Uma empresa que controla e gere outras empresas é chamada de holding. Essa é uma das características da Berkshire Hathaway, empresa pertencente ao empresário e megainvestidor Warren Buffet.

Contudo, muitas pessoas conhecem a Berkshire Hathaway pelos resultados que ela entrega aos seus acionistas, com um excelente crescimento ao longo dos 56 anos de sua história.

A Berkshire Hathaway é uma empresa sediada em Omaha, no estado do Nebraska, EUA, e gerida pelo mega investidor Warren Buffett. A companhia tem em seu portfólio um conjunto de empresas – as subsidiárias – as quais supervisiona e gerencia.

Uma breve história da Berkshire Hathaway

Sua fundação foi no ano de 1923. O evento que marcou o nascimento da companhia foi a fusão de duas empresas do ramo têxtil.

A princípio, tratava-se da união da companhia de algodão Berkshire com a corporação Valley Falls.

Aliás, antes separadas, as companhias se localizavam em Massaschussetts e Rhoe Island, respectivamente.

Contudo foi em 1955 que, após uma segunda fusão envolvendo a companhia manufaturada Hathaway, que originou a holding que conhecemos hoje.

Enfim, foi apenas em 1962, após um período de declínio dos negócios e demissões em massa, que o empresário Warren Buffett decidiu comprar ações da companhia e se tornar influente o suficiente para mudar o quadro de gestores da empresa e exercer o controle da holding.

A partir daí a empresa não parou mais de crescer.

Contudo, após serem ranqueadas como “de classe A”, as ações da companhia chegaram a valer mais de US$ 100 mil na bolsa de Nova Iorque em 2009, uma das mais caras da história.

Berkshire Hathaway subsidiárias

Berkshire Hathaway portfolio

Ao todo mais de 60 empresas compõem o portfólio da Berkshire Hathaway.

Dentre os setores presentes nos negócios da holding, estão:

  • Seguradoras: Cerca de 50 empresas integram essa área de atuação. Os produtos oferecidos por elas vão de seguros de vida, contra acidentes, resseguros a planos de saúde. Boa parte do sucesso dessa área se deu após a aquisição, em 1998, da General Re. Com isso um dos maiores faturamentos do segmento foi alcançado em 2004, quando atingiu US$ 48 bilhões
  • Energia elétrica: No campo de energia está a companhia geradora de energia MidAmerican, onde há o controle de 87% pela B.H. Dentro dessa ainda há outra subsidiária, a CE Eletric UK
  • Vestuário, serviços e varejo: Nessa linha estão empresas como Fechheimer Brothers, Russell Corporation e Garan, responsáveis pela fabricação de um grande volume de roupas dentro e fora dos EUA
  • Construção civil: Após ingressar no segmento através da compra da Acme Building Brands em 2000, a holding pegou gosto pelo setor e acabou incorporando a MiTek Inc, Johns Manville e Clayton Homes, além da totalidade da Shaw Industries para o seu portfólio
  • Aviação: Uma das maiores do setor, a Flight Safety International Inc. foi comprada em 1996. A subsidiária atua no ramo de tecnologia de ponta voltada a operadores de avião. No ano seguinte foi adquirida a NetJet Inc., que atua no mesmo setor

Além disso, o quadro de funcionários impressiona.

É alavancado pelo aumento proporcionalmente expressivo à cada nova aquisição de empresas pela companhia.

Barkshire Hathaway Brasil

O braço imobiliário da holding, a BHHS, compõe o conglomerado do megainvestidor Warren Buffett

A partir daí se iniciou seu processo de expansão para o Brasil em julho de 2017.

A princípio, a expansão internacional, que se move também em direção à Europa, acontece 4 anos após a fundação da subsidiária.

A ideia do megainvestidor é atuar no mercado de propriedades residenciais de médio-alto e alto padrões.

A companhia já nasceu grande, e conta com 1.300 escritórios em 47 estados dos EUA.

Hoje com mais de 43 mil agentes, ele planejou tornar-se sólido no mercado americano antes de iniciar sua expansão para mercados externos.

Futuro da Berkshire Hathaway

Berkshire Hathaway Warren Buffet

Em uma assembleia geral dos acionistas, realizada em Omaha, os analistas financeiros questionaram o futuro da empresa sem Buffett.

Segundo Diana Shanar, acionista de 51 anos presente em Omaha, “Será uma mudança muito grande se ele vier a falecer, pois ele é a empresa”.

Porém o oráculo de Omaha afirmou no evento: “O conselho de administração da firma está unanimemente de acordo sobre o nome da pessoa que poderia me suceder hoje”.

O fato é que o mistério a respeito do sucessor de Buffett, que já tem 87 anos e não pensa em se aposentar, alimenta as especulações sobre o futuro da Berkshire Hathaway, um dos mais famosos conglomerados financeiros do mundo.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.