

O volume e receita de transporte de produtos agrícolas e industriais cresceram 20,3% e 25,8%, e 7% e 16,4%, respectivamente.

Operação de Contêineres da Rumo

Operação de Contêineres - Rumo

Operação de Contêineres – Rumo

Enfim, a operação de contêineres.

E os resultados não foram bons.

O volume total transportado diminuiu quase 8% e a receita diminuiu quase 16%.

Mas como dissemos anteriormente, esse é um segmento menos relevante para os negócios da Rumo.

Conclusão sobre o faturamento da Rumo

Rumo - logo

Rumo – logo

Ao detalharmos o faturamento da Rumo por tipo de serviços e regiões demográficas, conseguimos ter uma visão mais detalhada da empresa, o que certamente é útil na hora de analisarmos a companhia.

Compartilhe a sua opinião
Rodrigo Wainberg

Rodrigo Wainberg

Profissional aprovado no Level III da certificação CFA, investidor em ações há 6 anos, possui registro de Analista e Consultor de Valores Mobiliários, e é Bacharel em Física pela UFRGS.