Sérgio Herz

  • Nome Completo: Sérgio Herz
  • Nacionalidade: Brasileiro
  • Formação: Administrador de empresas
  • Ocupação: Executivo
  • Redes Sociais:

Quem é Sérgio Herz

Sérgio Herz é o atual CEO da Livraria Cultura – rede de lojas espalhadas em mais de oito estados brasileiros. Sérgio é filho de Pedro e Eva Herz, a criadora do grupo.

Sérgio Herz entrou na Cultura como estagiário, ainda na adolescência, contra a vontade do pai. De acordo com o fundador, o atual CEO e o irmão seriam a última geração de Herz a administrar o negócio.

O posto de presidente da Livraria Cultura foi ocupado por Sérgio em 2009. De sua entrada, ainda aos 16 anos, na única loja, localizada na avenida Paulista, até hoje, passaram-se quase três décadas.

Nesse tempo, a Cultura acumula dezenas de livrarias físicas, mais de 2 mil funcionários e faturamento próximo a R$ 500 milhões.

Trajetória de Sérgio Herz

Sérgio Herz

A história da livraria Cultura começou em 1947, quando Eva lançou uma loja na avenida Paulista, uma das regiões mais valorizadas da cidade de São Paulo.

Eva, inclusive, empresta seu nome ao teatro que fica no Conjunto Nacional, onde se encontra a loja.

Ao lado de Pedro Herz, teve dois filhos, Sérgio e Fábio. A ideia do pai era, como declarou Sérgio a revista Época, ajustar a coluna dorsal da Cultura para que o produto pudesse ser entregue a uma equipe profissional posteriormente.

Por isso, foi contra quando Sérgio, ainda na adolescência, pediu para estagiar na Cultura. Tentou dissuadir o filho dessa ideia.

Não teve jeito: aos 16 anos, Sérgio ingressou no comércio da família. E, para completar, dois anos mais tarde, Fábio também começou a trabalhar ali.

Sérgio Herz é formado em administração de empresas pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP).

Tem também MBA pela University of Toronto, no Canadá e pelo Instituto de Estudos Superiores da Empresa (Universidade de Navarra, na Espanha).

De 2009 para cá, muita coisa mudou na gestão do grupo: Pedro deixou o posto de CEO, que foi assumido por Sérgio.

A gestora de investimentos NEO comprou 25% da empresa no mesmo ano.

A partir disso, uma diretoria com executivos do mercado foi montada por Sérgio.

Como a passagem de bastão não foi fácil, a família encontrou uma maneira de confiar em pessoas de fora nos negócios: psicoterapia em grupo.

Como descreveu à Época, os dois filhos mais o pai fizeram parte de um método chamado de constelação sistêmica, que tem como finalidade identificar a origem de dificuldades em uma família ou uma organização.

Embora não tenha resolvido todos os problemas, Pedro contou que o método o fez ser mais empático ao outro.

Pedro deixou a gestão de marketing e comercial em 2012.

Em 2016, a NEO revendeu a participação que tinha para a própria Cultura.

Há anos circula no mercado a possibilidade de fusão entre a Cultura e a Saraiva. Esses boatos cessaram em 2017, quando a Cultura anunciou a compra da operação brasileira da Fnac (de origem francesa).

Com as 12 lojas da Fnac, a Cultura passou a controlar 30 pontos de venda físicos, além das lojas virtuais.

Tida no mercado como uma empresa ‘boa pagadora’, a Cultura vem passando por dificuldades desde 2016 e renegociado as dívidas.

A prática, que já era comum em outros grupos, causou estranheza por até então não ter sido uma necessidade da Cultura.

Além de CEO da Cultura, Sérgio Herz faz também parte do conselho da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico da FECOMERCIO.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!
Deixe sua opinião sobre Sérgio Herz