bem inferior

O bem inferior é um tipo de bem muito específico na economia.

O bem inferior é também raro. Por isso, o oposto direto dele é chamado de bem normal.

O bem inferior é um tipo de bem que tem a sua demanda reduzida conforme a renda do consumidor aumenta. Intuitivamente, quanto maior a renda de um indivíduo mais ele irá consumir de todos os bens, certo?

Na realidade, nem sempre isto é verdade. Existem certos tipos de bens que, por possuírem características de produtos ou serviços de menor qualidade, tem a sua demanda reduzida conforme a renda aumenta. Qual seria, então, um exemplo de bem inferior?

Um exemplo muito prático para obter a compreensão de o que é um bem inferior são as passagens de ônibus. Suponha que um indivíduo receba um salário mínimo, e se desloque para o seu trabalho diariamente através do uso do transporte público.

Caso este indivíduo receba um grande aumento e passe a ganhar, suponha R$ 10 mil por mês, ele iria consumir mais passagens de ônibus? O cenário mais provável é que não.

O indivíduo provavelmente utilizaria esta renda adicional para comprar um veículo próprio, reduzindo assim a sua demanda pelo transporte público. Ou seja, quanto maior a renda, menor a demanda pelo transporte público, logo se conclui que passagens de ônibus são um bem inferior.

Outro exemplo muito utilizado na literatura econômica para exemplificar os bens inferiores é o da carne de segunda qualidade. Quando há um aumento na renda as pessoas movem a sua demanda de carnes de menores qualidade para carnes melhor qualidade. Logo, há uma diferenciação no mesmo tipo de bem.

Bens normais e bens inferiores

Enquanto que a demanda pela carne de segunda qualidade cai com o aumento da renda e demanda pela carne de primeira qualidade sobe com o aumento da mesma. Por isso a carne de primeira qualidade é classificada como bem normal.

Bens normais são aqueles que, como o próprio nome indica, apresentam comportamento regular frente a uma alteração na renda.

Ou seja, a demanda pelos bens normais aumenta conforme a renda aumenta. Este é caso da carne de primeira qualidade, utilizada no exemplo acima.

Também é o caso da demanda por automóveis particulares, também citada acima.

Existe ainda um caso específico do bem normal, os chamados bens de luxo. Neste tipo de bem a demanda aumenta proporcionalmente mais do que o aumento da renda.

Por exemplo: Caso o indivíduo tenha um aumento de 50% em sua renda é esperado que a demanda pelos bens de luxo aumente em mais de 50%. Estes são bens considerados raros e exclusivos. Tipicamente o indivíduo não consome nada destes bens, porém um aumento relativo na renda pode fazer com que a sua demanda passe de 0 para um número maior, logo, o aumento proporcional da demanda é maior do que o aumento na renda.

Um exemplo de bem de luxo tipicamente utilizados são barcos e jatos. Um indivíduo pode ser muito rico mas não o suficiente para comprar um barco ou um jato para si. No entanto, um aumento em sua renda de, por exemplo, 10%, pode ser o suficiente para que ele passe a consumir estes bens de luxo.

Logo, o bem de luxo se difere ainda mais do bem inferior, sendo um caso específico do bem normal.

Aplicações da teoria do bem inferior

Foi visto que quando a renda aumenta, a demanda pelos bens inferiores cai. Portanto, o que deve ocorrer com esta demanda caso a renda caia?

Como a relação entre renda e demanda pelo bem inferior é inversamente proporcional, quando a renda cai a demanda pelos bens inferiores sobe. Assim, um investidor mais astuto pode utilizar esta teoria ao seu favor com base na expectativa de renda da população.

Sabe-se que em períodos de recessão a renda disponível na economia cai, portanto, a demanda pelos bens inferiores aumenta, e as empresas que os produzem tende a faturar mais. Como exemplo de bem inferior se tem:

  • Passagem de ônibus
  • Carne de segunda qualidade
  • Bebidas de segunda qualidade, entre outros

Por outro lado, em períodos de ascensão econômica,  a demanda pelo bem inferior se reduz, e as empresas que os produzem tendem a faturar menos. Nestas situações são as companhias que produzem os bens normais e de luxo que tendem a apresentar o maior crescimento.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.