Acesso Rápido

    Dólar futuro (DOLFUT): saiba como funciona esse tipo de contrato

    Dólar futuro (DOLFUT): saiba como funciona esse tipo de contrato

    O dólar futuro é um tipo de contrato muito importante para traders, que desejam chegar a altos rendimentos através de operações na bolsa.

    Embora seja possível investir na economia americana através de ações no país, é possível fazer uso de contratos de dólar futuro.

    O que é dólar futuro?

    Contratos de dólar futuro são acordos de compra ou venda de moeda norte-americana em um prazo futuro, por um preço antecipadamente estabelecido. Esses contratos são negociados pela B3 e padronizados de acordo com suas datas de vencimento.

    Portanto, quando investidores falam em dólar futuro, eles estão se referindo a uma forma bastante difundida de investir na moeda americana.

    E-book: Investindo no Exterior

    Descubra como investir nas melhores empresas e ativos do mundo com o nosso ebook gratuito de Investimentos no Exterior!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    De fato: é possível investir na economia americana através de outros meios, como BDRs e investimentos diretamente no exterior. No entanto, se o interesse do investidor é comprar dólar, essa costuma ser uma forma muito melhor de operar a moeda estrangeira.

    Sendo assim, através do Mercado Futuro, grandes especuladores compram e vendem contratos futuros de dólar todos os dias, apostando assim, nas oscilações da moeda.

    Dessa forma, eles buscam elevadas rentabilidades através dessas operações. No entanto, é preciso ter cuidado, pois elas podem ser bastante perigosas para iniciantes.

    Para que serve o dólar futuro?

    Primeiramente, é preciso entender que a motivação básica para a realização desses contratos é a proteção contra a exposição dos efeitos da variação cambial nas atividades de um agente econômico.

    Isso acontece porque, em determinadas empresas, uma alta ou queda brusca do dólar pode causar efeitos potencialmente adversos sobre suas finanças.

    Sendo assim, procurando mitigar esse risco, muitas empresas realizam estratégias de hedge, utilizando contratos futuros de taxa de câmbio.

    Além disso, especuladores também podem tentar conseguir gerar ganhos através da negociação dos contratos.

    Portanto, aquele que compra um contrato futuro de dólar está apostando na valorização dessa moeda frente ao real. Assim, de modo a lucrar com a venda ou liquidação desse contrato na sua data de vencimento.

    Por outro lado, quem vende um contrato desse tipo aposta na desvalorização dessa moeda frente ao real, tendo como objetivo sempre lucrar no momento da liquidação do contrato.

    Quais os tipos de contrato de dólar futuro?

    Existem dois tipos de contrato de dólar futuro, que são:

    1. Contrato cheio

    Primeiramente, o contrato cheio de dólar futuro representa uma movimentação de US$ 50 mil. Dessa forma, é padrão a negociação de um lote mínimo de cinco contratos, totalizando US$ 250 mil.

    2. Minicontrato

    Por outro lado, essa modalidade representa apenas 20% do contrato cheio. Portando, cada contrato vale US$ 10 mil. Nesse caso não há um número mínimo para a operação.

    Sendo assim, o minicontrato de dólar futuro é mais acessível a investidores que possuem menos capital para realizar suas operações.

    Planilha de Controle de Investimentos

    Faça o controle completo das suas ações, FIIs e todos os seus investimentos com a nossa planilha gratuita de Controle de Investimentos!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Como operar dólar futuro?

    Para comprar contratos de dólar futuro no Brasil, os operadores devem procurar uma corretora de valores que disponibilize um Home Broker. Além disso, é necessário que o investidor tenha uma margem de garantia para que a operação seja liberada.

    Dessa forma, essa margem também pode ser aceita através da concessão de títulos públicos ou CDBs.

    O vencimento desses contratos acontece no primeiro dia útil de todos os meses do ano na Bolsa de Valores.

    Sendo assim, é preciso entender o que significa cada letra do código para saber como operar dólar futuro na B3. Os contratos funcionam da seguinte maneira:

    Primeiramente, cada papel tem uma nomenclatura diferente. O contrato cheio é denominado pela sigla DOL, enquanto o minicontrato é WDOL.

    Além disso, essa nomenclatura vem acrescida da letra correspondente ao mês de vencimento do contrato (F, G, H, J, K, M, N, Q, U, V, X ou Z) e de dois números correspondentes ao ano de vencimento do contrato.

    No momento da liquidação do contrato é feito uma operação inversa à posição original, na data de seu vencimento. Portanto, a posição do especulador é automaticamente zerada no dia do vencimento. Aquele especulador que estiver comprado será vendido, e vice-versa.

    Por fim, a incidência de imposto de renda sobre a liquidação de um contrato de dólar futuro é de 15% sobre o lucro líquido da operação.

    Vale a pena operar dólar futuro?

    Não há uma resposta definitiva a esse respeito: a decisão em operar ou não com algum contrato, ou de investir ou não em certo ativo sempre deve ser feita, em última análise, pelo investidor.

    De fato: esse tipo de operação atrai muitas pessoas que desejam altos retornos, que podem sim ser alcançados através de derivatidos.

    No entanto, é preciso entender que esse tipo de operação possui riscos elevados, fazendo com que muitas pessoas percam dinheiro fazendo trade.

    Além disso, vê-se que investir em ações com foco no longo prazo tende a remunerar muito melhor o investidor ao longo dos anos, ainda que com menos risco.

    Entretanto, caso alguém deseje fazer operação com dólar futuro, é preciso estudar bastante sobre o assunto, entendendo conceitos macroeconômicos fundamentais.

    Por fim, fica claro que essa decisão cabe ao investidor, que deve pensar a respeito de suas decisões financeiras de forma consciente.

    Ainda possui dúvidas a respeito da operação com dólar futuro? Comente abaixo.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *