Por: Tiago Reis

Certificação CFA: saiba tudo sobre a Chartered Financial Analyst

O CFA é recorrentemente conhecido por ser uma das certificações financeiras mais difíceis de serem obtidas em todo o mundo. Ela é um comprovante de amplo conhecimento sobre mercado financeiro, possibilitando que o profissional trabalhe praticamente em qualquer lugar do mundo inteiro como analista.

Por isso, pela sua importância e alto nível de dificuldade, é fundamental conhecer a mais cobiçada certificação dos analistas financeiros: o CFA, ou Chartered Financial Analyst.

O que é o CFA (Chartered Financial Analyst)?

O CFA, do inglês Chartered Financial Analyst é a certificação financeira mais reconhecida para profissionais atuantes no mercado financeiro. Por ser um atestado internacional, o profissional com o título CFA pode atuar em diversos países na área de finanças. O certificado é considerado uma espécie de passaporte global para a carreira de analista financeiro.

Ainda, algumas outras possibilidades para quem possui o título CFA são: trabalhar com consultoria financeira, empresas de investimentos e research, hedge, empresas de seguros e firmas de private equity.

E para obter o título de CFA charterholder, o candidato é avaliado por um conjunto de exames aplicados pelo CFA Institute, o instituto norte-americano responsável pelos testes e pela avaliação dos profissionais.

Além disso, ao obter essa certificação, o aprovado poderá, inclusive, incluir a sigla do atestado em sua assinatura, como um verdadeiro atestado de suas capacidades e da sua proficiência em finanças.

Como tirar a certificação CFA?

Para tirar o CFA, é preciso, primeiramente, de muito estudo e conhecimento. Nesse sentido, para se ter uma ideia, cerca de apenas 800 profissionais brasileiros possuem essa certificação. Além disso, em geral, menos de 15% dos candidatos que realizam as provas do instituto são aprovados.

Além disso, o candidato também deve preencher alguns outros requisitos, como:

  • Ter 4 anos de experiência profissional na área;
  • Assinar o código de conduta e ética;
  • Se tornar membro do Instituto.
Aprenda como analisar uma ação

Como é o processo de certificação do CFA?

Todo o conteúdo da certificação é cobrado em três etapas: o CFA Nível I, o CFA Nível II e o CFA Nível III.

O exame CFA, que é totalmente em inglês, acontece em junho, sendo que o teste nível I é aplicado também em dezembro. No Brasil, essas avaliações acontecem em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Além disso, é importante ressaltar também que o candidato deve passar sequencialmente nos níveis, ou seja, não pode pular nenhum nível ou receber parcialmente o título de Chartered Financial Analyst. Para isso, a aprovação em todos os três níveis é necessária.

Infelizmente, os critérios de avaliação do exame não são muito claros. Para o CFA Institute, o profissional deve obter uma pontuação mínima para passar. Contudo, não é explicado o que seria exatamente esta pontuação mínima.

Ela, na verdade, varia ano a ano de acordo com a dificuldade dos testes aplicados e com os níveis de aprovação nos exames. Logo, tais critérios levam em conta os métodos de avaliação do instituto da certificação.

Qual o conteúdo do exame de certificação CFA?

Como o exame do CFA é separado em três níveis, é importante detalhar melhor qual o conteúdo cobrado e a estrutura de cada um dos testes.

CFA Level I

No CFA Level I, o Instituto espera que os candidatos provem conhecimento em questões mais básicas relacionadas a investimentos.

Alguns temas importantes, com grande peso no nível 1, são:

  • Análise de Relatórios Financeiros;
  • Ética;
  • Economia;
  • Finanças Corporativas;
  • Investimentos em Ativos e em Renda Fixa.

Sobre a análise de relatórios financeiros, a Suno possui um minicurso de Contabilidade para Investidores, no qual vários tópicos sobre esse tema são abordados e explicados.

Neste nível, os candidatos fazem duas provas de 120 questões – 240 no total. Sendo assim, uma prova acontece na parte da manhã, e a outra na parte da tarde (assim como nos outros níveis). Cada uma delas possui 3 horas de duração.

Além disso, as questões são fechadas, de múltipla escolha, e cada uma possui 3 alternativas (A, B e C). Ainda, outra informação importante, é que os resultados dos exames normalmente são divulgados em até 60 dias corridos desde a aplicação da prova.

Exemplo de questão do CFA Level I:

CFA

CFA Level II

De maneira oposta ao teste do primeiro nível, o CFA Level II aborda questões mais analíticas e complexas. É dado um destaque maior para temas como análise de investimentos, relatórios financeiros e valorização de ativos.

Nesse nível, ao invés de questões de múltipla escolha isoladas, o instituto costuma cobrar casos de investimento e finanças, juntamente com questões (fechadas) referentes ao caso.

Ainda, o CFA Institute destaca que as questões de análise de relatórios financeiros são baseadas no IRFS, o conjunto de normas internacionais que ditam a forma das demonstrações de informações contábeis.

Assim como em todos os outros níveis, não há penalidade por erro em questões da prova. Por isso, o Instituto recomenda que os candidatos não deixem questões em branco.

CFA Level III

No CFA Level III, último nível da certificação, todo conteúdo das outras provas estão sujeitos a serem cobrados. Então, diferença está na presença de questões discursivas, demandando do candidato também uma boa redação e argumentação em inglês.

O Instituto destaca que cada questão discursiva é dividida em duas ou mais partes. Normalmente elas são baseadas em um mesmo caso. O candidato, no Level III, pode ser avaliado em questões sobre, por exemplo, retorno de investimento e análise de riscos.

10 livros que todo investidor deveria ler

Vale a pena fazer o exame de CFA?

O título de Chartered Financial Analyst não é, necessariamente exigida por empresas no Brasil. Contudo, para aqueles profissionais que pretendem se destacar no mercado financeiro ou que possuem a intenção de trabalharem no exterior, possuir a certificação pode ser um diferencial relevante.

Nesse sentido, obter o CFA pode valer mais do que, por exemplo, possuir um MBA na área de finanças. Por isso, para alguns profissionais, pode ser que fazer o exame valha muito a pena.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

1 comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Daniel 11 de julho de 2019

    Tiago, excelente artigo, gostei bastante.
    Tem como você fazer algumas recomendações de livros para estudo desta certificação?

    Agradeço sua atenção!
    Forte abraços
    Parabéns pela sua contribuição na sociedade, sempre nos ensinando sobre mundo dos investimentos.

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

181 artigos
Ações

FIIs

48 artigos
FIIs

eBook Gratuito

Manual do Investidor

Tudo o que você precisa para dar os primeiros passos na Bolsa de Valores

%d blogueiros gostam disto: