David Neeleman

  • Nome Completo: David Gary Neeleman
  • Data de Nascimento: 16 de outubro de 1959
  • Local de Nascimento: São Paulo, Brasil
  • Filhos: 10
  • Idade: 58
  • Nacionalidade: Brasileiro e norte-americano
  • Formação: Contabilidade
  • Ocupação: Empresário
  • Fortuna: US$ 1,22 bilhão
  • Estado Civil: Casado
  • Redes Sociais:

Quem é David Neeleman

O brasileiro-americano David Gary Neeleman é um empresário e fundador das companhias aéreas JetBlue Airways e Morris Air (Estados Unidos), WestJet (Canadá) e Azul Linhas Aéreas (Brasil).

David Neeleman tornou-se bilionário em 2017, após a Azul fazer IPO na bolsa – Gary vendeu apenas 3,53% de suas ações e segue como o maior acionista individual da empresa (pouco mais de 50%).

Além dos negócios próprios, tem também participação nas companhias TAP Air Portugal, empresa portuguesa, e na Aigle Azur, da França.

Nascido em São Paulo, David Neeleman cresceu nos Estados Unidos. O patrimônio dele, de acordo com a revista Forbes em 2017, é de US$ 1,22 bilhão.

Trajetória de David Neeleman

David Neeleman

David Gary Neeleman nasceu em 16 de outubro de 1959, em São Paulo, e estudou contabilidade na Universidade de Utah.

Aos cinco anos de idade, mudou-se para os Estados Unidos com a família – o pai de David era correspondente da agência de notícias United Press International.

Longe do Brasil desde criança, retornou ao país para trabalhar como missionário mórmon. Durante os dois anos em que passou na região Nordeste, reaprendeu a falar português.

Isso aconteceu entre o final da década de 1970 e início dos anos 1980. Como relatou, ficou chocado ao perceber que aqui, ao contrário dos Estados Unidos, a economia brasileira era estruturada apenas para quem tinha dinheiro.

De volta aos Estados Unidos, antes de começar o império no setor aéreo, com a criação de companhias de aviação de baixo custo, voltadas aos voos regionais, vendeu pacotes turísticos com destino para o Havaí.

Do turismo para a aviação

A primeira incursão própria foi com a Morris Air, sediada em Utah, em 1984. Dez anos mais tarde, a companhia foi adquirida pela Southwest Airlines.

A segunda experiência no setor veio com a WestJet, em 1996. A empresa canadense era uma opção barata para as tradicionais companhias de alto custo que cruzavam os aeroportos do país.

O reconhecimento no setor veio com a JetBlue Airways, em 1998, nos Estados Unidos. A empresa foi um marco no setor do país: aviões novos e televisão em cada cadeira faziam parte do pacote.

Como descreveu a revista Visão, de Portugal, em reportagem de 2015, na primeira semana operando, a JetBlue havia vendido um milhão de bilhetes.

Em 2008, ele retornou ao Brasil para lançar sua nova empreitada: abrir em território nacional uma empresa competitiva em preços de passagens.

Ainda sem nome definido, foi aberto um concurso em que a população geral podia mandar sugestões.

Ao final, foi batido o martelo e Azul foi escolhido – a pessoa que sugeriu esse nome primeiro ganhou passagens vitalícias com direito a um acompanhante.

Segundo levantamento de 2018, a Azul Linhas Aéreas detém 17,9% do mercado de voos domésticos no Brasil – transportou em 2017 cerca de 20,7 milhões de clientes. É terceira maior companhia do setor, atrás de GOL (36,2%) e Latam (32,6%).

Também em 2017, a empresa fez seu IPO na NYSE, mas David Neeleman segue como o maior acionista individual – tem pouco mais de 50% das ações.

Em 2015, quando a TAP Air Portugal foi aberta para a semi-privatização, David e o empresário Humberto Pedrosa, em consórcio, levaram a melhor. Eles têm 45% das ações da companhia.

Como divulgou o jornal Valor Econômico, em junho de 2018, David Neeleman pretende investir mais no setor da aviação. Rumores dão conta de que ele pretende abrir em 2020 mais uma companhia nos Estados Unidos. Especula-se que o nome será Moxy Airways.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!
Deixe sua opinião sobre David Neeleman