capacidade instalada

Dentro do âmbito industrial existem alguns conceitos de extrema importância, um deles é o da capacidade instalada.

Isso acontece porque o conceito de capacidade instalada está diretamente ligado ao de produtividade e competitividade dentro das industriais dos mais variados setores.

Desse modo podemos dizer que a capacidade instalada é a medição do nível de atividade de uma fábrica ou setor específico. Esse número será dado sempre em porcentagem.

Em termos práticos, esse conceito nos mostrará a capacidade máxima de produção de uma empresa ao trabalhar na criação de um produto ou fornecer um serviço.

Essa medida se torna bastante válida quando os gestores querem ter uma noção da capacidade total de produção de uma empresa, para que desse modo, decisões estratégicas de investimento ou desinvestimentos sejam realizadas.

Medir esse dado também serve para demonstrar se uma companhia se encontra produzindo em plena capacidade ou se apresenta ociosidade em sua produção. Também costuma ser usado como uma forma de comparação com relação aos concorrentes, pois ter conhecimento dele é um importante indicativo de possibilidade de melhoria de margens e retornos.

Calculando a capacidade instalada

capacidade instalada

Calculando a capacidade instalada

Basicamente a taxa de utilização da capacidade instalada é calculada através de uma fórmula bastante fácil de compreender, e ela mede a proporção da produção econômica potencial em relação aquela efetivamente realizada.

A seguir temos o passo a passo de como calcular esse indicador:

  1. Primeiro obtém-se a saída real de produção de produtos ou serviços de uma empresa;
  2. Depois descobrimos qual é o potencial total de produção, ou saída, de uma empresa;
  3. Então pegamos os números obtidos e fazemos a seguinte operação: (Saída real/ potencial de saída) x 100.

É muito importante entender que essa métrica é um indicador econômico chave para sabermos em que nível de utilização da capacidade produtiva se encontra uma empresa ou toda uma indústria.

Uma empresa com menos de 100% de utilização da capacidade pode, teoricamente, aumentar a sua produção sem a necessidade de investimentos adicionais na compra de novos equipamentos.

Esse conceito geralmente é aplicado mais nos casos de produção de bens físicos, pois são muito mais fáceis de quantificar quando comparamos com o ramo de serviços de modo geral.

Efeitos maléficos da baixa utilização da capacidade instalada

capacidade instalada

Efeitos maléficos da baixa utilização da capacidade instalada

Uma baixa taxa de utilização da capacidade de produção é motivo de preocupação tanto para os empresários quanto para os governantes de uma localidade.

Esse indicador quando baixo, na prática, está nos informando que a empresa poderia empregar uma força de trabalho muito maior em relação à que está apresentando naquele momento.

Dessa forma, baixos níveis de utilização de capacidade e altos níveis de desemprego normalmente andam juntos, de modo que é criado um ciclo vicioso de piora nas condições econômicas se nada for feito para melhorar a situação.

Desse modo, é muito comum em momentos de recessão, que empresas comecem a se desfazer de seus ativos fixos, como máquinas e equipamentos não utilizados, pois esses também geram custos com manutenção preventiva e corretiva.

Portanto, podemos concluir que a observação do nível da capacidade instalada de uma companhia ou um setor é um importante indicativo para uma série de outras informações que poderemos obter tanto no âmbito macro quanto no microeconômico.

Compartilhe a sua opinião

Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.