conta investimento
Por: Tiago Reis

Saiba o que é conta investimento e como ela funciona

Além da tradicional conta corrente, as instituições financeiras brasileiras costumam oferecer um outro tipo de conta para seus clientes: a conta investimento.

Criada para amenizar os efeitos da cobrança de CPMF nas contas tradicionais, a conta investimento passou por diversas mudanças e evoluiu com ao longo do tempo. Com isso, ela se manteve como uma opção interessante para os correntistas — principalmente para investidores que aplicam no longo prazo.

O que é uma conta investimento?

A conta investimento é um modelo de conta bancária, voltada para quem deseja investir seu dinheiro. A partir da lei que criou essa modalidade de conta, todos os bancos são obrigados a disponibilizar a conta investimento entre seus produtos.

Ou seja, assim como a conta corrente e conta poupança, a conta investimento é uma opção oferecida pelos bancos aos clientes que investem com eles. Trata-se de uma aplicação diferenciada, tanto no quesito taxas, quanto nas possibilidades de movimentação financeira. Suas características variam de instituição para instituição.

Por que a conta investimento foi criada?

conta investimento

A conta investimento foi criada pela lei nº 10.892, em junho de 2004. Seu principal objetivo era criar uma forma de isentar os investidores da famosa Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira — conhecida também como CPMF.

Ou seja, antes da conta investimento, toda aplicação financeira era taxada em 0,38% — o valor da alíquota da CPMF. Com isso, a incidência desse imposto prejudicava diretamente o capital depositado — já que a cobrança não se limitava a parte do rendimento da aplicação, mas sim sobre o total do valor movimentado.

Logo, com a criação da conta investimento, o investidor passou a ter a possibilidade de transferir seus recursos entre suas aplicações sem ter que pagar a CPMF..

Atualmente, a CPMF não está mais em vigor. Porém, mesmo sem a incidência do imposto, foram feitas adaptações na oferta de conta investimento para que ela continuasse vantajosa para os correntistas.

Vantagens tributárias das contas investimento

Além da retirada da CPMF, a conta investimento também trouxe outra grande vantagem para os investidores: a cobrança de Imposto de Renda semestral. Ou seja, nesse tipo de conta, as taxações passaram a ser feitas apenas duas vezes ao ano — sempre no último dia útil dos meses de Novembro e Maio. Sem a conta investimento, a cobrança do IR seria mensal, de 20% sobre o lucro obtido.

Exemplo de tributação nas contas investimento

Para exemplificar, imagine uma quantia de R$35.750,00 foi aplicada em um banco. Em um ano, os lucros dessa aplicação teriam sido taxados em 20% todos os meses. Ao final do período, com um rendimento mensal de 1,67%, o valor final da conta seria de R$41.921,92.

Com a conta investimento, a taxação passou a ser semestral. Isso significa que o Imposto de Renda sobre o lucro passou a ser cobrado apenas duas vezes ao ano. Ao final dos doze meses, com o mesmo rendimento mensal de 1,67%, o montante estaria em R$ 42.635,92. A diferença de lucro entre uma aplicação e outra seria de R$714.

Contas investimento e o longo prazo

Logo, a conta investimento acabou criando um incentivo para que o capital depositado permanecesse aplicado por mais tempo. Isso acontece porque, em um período maior, a forma de cobrança do IR afetaria diretamente o rendimento do investidor. Por isso, a medida favoreceu também o investimento em longo prazo, dando aos bancos uma capacidade de recursos mais sólida durante um maior período de tempo.

Como funciona a conta investimento atualmente?

conta investimento

Atualmente, as contas investimento são mais comuns nos bancos de investimento. Isso ocorre por dois motivos:

  • O primeiro deles é que o modelo de negócios destas instituições é o investimento. Logo, por não serem bancos de varejo, o capital aplicado pelos clientes precisa ir para uma conta investimento, já que esse o core business dessas empresas.
  • Além disso, legalmente, os bancos de investimento não poderem abrir conta corrente para os seus clientes. Logo, para que os mesmos consigam captar recursos, é utilizada a conta investimento.

Já nos bancos convencionais, existe a opção de abertura tanto de conta corrente quanto da conta investimento.

A poupança, por exemplo, é considerada legalmente um tipo conta investimento. Porém, se sua intenção é investir bem, não se deixe enganar. Hoje em dia, existem inúmeras opções mais rentáveis e até mesmo mais seguras do que a defasada caderneta de poupança. Para saber mais, confira o nosso Manual do Novo Investidor e descubra onde fazer o seu dinheiro render da melhor forma.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

2 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • wagner mendes 26 de setembro de 2019

    Seria possivel efetuar investimento financeiro de uma empresa pessoa juridica, em entidades financeiras sem necessariamente ter que abrir uma conta corrente?

    Responder
  • Miriam 20 de fevereiro de 2020

    Excelente artigo ! Grata por dividir seu conhecimento

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

207 artigos
Ações

FIIs

56 artigos
FIIs
profit (1)

Planilha Gratuito

Controle
SUAS
FINANçAS

Uma planilha 100% Gratuita para ajudar você a organizar as suas finanças!

Group 285

NÃO VÁ EMBORA AINDA..

O portal que vai te ajudar a começar
a investir.

Todos os conteúdos gratuitos 
da Suno em um só lugar!