certificado de recebíveis do agronegócio
Por: Tiago Reis

Certificado de Recebíveis do Agronegócio: Descubra o que é este título

Você conhece o Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA)?

Certificado de Recebíveis do Agronegócio é um dos investimentos de renda fixa que mais cresce no mercado de capitais brasileiro.

O Certificado de Recebíveis do Agronegócio é um título de renda fixa emitido por uma companhia securitizadora. Esses títulos possuem lastros em recebíveis de produtores rurais ou de outros agentes relacionados ao agronegócio. Uma companhia securitizadora adquire o crédito do empresário, antecipando assim o seu recebível e, posteriormente, securitiza operação e a coloca no mercado. Esses títulos são então adquiridos por investidores, que recebem os pagamentos conforme o fluxo de recebíveis for ocorrendo.

O CRA pode estar relacionado também às seguintes etapas do agronegócio:

  • Produção
  • Comercialização
  • Industrialização

Diferença entre CRA e LCA – Certificado de Recebíveis do Agronegócio

diferença entre certificado de recebíveis do agronegócio e LCA

O CRA pode, muitas vezes, ser confundido com a aplicação na LCA. Porém, existe mais de uma diferença entre CRA e LCA.

A LCA é a letra do crédito do agronegócio. Embora esteja também relacionada ao agronegócio, a LCA é emitida por instituição financeira, e não por uma companhia securitizadora.

Além disso, a LCA possui a garantia do FGC, o fundo garantidor de crédito. O FGC garante o pagamento de até R$ 250 mil por CPF e instituição investida, caso a operação se torne inadimplente. Enquanto o mesmo não ocorre no caso do CRA.

Vantagens do CRA

O CRA possui algumas vantagens, entre elas o fato de oferecer uma rentabilidade acima da média das operações de renda fixa.

Por exemplo, a rentabilidade do CRA costuma ser maior do que a da LCA.

A rentabilidade do CRA pode ser definida de diferentes formas, entre elas:

  • Pós fixadas, como por exemplo: rendimento anual de 120% do CDI
  • Pré fixadas, como por exemplo: rendimento anual de 12%
  • Híbridas, como por exemplo: Rendimento anual de CDI + 2% ao ano

Outra vantagem bastante importante é o fato dessas operações oferecerem isenção de imposto de renda para pessoas físicas. Esta foi uma medida tomada para estimular o investimento neste tipo de operação no Brasil e, assim, incentivar o desenvolvimento do agronegócio.

Por fim, outra vantagem é o fato de as operações contarem com o registro da CETIP, o que traz mais segurança ao investimento.

Desvantagens do CRA

Obviamente, não há só vantagens no investimento em CRA. Existem alguns desvantagens que o investidor deve ter em mente ao investir neste tipo de ativo.

A principal delas é a falta de liquidez no mercado secundário. Isto é, se você precisar vender o seu ativo é possível encontrar dificuldade em achar interessados em adquiri-los.

Outra desvantagem é o fato de essas operações possuíram uma aplicação mínima alta. Por isso, este mercado é muito mais acessado por investidores institucionais do que por investidores pessoa física.  Além disso, como colocado anteriormente, essas operações não possuem a garantia do FGC.

Por fim, uma última desvantagem do investimento no CRA é que muitas dessas operações são emitidas por empresas de pequeno porte. Essas empresas podem não possuir a estabilidade e a previsibilidade de fluxo de caixa necessária para ter um bom risco de crédito.

Por isso, o investidor precisa ser muito diligente ao aplicar em um certificado de recebíveis do agronegócio.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

231 artigos
Ações

FIIs

39 artigos
FIIs

Clube Exclusivo Suno

Small Caps

Pequenas em capitlização, gigantes em potencial.

Conheça o Clube Suno Small Caps e receba recomendações das melhores Small Caps para você investir na Bolsa de Valores.