Edemir Pinto

  • Nome Completo: Edemir Pìnto
  • Nacionalidade: Brasileiro
  • Formação: Economista
  • Redes Sociais:

Quem é Edemir Pinto

Edemir Pinto é o ex-diretor presidente da B3, antiga BM&FBovespa. Ele chegou ao mercado financeiro em 1986, na Bolsa Mercantil e de Futuros (BM&F).

Em abril de 2017, ao sair da B3, Edemir Pinto também se despediu do mercado financeiro, como noticiou a IstoÉ.

Desde então, está à frente da EP – Empreendimento & Participações, empresa com foco no setor imobiliário e que também terá atuação na compra de participação em empresas.

Edemir é considerado o responsável por transformar a bolsa em uma das mais sólidas entidades financeiras do Brasil.

Biografia de Edemir Pinto

Edemir Pinto é formado em economia pela Faculdade Dom Pedro, localizada em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo.

De São José do Rio Preto, mudou-se para a capital do estado, onde trabalhou por mais ou menos oito anos na editora Abril.

Em 1986 foi contratado pela Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). Um ano depois, já havia sido escalado para o cargo de diretor de Clearing. Depois, tornou-se superintendente-geral.

Quando foi convidado para fazer parte da BM&F, a missão era criar o primeiro mercado de futuros do Brasil. À época, só havia por aqui o futuro agrícola, como destacou a IstoÉ.

Foi sob sua coordenação que a Bolsa Mercantil e de Futuros se integrou a Bovespa, em 2008, dando origem a BM&F Bovespa.

O processo bem conduzido rendeu a Edemir Pinto o cargo de diretor-presidente da instituição financeira.

Quase uma década depois, Edemir Pinto foi responsável por outro movimento ousado. Dessa vez, o plano era unir a BM&FBovespa a Cetip – maior depositária de títulos privados de renda fixa da América Latina.

Edemir Pinto e a B3

Edemir Pinto

O acordo, de R$ 12 bilhões para a Cetip, fez surgir a Brasil, Bolsa, Balcão (B3).

Com valor de mercado estimado em R$ 45 bilhões, a B3 nasceu como a quinta maior bolsa do mundo.

Está atrás apenas das bolsas de Nova York e Chicago, nos Estados Unidos, Londres (Inglaterra), Hong Kong e Frankfurt (Alemanha).

A operação entre as empresas foi concluída em fevereiro de 2017.

Segundo levantamento da revista Azul Magazine, da companhia aérea, mais ou menos 2.200 pessoas trabalham na B3. E mais de três centenas de empresas têm ações negociadas por ela.

Em entrevista, Edemir revelou que antes da fusão com a Cetip, estava de olho na Nasdaq. Embora tenha feito uma proposta, ela não foi aceita pelo grupo norte-americano.

Com a negativa para finalização de negócio, o alvo passou a ser a CBOE (Bolsa de Opções de Chicago). Outra tentativa frustrada.

Atualmente, a B3 é acionista em quatro bolsas da América Latina, em mercados do Peru, Chile, Bolívia e México. A entrada na Argentina já está sendo articulada.

A carreira no setor financeiro teve fim após mais de 30 anos de uma trajetória bem sucedida. Edemir Pinto se despediu da presidência da B3 em abril de 2017.

Para seu lugar, foi escalado Gilson Finkelsztain.

Depois que saiu da B3, o executivo anunciou a inauguração da EP – Empreendimentos & Participações.

A nova incursão de Edemir Pinto tem foco no setor imobiliário e atua também na compra de participação em empresas.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!
Deixe sua opinião sobre Edemir Pinto