d+0, d+1
Por: Tiago Reis

Entenda o que é D+0, D+1, D+2 e como é feito o resgate de uma aplicação

O investidor se depara com uma variedade de características e informações diferentes ao procurar por uma aplicação financeira. Dentre tais condições, certamente uma das mais importantes diz respeito ao prazo de resgate do dinheiro aplicado. É nessa hora que aparecem os famosos termos “D+0, D+1, D+2, D+3″ – e assim por diante.

Como o tempo de resgate é o que determina a liquidez de uma aplicação – como, por exemplo, um fundo de investimento, entender o que significa D+0, D+1, D+2 é essencial para definir se o produto é adequado para os objetivos do investidor.

O que é D+0, D+1, D+2?

As siglas “D+0, D+1, D+2” indicam o tempo para que uma transação financeira seja efetuada. Elas mostram, de forma resumida, quantos dias úteis vão levar para a operação ser processada e realizada pela instituição.

O termo é uma abreviação para “Dia Atual + X”. O dia atual é a data em que a solicitação é feita, e X é o número de dias úteis até ela ser completada.

Planilha de Controle de Investimentos

Faça o controle completo suas ações, FIIs e todos os seus investimentos com a nossa planilha gratuita de Controle de Investimentos!

Em uma aplicação D+1, por exemplo, o resgate do dinheiro será completado em um dia útil após a sua solicitação. Logo, se o investidor pedir o saque hoje, o dinheiro será depositado em sua conta no dia útil seguinte.

Dessa forma, em um D+2, o dinheiro será depositado dois dias depois. No D+3, três dias úteis – e assim sucessivamente.

O D+X é utilizado não só para investimentos, mas também para compensações bancárias e qualquer outra transferência de valores no mercado.

Ou seja, o tempo para um cheque ser sacado, ou para o crédito de um DOC sair de uma conta para outra, por exemplo, também são contabilizados dessa forma.

Por que os prazos de resgate existem?

Normalmente, a maioria das operações financeiras precisam passar por uma série de etapas até serem concluídas.

Para descontar um cheque, por exemplo, o processo é longo. Tudo começa com a solicitação do cliente. Logo após, o banco emissor recebe o comunicado sobre a compensação.

Em sequência, a assinatura e demais dados do cheque são conferidas e a conta do emissor é verificada para ver se existe saldo suficiente para cobrir o valor.

Apenas depois de completar todo esse trâmite que o banco consegue concluir a transação. Sendo assim, o processo é finalizado com a transferência do dinheiro de uma pessoa para a outra.

Em uma aplicação financeira, como um fundo de investimento ou um CDB, a situação é a mesma. Na maioria das vezes, a instituição precisa “desinvestir” parte da sua carteira para devolver o dinheiro solicitado pelo cliente.

Logo, por ser um processo complexo e que envolve diversas partes, o saque normalmente leva alguns dias úteis para ser efetuado.

A relação entre a liquidez da aplicação e o prazo de resgate

A liquidez, definida como a facilidade de transformar um ativo em dinheiro, é um das características mais importantes de qualquer investimento.

Logo, em uma aplicação financeira – onde o capital fica sobre a responsabilidade de um terceiro, o que determina a liquidez do produto é o seu prazo de resgate.

Por isso, é importante prestar atenção nos prazos apresentados pelo investimento em questão. Esse período irá variar de acordo com o tipo de aplicação.

Ou seja, fundos e produtos mais focados em longo prazo costumam ter prazos mais longos. Da mesma forma, investimentos de curto prazo permitem resgates mais rápidos, como D+0, D+1, D+2.

No caso das aplicações D+0, por exemplo, é oferecida a chamada “liquidez diária”, onde o dinheiro pode ser sacado pelo cliente no mesmo dia.

Esperamos que você tenha entendido o conceito por trás das siglas D+0, D+1, D+2. Para esclarecer alguma dúvida ou questão que tenha restado sobre o tema, deixe seu comentário abaixo e compartilhe conosco a sua opinião.

Telegram Suno
Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

29 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Vitor 31 de maio de 2019

    Mas se por que eu deixe o dinheiro rendendo durante um mes e la estiver D+0 /2eu posso deixar ou eu irei perder o dinheiro investido?

    Responder
  • Clea 9 de julho de 2019

    Onde encontro essa informação?

    Responder
  • Marcelo Tschumi 13 de agosto de 2019

    Tenho um a aplicação D+16 em multimercado. Se eu peço resgate hoje, o valor da cota é de hoje ou de 16 dias pra frente?

    Responder
    • Suno Research 15 de agosto de 2019

      Você recebe o valor correspondente ao dia do resgate. (no caso daqui a 16 dias)

      Responder
      • Marcelo do Nascimento 12 de fevereiro de 2020

        É boleto de estalionatario emitido pelo Banco ITI paguei imediatamente pois detesto o PAN AMERICANO quando vi que fora emitido pelo BRADESCO com código barras ITAU desconfiei do erro.

        Responder
    • EVANDRO 29 de janeiro de 2020

      Olá, Marcelo, fiz o mesmo questionamento. Se vc já obteve resposta, por favor, compartilha aí. Valeu.

