equity crowdfunding

O crowdfunding é um tipo de campanha coletiva de arrecadação de fundos muito utilizada na internet para apoiar variadas causas e projetos. Mas além de servir como uma “vaquinha virtual”, essa ferramenta também vem sendo muito usada ultimamente como uma forma de investimento, principalmente em startups e demais projetos inovadores. É o equity crowdfunding.

Com o equity crowdfunding, pequenos empreendedores que antes não conseguiam se financiar pelas formas tradicionais de investimento agora podem levantar fundos para financiar seu negócio.

O que é equity crowdfunding?

O equity crowdfunding é um tipo de financiamento coletivo, onde um grupo de pessoas investe pequenas quantias de capital em projetos e empresas iniciantes, em troca de participação societária (equity) no empreendimento em questão. Também conhecido como crowdinvesting, o equity crowdfunding é visto como modalidade direta de investimento privado em empresas nascentes e com bom potencial de crescimento futuro.

Funcionando de maneira muito semelhante a um IPO, é através dele que uma startup, por exemplo, consegue realizar uma captação pública de recursos para financiar suas operações – podendo assim receber o aporte de vários interessados até completar sua necessidade de capital.

Qual a diferença entre crowdfunding e equity crowdfunding?

O crowdfunding tradicional é uma modalidade de pré-financiamento para produtos e iniciativas que ainda estão em desenvolvimento. Com ele, o interessado investe uma quantia de dinheiro e, em troca, ganha o direito de receber uma recompensa no futuro – como brindes, presentes ou até mesmo o produto em questão.

Por isso, muitas vezes o crowdfunding é utilizado como uma estratégia de pré-venda pelas empresas. Dessa forma, elas podem testar qual a nível de interesse e demanda pelo produto no mercado antes do seu lançamento.

Já o equity crowdfunding é uma modalidade de crowdfunding, mas que funciona como uma forma de investimento. Nele, o valor aplicado pelos investidores é revertido em uma participação na empresa. Logo, quem participa de um equity crowdfunding se torna sócio do projeto – adquirindo assim o direito de compor o seu quadro societário e receber os futuros lucros da iniciativa.

Como funciona o investimento em equity crowdfunding?

Mesmo sendo uma novidade, o equity crowdfunding já é reconhecido oficialmente em vários países como uma ferramenta importante para capitalizar empresas em fase inicial. Com o crescimento da atividade no Brasil, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) também deu um passo nesse sentido e criou, em 2017, uma regulamentação específica para o mercado de equity crowdfunding.

Com a publicação da Instrução CVM 588, foram definidas uma série as regras específicas organizar esse tipo de investimento, reduzindo o risco da atividade e garantindo um ambiente de segurança jurídica para todas as partes. Dentre os pontos esclarecidos pela regulação brasileira, estão:

Quem pode organizar um crowdfunding?

O equity crowdfunding só pode ser feito através de uma plataforma de investimentos autorizada pela CVM para realizar a operação. Ela ficará responsável por divulgar a oferta, captar os recursos investidos e repassar para a empresa. Para isso, essas plataformas cobram um percentual sobre o capital levando.

Quem pode fazer um equity crowdfunding?

A operação é destinada apenas para empresas e negócios de pequeno porte. Por isso, apenas empresas brasileiras com receita de até R$ 10 milhões por ano podem realizar um equity crowdfunding.

Quem pode participar de um equity crowdfunding?

Diferente do modelo tradicional de investimento privado em empresas, onde apenas grandes investidores e financiadores podem participar, no equity crowdfunding é possível realizar uma captação com diversos investidores menores – que, no geral, fazem pequenos aportes. É possível investir até com valores abaixo de mil reais, por exemplo.

Que informações devem ser divulgadas em um equity crowdfunding?

O processo de equity crowdfunding começa com a divulgação do prospecto inicial da oferta, que deve apresentar:

  • As informações e dados financeiros da empresa;
  • Os riscos envolvidos no negócio;
  • O valor que a empresa pretende captar;
  • O tipo de captação realizada (livre ou com um meta mínima de arrecadação);
  • A participação percentual que a empresa deseja oferecer aos investidores;
  • As condições de investimento oferecidas;
  • O prazo de encerramento da oferta;

O que o investidor recebe após o equity crowdfunding?

Ao entrar em um equity crowdfunding, o investidor passa a obter uma participação real na empresa – seja através de ações propriamente ditas ou de títulos conversíveis que, no futuro, podem ser convertidos em participação societária.

Quanto capital pode ser levantado em um crowdfunding?

Uma mesma empresa pode captar apenas até R$5 milhões por ano com esse tipo de investimento. Além disso, após a realização de um equity crowdfunding, só é possível realizar outra rodada de investimentos depois de pelo menos 120 dias.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.