factoring
Por: Tiago Reis

O que é factoring e como as empresas podem se financiar com ele?

O acesso ao crédito é uma das maiores dificuldades enfrentadas pelos empreendedores brasileiros. Devido as altas taxas de juros e burocracia excessiva, nem todo empresário consegue recorrer a empréstimos e financiamentos para investir no seu negócio. Mas para contornar essa dificuldade, um tipo de operação mais simples pode ser utilizada para financiar o fluxo de caixa das empresas: o factoring.

Muito utilizado principalmente pelas micro, pequenas e médias empresas, o financiamento via factoring permite a antecipação de recursos de forma facilitada. Dessa forma, esse tipo de operação serve como solução para a necessidade de capital das empresas em diversas situações.

O que é o factoring?

O factoring é um tipo de financiamento onde um negócio vende suas contas a receber, com um desconto, para uma terceira parte. Por isso, se trata de um instrumento de fomento comercial, onde uma empresa repassa para outra seus recebíveis e créditos futuros de médio e longo prazo. Dessa forma, elas recebem em troca o pagamento desses valores à vista.

Dessa forma, o dono do negócio consegue receber, no curto prazo, um dinheiro que ele só teria acesso no futuro. Logo, o negócio consegue antecipar o pagamento de cheques, vendas a prazo, pagamentos com cartão de crédito, duplicatas, recebíveis e demais valores a receber.

O valor pago pelos direitos a receber, são descontados por uma taxa de deságio – que inclui uma taxa de juros e de risco de crédito. É por meio dessa taxa que a empresa de factoring consegue precificar o risco de inadimplência envolvido nos créditos comprados e rentabilizar a operação. Por serem de natureza mercantil, e não financeira, as operações de factoring não exigem registro junto ao Banco Central.

Como funciona a operação de factoring?

A operação de factoring envolve três partes:

  • Fomentadora ou factoring: empresa de factoring que adquire o crédito e antecipa os valores;
  • Fomentada: empresa que cede seus créditos e valores a receber em troca do adiantamento da quantia;
  • Sacado: pessoas ou empresas que estão devendo a cedente, e que estão obrigadas a pagar pela dívida no futuro.

Com isso, a operação de factoring acontece da seguinte forma:

  1. No dia a dia do seu negócio, a fomentada vende seus bens e serviços a prazo, gerando assim créditos a serem recebidos no futuro;
  2. Para tentar receber esses valores à vista, a fomentada procura uma fomentadora para repassar seus créditos e direitos a receber;
  3. Concordando com a operação, a fomentadora antecipa os valores para a empresa cedente. Logo, em troca, ela passa a ser dona das contas a receber da empresa.
  4. De posse desses créditos, a factoring irá cobrar os devedores (sacados) no prazo estabelecido. Ao receber diretamente deles, a operação é encerrada.

Por que o factoring pode ser vantajoso para as empresas?

Toda empresa precisa constantemente de dinheiro em caixa, seja para continuar funcionando ou para expandir suas atividades. Porém, com o factoring, as empresas que não possuem tanto acesso ao crédito podem se financiar com mais facilidade, conseguindo:

  • Receber à vista por vendas feitas a prazo;
  • Garantir o pagamento de dívidas e reduzir o risco de não receber dos clientes;
  • Fortalecer seu fluxo de capital de giro e aumentar a capitalização da empresa;
  • Evitar o pagamento de juros e a contração de dívidas com bancos e financeiras.

Quais são as modalidades de factoring existentes?

Existem diversas operações diferentes dentro do fomento comercial. As duas mais praticadas no mercado brasileiro são:

Factoring Convencional

Tipo de operação baseada apenas na compra dos direitos creditórios e recebíveis das empresas, através de um contrato de fomento mercantil. Como o próprio nome sugere, o modelo de factoring convencional é o mais comum no país.

Factoring Trustee

Nessa modalidade, a operação de factoring não se limita apenas a compra de títulos. No factoring trustee, a fomentadora, também presta serviços de assessoria administrativa e financeira para as empresas cedentes.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

1 comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ana 25 de outubro de 2019

    Acompanho suas análises sobre ações no Youtube ! Comecei a investir na bolsa através dos seus ensinamentos. MUITO OBRIGADA POR COMPARTILHAR !

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

209 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs
Frame

NÃO VÁ EMBORA AINDA...

Inscreva-se e receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!