Claudio Galeazzi Claudio Galeazzi

Claudio Galeazzi

Perfil de Claudio Galeazzi
Nome Completo Claudio Eugênio Stiller Galeazzi
Filhos 5
Conhecido Como Mãos de Tesoura
Estado Civil Casado
Redes Sociais Linkedin

Biografia de Claudio Galeazzi

Quem é Claudio Galeazzi

Claudio Galeazzi é conhecido por reestruturar empresas em crise. O executivo foi o responsável por conduzir empresas como Grupo Pão de Açúcar, BRF e Lojas Americanas durante momentos de tormenta.

Claudio Galeazzi, que é membro do conselho do BTG Pactual, é um dos fundadores da Galeazzi & Associados, que ajuda evolução das organizações por meio da entrega de resultados alinhando estratégia, pessoas e ações, de acordo com a descrição presente em seu site.

Claudio é autor do livro Sem cortes: Lições de liderança e gestão de um dos maiores especialistas do Brasil em salvar empresas (editora Portfolio Penguin), escrito em parceria com Joaquim Castanheira.

Trajetória de Claudio Galeazzi

Claudio Eugênio Stiller Galeazzi é conhecido por ajudar empresas em momentos de crise. O tino despertou quando ele se viu na mesma situação, no início da carreira.

Na época, o empresário havia fundado a Armaq e precisou pedir concordata. Em entrevista ao Infomoney, revelou que demorou para a aceitar a realidade da companhia.

Ainda de acordo com a matéria, quando aceitou a situação que se encontrava, pensou em suicídio mais de uma vez. Passado o período, Claudio Galeazzi tornou-se CEO e peça fundamental no sucesso de diversas empresas.

No bate-papo com a Época Negócio sobre reestruturação de empresas em crise, Galeazzi disse: “Numa crise, a empresa vive uma pressão muito grande. As empresas que se saem bem durante a crise o fazem porque já vinham implementando uma gestão consciente, uma preocupação permanente com custos, despesas e investimentos.

Toda empresa precisa repensar suas práticas constantemente, se transformar e se adaptar às novas situações. O problema é que, somente na crise, a grande maioria das empresas toma consciência daquilo que deveria ter sido feito antes. Aí, pode ser um pouco tarde. Acredito muito nisso e advogo essa causa: toda empresa, mesmo aquela que está indo bem, deve fazer uma autoavaliação constante, olhar para os custos. Esse negócio é que nem unha e cabelo, tem de aparar constantemente, senão fica um lixo.

É impressionante o quanto os executivos e empresários não conhecem realmente a própria empresa. Normalmente, olha-se muito para o negócio, para a coreografia do negócio – vendas, marketing, produção. E se esquece do lado árido”.

Atuação de Galleazi nas empresas por onde passou

Galeazzi foi diretor superintendente executivo das subsidiárias Brasileira e Argentina da empresa Drew Chemical Corp.

Ele atuou também como presidente da Cesbra (Cia Estanifera Brasileira) e John Sommers (ambas Joint Ventures entre a British Petroleum e a Brascan). Já na British Petroleum Mineração do Brasil, chegou ao cargo de vice-presidente.

Como CEO, Claudio Galeazzi participou dos times da Artex, Mococa, Vila Romana e Cecrisa.

Foi também presidente das Lojas Americanas, CBD – Grupo Pão de Açúcar e da BRF, empresa que deixou o comando em 2014.

Sobre sua atuação frente as empresas, que rendeu a ele o título de Mãos de Tesoura, como relata a revista Época Negócios. É enfático ao falar sobre empresários: “Eles se empolgam com um período de vendas intensas, saem contratando e não pensam que aquele momento não vai perdurar para sempre”.

Mesmo sem formação acadêmica, Galeazzi foi presidente do conselho nacional do Serviço Social da Indústria (SESI) e diretor da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). 

Além disso, fez parte do conselho do Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e foi vice-presidente da Associação Nacional de Factoring (ANFAC).

Um fundadores da Galeazzi Associados, Claudio Galeazzi é membro do conselho de administração do BTG Pactual.

Como relatado, Claudio Galeazzi foi um dos executivos que fez parte da história das Lojas Americanas. A Suno fez um artigo explicando o faturamento dessa gigante do mercado no setor de varejo. Leia o artigo para entender um pouco mais sobre o faturamento das Lojas Americanas.

Ler mais

Compartilhe sua opinião