As corretoras e distribuidoras possuem uma grande relevância no bom funcionamento do mercado
Por: Tiago Reis

Corretoras e Distribuidoras: Você sabe distinguir essas duas entidades?

É de conhecimento de praticamente todos os participantes do mercado que não é possível investir diretamente na bolsa de valores, haja vista que, para isso, a intermediação de corretoras ou distribuidoras se faz necessária.

Entretanto, mesmo sendo esse um conceito de amplo conhecimento, muitos investidores não têm, ainda, a instrução devida sobre a diferença entre corretoras e distribuidoras no mercado financeiro.

Principais pontos entre corretoras e distribuidoras

Tanto as Sociedades Corretoras de Títulos e Valores Mobiliários (CTVM) quanto as Sociedades Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários (DTVM) são supervisionadas pelo Banco Central do Brasil (Bacen) e dependem da autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para funcionar.

Ainda, por meio de uma decisão conjunta entra o Bacen e a CVM tomada em 2009, estabeleceu-se que as sociedades distribuidoras de títulos e valores mobiliários ficariam autorizadas a operar diretamente nos ambientes e sistemas de negociação dos mercados organizados de bolsa de valores.

Isso representou que, a partir de então, as distribuidoras poderiam participar de maneira mais ativa no mercado, o que fez com que, a partir disso, não existisse mais diferença no modo de operar e na área de atuação entre corretoras e distribuidoras de valores.

Contudo, as entidades de ambas as distinções devem atender à requisitos da BM&F Bovespa, como capacidade financeira e operacional, para poderem atuar em determinados segmentos.

Normalmente, essa qualificação é feita através de um programa chamado Participante de Negociação Pleno (PNP), que é uma instituição autorizada pela BM&F Bovespa a acessar diretamente os sistemas de negociação da Bolsa de Valores e a realizar negócios para carteira própria e de clientes das instituições cadastradas.

Corretoras e Distribuidoras – Principais Funções

As principais funções atribuídas a estas semelhantes entidades se fazem no processo de realização de operações de compra e venda de títulos e valores mobiliários, por conta própria ou de terceiros (intermediação).

Essas atuações se fazem, em sua grande maioria, por meio de bolsas de valores e mercadorias, mas também é comum que sejam realizadas operações no mercado de balcão.

Dessa maneira, tanto as CTVM quanto as DTVM intermediam operações de compra e venda de derivativos, câmbio, metais preciosos, além de serviços de administração e custódia de carteiras de títulos e valores mobiliários, e também instituir a administrar Fundos de Investimentos e, em alguns casos, os clubes de investimentos.

Home Broker

Dentre as atividades acima mencionadas responsabilizadas por essas instituições, elas oferecem, normalmente, a plataforma conhecida como Home Broker, que permite que seus clientes possam acessar os serviços oferecidos pela internet, além de fornecer, ainda, cotações de ativos em tempo real, suporte e auxílio através de consultas, vídeos, teleconferências, análises financeiras, dentre outas alternativas.

Considerações finais

Essas entidades possuem a finalidade de intermediar os investidores com o ambiente da bolsa de valores e, para que a experiência seja melhor usufruída por quem deseja aplicar o seu capital em ativos do mercado de capitais, uma pesquisa de maneira antecipada a respeito de taxas de custódia e corretagem por parte dessas organizações se faz de muita necessidade.

Vale ressaltar, nesse sentido, que grandes bancos costumam ter sua própria corretora, que normalmente cobram taxas maiores devido a segurança e conveniência que oferecem frente á corretoras de menores representatividades.

No mais, conforme mencionado, as corretoras e distribuidoras apresentam uma grande importância no que diz respeito à funcionalidade do mercado financeiro no país e, por cota disso, representam um alto grau de relevância no âmbito das aplicações financeiras de qualquer investidor.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

11 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Fernando 25 de maio de 2019

    Oi, boa tarde. Bom artigo, mas acredito que tenha faltado uma parte que cita as diferenças. O título do artigo é “Corretoras e Distribuidoras: Você sabe distinguir essas duas entidades?” E, logo no início:

    (…)muitos investidores não têm, ainda, a instrução devida sobre a diferença entre corretoras e distribuidoras no mercado financeiro(…)

    Mas ele não fala em nenhum momento das diferenças… Quais são?

    Responder
    • Diego 26 de maio de 2019

      Exato… Não explicitou as diferenças.

      Responder
    • Diego 26 de maio de 2019

      Exatamente… Não explicitou as diferenças, como o artigo se propôs inicialmente.

      Responder
    • Suno Research 5 de junho de 2019

      “Principais pontos entre corretoras e distribuidoras – Terceiro parágrafo:
      “”Isso representou que, a partir de então, as distribuidoras poderiam participar de maneira mais ativa no mercado, o que fez com que, a partir disso, não existisse mais diferença no modo de operar e na área de atuação entre corretoras e distribuidoras de valores.””
      Abraços”

      Responder
  • Joel 20 de junho de 2019

    Não tirou minha dúvida, a diferença entre elas é que são as mesma coisas? foi isso?

    Responder
    • Suno Research 25 de junho de 2019

      atualmente sim

      Responder
  • Nathan 11 de agosto de 2019

    E anteriormente qual era a diferença? Creio que faltou essa informação.

    Responder
    • Anderson 29 de agosto de 2019

      Anteriormente, as DTVMs não podiam operar diretamente no mercado de bolsa de valores.

      Responder
  • Eduardo 18 de setembro de 2019

    Todas as explicações sobre as corretoras e distribuidoras de valores mobiliários começam e terminam com a mesma discussão. No fundo não há diferença, mas ainda persiste diferença entre corretagem e distribuição ou colocação. Eu proponho aqui que seja definida a diferença fundamental entre a corretagem e a distribuição.

    Para a Lei 4.728/65, distribuição é:

    § 2º Entende-se por colocação ou distribuição de títulos ou valôres mobiliários nos mercados financeiro e de capitais a negociação, oferta ou aceitação de oferta para negociação:

    a) mediante qualquer modalidade de oferta pública;

    b) mediante a utilização de serviços públicos de comunicação;

    c) em lojas, escritórios ou quaisquer outros estabelecimentos acessíveis ao público;

    d) através de corretores ou intermediários que procurem tomadores para os títulos.

    Já a corretagem é a intermediação de compra e venda.

    Responder
  • Frank 9 de outubro de 2019

    Não ficou clara a diferença entre CTVM e DTVM; parece ser a mesma coisa…

    Responder
  • Marco Russo 14 de dezembro de 2019

    Boa Tarde!!!! Muito bom o comentário ,demonstrando que Distribuidoras e Corretoras de Valores não possuem diferenças.

    Essas entidades possuem a finalidade de intermediar os investidores com o ambiente da bolsa de valores e, para que a experiência seja melhor usufruída por quem deseja aplicar o seu capital em ativos do mercado de capitais, uma pesquisa de maneira antecipada a respeito de taxas de custódia e corretagem por parte dessas organizações se faz de muita necessidade.

    Fonte: Suno Research em Corretoras e Distribuidoras: Você sabe distinguir essas duas entidades?

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

207 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs

eBook Gratuito

Invista Como
Warren Bufeett

Aprenda a usar a estratégia do Value Investing, usada pelo maior investidor do mundo!

%d blogueiros gostam disto: