monopólio consumidor
Por: Tiago Reis

Capital de giro: entenda mais sobre esse fator vital para as empresas

Muito se ouve falar sobre a importância do capital de giro nas empresas. O que sabemos de fato é que a sua necessidade está presente desde os pequenos negócios até as grandes multinacionais.

De forma simples, capital de giro significa o capital de trabalho, em outras palavras, é o recurso financeiro necessário para dar continuidade ao pleno funcionamento de uma empresa.

Dado que para a maioria das companhias sempre existe a necessidade de manter estoques, fazer adiantamentos aos fornecedores, pagar salários entre outros custos e despesas, então é vital a necessidade de manter um capital de sobra para a sobrevivência do próprio negócio.

Como o próprio nome indica, o capital de giro está relacionado ao capital que faz parte do dia a dia da empresa e sua necessidade é de curto prazo.

Contabilidade para Investidores

Como calcular o capital de giro

O capital de giro pode ser uma ótima medida para verificar a saúde financeira de uma empresa no curto prazo. O seu calculo se dá pela seguinte formula:

Capital de giro = Ativo circulante – passivo circulante

Sendo que o ativo circulante são os ativos pertencentes à companhia, tais como o caixa, aplicações financeiras, estoques, contas a receber, etc.

Já os passivos circulantes são todas as obrigações da empresa de curto prazo, tais como pagamento de fornecedores, contas a pagar, empréstimos, etc.

O índice de capital de giro (ativo circulante/passivo circulante) indica se uma companhia possui ativos de curto prazo suficientes para cobrir os seus passivos de curto prazo. É essencial, para a maioria das empresas, que essa razão nunca fique abaixo de 1.

O ideal é que essa razão fique acima de 2, principalmente para aqueles negócios mais cíclicos e que exigem uma maior margem de segurança.

Entendendo mais sobre capital de giro

Toda empresa que vende suas mercadorias a prazo vai necessariamente precisar de mais capital de giro.

Para isso, a diretoria financeira de uma empresa precisar estar atenta aos seguintes sinais, pois estes são fortes indícios de uma necessidade maior de capital de giro futura:

  • Aumento dos custos;
  • Crescimento da inadimplência;
  • Aumento das despesas financeiras;
  • Redução de vendas.
Valuation e precificação de ativos

Acontece que quando os ativos circulantes de uma empresa não excederem o seu passivo circulante, o negócio poderá incorrer em problemas para pagar os credores no curto prazo. Neste cenário, o negócio pode ir até a falência.

Um exemplo prático é quando os volumes de vendas de uma empresa estão diminuindo bastante e, como resultado, o seu número de contas a receber fica cada vez menor, ao passo que os passivos da companhia continuam sendo os mesmos.

Nesses casos o empreendedor deve reduzir os seus gastos, rever a sua estratégia de vendas e manter o controle da sua inadimplência.

Manter o capital de trabalho em patamares saudáveis é de extrema importância para a sobrevivência de uma empresa, pois o empreendedor não deve somente focar em seus planos estratégico de longo prazo e esquecer a situação financeira atual de sua companhia.

Adicionalmente é importante ressaltar que o excesso de capital de giro nem sempre é uma coisa boa, pois pode indicar que a empresa têm estoques demais ou que não tem reinvestido o seu excesso de caixa em seu negócio.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

202 artigos
Ações

FIIs

51 artigos
FIIs

eBook Gratuito

Invista Como
Warren Bufeett

Aprenda a usar a estratégia do Value Investing, usada pelo maior investidor do mundo!

Série Guia Suno

3 Livros pelo preço de 1

Aprenda tudo que você precisa saber para começar a investir com a série didática de livros Guia Suno