      Responder
  • Bruno 1 de setembro de 2019

    Muito boa a explicação

    Responder
  • carlindo Claro 19 de setembro de 2019

    Parabens Tiago bem objetivo, era o que procurava

    Responder
  • Ricardo Braga 26 de setembro de 2019

    Fundo imobiliário é D+1 ? Obrigado

    Responder
    • Suno Research 4 de outubro de 2019

      Você vende as cotas via mercado secundário, ou seja, vende na bolsa como se fosse uma ação.

      Responder
  • Ellem 19 de dezembro de 2019

    ola eu vendi um lote de acao. e esta no extrato D2. eu posso comprar outra ação? mesmo que o dinheiro não esteja no soldo? não quero pedir resgate quero reinvestir. posso?

    Responder
  • Alexandre Marton 20 de dezembro de 2019

    Complementando seu artigo lhe coloco uma dúvida menos óbvia e mais importante: Quando eu peço para retirar dinheiro de um fundo d+3 e ele tem rendimento negativo nesses três dias meu saldo é só a perda do d0 (dia do pedido de resgate), do d1 ou somada de todos até o do d3?

    Responder
  • Bill 23 de janeiro de 2020

    Obrigado esclareceu minha dúvida

    Responder
  • Welinton 25 de janeiro de 2020

    Ola, tenho 116 em D1 e vou sacar mais ai vem a mensagem dizendo fundo insuficiente. como Faço pra sacar esse valor? Obrigado

    Responder
  • EVANDRO 29 de janeiro de 2020

    Bom dia, Tiago. Sua explanação é bem didática. Já ajudou muito. Só restou uma dúvida:

    No caso de ações, se eu decido realizar meu lucro e solicito o resgate, a valorização – e lucro- das minhas ações será a do ‘D’ ou a do ‘X’?

    Muito agradecido e aguardo.

    Responder
    • Suno Research 31 de janeiro de 2020

      Boa noite Evandro, nesse caso depende de onde você está investindo, é interessante você perguntar isso antes de fazer qualquer investimento com prazo de devolução.

      Responder
    • Jurandir 12 de março de 2020

      Tenho uma aplicação em fundo de investimento com resgate em D+8. Se eu pedir o resgate hoje, dia 12/03, o crédito será disponibilizado em minha conta dia 20/03. Minha pergunta é, o valor a ser creditado será o da data de hoje ou ocorrerão mais oito dias (de capitalização ou descapitalização do valor?

      Responder
  • lucas 31 de janeiro de 2020

    como eu vejo se a aplicação é D+0 ou D+1?

    Responder
    • Suno Research 31 de janeiro de 2020

      Essa informação deve constar no prospecto.

      Responder
  • Alfredo 18 de fevereiro de 2020

    Olá! Hoje o resgate de vendas de ações, fev/20, é D+2? Obrigado.

    Responder
  • Alex 9 de março de 2020

    O que signica d+8 fiz um investimento de 550 e esta em 584 hoje.
    Fiz em 28/02/20
    Em ouro.

    Responder
  • Henrique 11 de março de 2020

    Prezados, bom dia!

    Tenho um caso em que fiz a solicitação de resgate dia 07/02/20, e o prazo de cotização é d+30 CORRIDOS, e d+02 uteis para pagamento após cotização.

    D+30 CORRIDOS, cairia no dia 08/03/20, num domingo, a cotização deveria ocorrer pelo dia 08, ou seja, regredir até o dia 06/03, sexta feira, ou contar como segunda, dia 09, o que seria d+31?

    Muito obrigado caso possam me esclarecer

    Responder
    • Eduardo 26 de março de 2020

      Estou na mesma situação. Meu d+30 cai no domingo. No seu caso foi cotizado com o valor da sexta ou da segunda?

      Responder
  • Jurandir 12 de março de 2020

    Tenho uma aplicação em fundo de investimento com resgate em D+8. Se eu pedir o resgate hoje, dia 12/03, o crédito será disponibilizado em minha conta dia 20/03. Minha pergunta é, o valor a ser creditado será o da data de hoje ou ocorrerão mais oito dias (de capitalização ou descapitalização do valor?

    Responder
    • Suno Research 13 de março de 2020

      Boa tarde, Jurandir!
      O valor de retirada está sujeito a rentabilidade do fundo até o final do prazo de cotização. A partir do momento em que o valor é convertido em cotas, ele não está mais sujeito à rentabilidade.

      Responder
  • FRANCISCO NETO 26 de março de 2020

    Se o resgate é D + 3, o depósito será no terceiro dia útil após o pedido do resgate. Porém, qual dia é utilizado para calcular o valor da conta do fundo ?

    Responder
  • Webb.Ingrid 16 de abril de 2020

    A person’s success does not depend on his wisdom, but perseverance

    Responder
  • Webb.Ingrid 16 de abril de 2020

    A person’s success does not depend on his wisdom, but perseverance

    Responder
  • Adeguinal Junior 16 de maio de 2020

    Minha dúvida é a seguinte: tenho um fundo que é D+60, ok. Minha dúvida é, se eu fizer um pedido de resgate o valor da cota que vou receber, é o valor da cota do dia do pedido de resgate ou o valor da cota do dia de transformar minha cota em dinheiro, nesse caso, 60 dias depois?

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

210 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs
investment (2)

eBook Gratuito

Tudo Sobre Fundos de investimento

Tudo o que você precisa saber para começar a investir por meio dos Fundos De Investimento no Brasil!