Acesso Rápido

    Black Thursday de 29: entenda como esse dia entrou para a história

    Black Thursday de 29: entenda como esse dia entrou para a história

    A queda brusca nos índices do mercado financeiro e aumento significativo da inflação foram apenas alguns dos principais fatos que marcaram a grande Crise de 29. Nesse contexto, um dos momentos mais significativos desse período foi a chamada Black Thursday.

    Pela importância histórica e econômica da Black Thursday de 1929, é fundamental compreender o que foi e o que causou os eventos que marcaram esse dia.

    O que foi a Black Thursday?

    A Black Thursday de 1929, conhecida também como a quinta-feira sombria, é o nome dado para o marcante dia 24 de Outubro de 1929.

    Esse dia foi marcado pelo pânico no mercado financeiro, com uma abrupta queda de 11% no índice Dow Jones, um dos principais índices das bolsas de valores americanas.

    E-book: Investindo no Exterior

    Descubra como investir nas melhores empresas e ativos do mundo com o nosso ebook gratuito de Investimentos no Exterior!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Além disso, esse foi apenas o primeiro dos dias que marcaram o crash de Wall Street durante a crise de 1929.

    Outro uso que vem sendo aplicado para a expressão em inglês “Black Thursday” é para se referir ao feriado de ações de graças nos EUA, como um dia que antecede a famosa Black Friday, com diversas promoções e boas condições para alavancar o número de vendas.

    No entanto, dentro da literatura econômica e da história do mercado financeiro, a quinta-feira de 1929 é que será referida quando o termo “Black Thursday” for aplicado, o que torna válido entender mais a fundo sobre os acontecimentos desse dia.

    O que aconteceu na Black Thursday de 1929?

    Antes de entender diretamente o que aconteceu na Black Friday de 1929, é fundamental entender que os investidores já estavam em pânico pelas quedas que já vinham acontecendo e pelo péssimo ambiente econômico que estava sendo criado.

    No dia anterior à Black Thursday, a NYSE (Bolsa de Valores de Nova Iorque) já havia registrado uma queda de 4,6%.

    Ao compreender o ambiente que estava se formando e as primeiras respostas do mercado, as grandes mídias, como o The Washigton Post, já sinalizavam que um colapso no mercado financeiro poderia estar sendo criado.

    Na quinta-feira a Bolsa abriu aos 305.85 pontos, que caiu imediatamente 11% durante o dia de negociações.

    Os dias seguintes foram marcados por mais quedas e um aumento significativo no volume de negociações na bolsa.

    Os maiores bancos da época, como o Morgan Bank, Chase National Bank e o National City Bank of New York, compraram muitas ações para tentar restabelecer a confiança no mercado.

    Assim, houve uma pequena recuperação pontual na bolsa, mas que foi logo destruída pelas novas quedas que surgiram.

    O que causou a quinta-feira negra?

    Toda essa onda de pessimismo simultânea a vários problemas econômicos geraram, assim, o princípio da crise de 1929 e a queda generalizada no índice Dow Jones.

    Entre os principais alarmes econômicos que estavam acontecendo na época e que ajudaram a provocar a crise de 1929, estão:

    • Produção excessiva em diversas indústrias;
    • Excesso de oferta de produtos;
    • Queda brusca de preços;
    • Aumento significativo da volatilidade dos ativos financeiros;
    • Falta de liquidez no sistema financeiro.

    É importante entender que, anteriormente ao estabelecimento de uma crise econômica, o ambiente era de puro otimismo.

    A produção em maior escala por parte das firmas e o caminho positivo que as ações percorriam na época demonstra um pouco disso.

    No entanto, como o aumento de produção e de oferta não foram acompanhados por um aumento de poder de compra da população e, consequentemente, da demanda, muitas companhias tiveram enormes prejuízos e até chegaram a falir.

    Esse artigo te ajudou a entender o que foi a Black Thursday? Deixe dúvidas e comentários no espaço abaixo.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *