Acesso Rápido

    Fair trade: entenda como funciona esse sistema de comércio justo

    Fair trade: entenda como funciona esse sistema de comércio justo

    Em 1960, foi criado na Holanda um movimento que tinha por objetivo combater as injustiças do comércio internacional. Conhecido como fair trade, esse sistema se desenvolveu ao longo do tempo.

    O fair trade constitui-se em uma parte da economia solidária que busca corrigir desigualdades nas relações comerciais. Isso ocorre, principalmente, por meio da valorização das condições de trabalho do produtor.

    O que é o fair trade?

    O fair trade, também conhecido como comércio justo, é um sistema de comércio que  visa melhorar as relações comerciais entre os agentes da cadeia produtiva. Dessa forma, ele se constitui em uma alternativa ao comércio convencional.

    Isso porque o objetivo dessa iniciativa não é, necessariamente, maximizar os lucros nas transações comerciais. No caso, o principal objetivo do fair trade seria aumentar o nível de bem estar social de todos os envolvidos. Isso é feito por meio de regras justas e transparentes de negociação.

    Além disso, esse sistema é fundamentado em preceitos de solidariedade, confiança e respeito mútuo que contribuem para a promoção e crescimento do comércio justo.

    Quais os benefícios do fair trade?

    Esse sistema de comércio promove uma aliança  entre entre produtores, vendedores e consumidores, trazendo como benefícios:

    Além disso, o consumidor final ao optar por produtos certificados acaba por contribuir decisivamente na redução injustiças comerciais.

    Como funciona o fair trade?

    Através de um sistema de certificação administrado por uma organização internacional sem fins lucrativos, a Internacional Fair Trade Association, os produtos que atenderem ao padrão exigido ganham um selo de identificação.

    Os produtos que contemplam essa lista dependem da região e do país em questão, ou seja, varia conforme as necessidades da realidade local.

    Mas, de forma geral, milhares de produtos são contemplados, como chás, café, frutas, nozes e outras commodities. Além disso, produtos não alimentares também podem ser favorecidos como flores, plantas, bolas esportivas e sementes de algodão.

    Princípios do fair trade

    Para ser classificada com o com selo Fair Trade, a empresa deve seguir uma série de critérios. Além disso, deve respeitar os 10 princípios elaborados pela WFTO (Organização Mundial do Comércio Justo), são eles:

    • Princípio 1: Criar oportunidades para os produtores em desvantagens econômicas;
    • Princípio 2: Transparência e prestação de contas;
    • Princípio 3: Práticas de comércio justo;
    • Princípio 4: O pagamento de preço justo;
    • Princípio 5: Garantir que não haja trabalho infantil e nem trabalho forçado;
    • Princípio 6: Compromisso com a não discriminação, igualdade de gênero e empoderamento econômico da mulher e liberdade de associação;
    • Princípio 7: Propiciar boas condições de trabalho;
    • Princípio 8: Fornecer capacitação;
    • Princípio 9: Promover o comércio justo;
    • Princípio 10: Respeito ao meio ambiente.

    O fair trade proporciona a possibilidade de um desenvolvimento econômico de forma cooperada. Se você deseja saber mais sobre assuntos de natureza econômica, inscreva-se gratuitamente em nosso canal do Whatsapp e mantenha-se sempre atualizado.

    Fair trade no Brasil

    No Brasil, esse sistema ainda não é muito conhecido. Contudo, a BRFAIR (Associação das Organizações de Produtores Fairtrade do Brasil) reúne os produtores certificados para usar o selo. Sendo que os principais produtos certificados no país são café, suco de fruta, mel, castanha, soja e uva para vinho.

    Então quando você encontrar por um produto com o selo Fair Trade, significa que os produtores e comerciantes atenderam aos critérios da organização internacional.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *