Our Story

Let’s Change How We

Manage Business

Far far away, behind the word mountains, far from the countries Vokalia and Consonantia, there live the blind texts. Separated they live in Bookmarksgrove right at the coast of the Semantics.

A frase no começo desse minicurso solidifica tudo o que iremos falar ao longo deste minicurso.

As palavras de Warren Buffett, o maior investidor do mundo, fazem uma segregação clara entre valor e preço.

O preço de um ativo é fácil de visualizar. Basta abrir a tela de qualquer Home Broker ou procurar no Google. Em poucos segundos é possível saber o preço de qualquer ativo sendo negociado no mercado.

Por outro lado, o grande desafio é saber o valor de um ativo.

Primeiramente, o domínio das técnicas de precificação de um ativo.

Segundo, além do conhecimento de todas as ferramentas de precificação disponíveis, o investidor ainda precisará incorrer em premissas, pois as planilhas de precificação não trabalham sem inputs.

PREMISSAS, PREMISSAS E PREMISSAS

Existe um ditado que o desempenho de um imóvel é ditado por três fatores: “localização, localização e localização”.

Nós podemos dizer que o Valuation de um ativo é baseado em três fatores também: “premissas, premissas e premissas”.

Iremos discutir nas próximas aulas modelos de precificação de ativos. Mas por enquanto saibam que independente do modelo: você vai ter que tomar decisões. Suas opiniões quanto ao futuro vão ter que ser expressas no seu modelo.

Deste modo, será necessário optar sobre quais premissas você vai assumir em seu Valuation.

Por exemplo, quanto a empresa vai crescer no próximo ano? Ela irá aumentar suas margens? Seu negócio vai se tornar menos arriscado? A empresa irá entrar em novos negócios? Ela irá ter sucesso nesta diversificação?

E como estas premissas são baseadas em opiniões pessoais, o Valuation varia de investidor para investidor.

Todas essas e mais outras perguntas você deve se fazer e responder quando for calcular o valor da empresa.

Não é fácil chegar nas premissas corretas, e muitas vezes não existe resposta clara.

Por exemplo: “A OGX tem mesmo essas reservas que o Eike diz que tem?” “A Apple vai morrer sem o Steve Jobs?”

Estas perguntas parecem ter respostas claras em retrospecto. Mas na época não era fácil saber a resposta.

Algumas dúvidas que são extremamente difíceis de responder atualmente, mas que a sua resposta é essencial para termos as premissas certas em nossos modelos “Qual vai ser a orientação da diretoria da Petrobras que será eleita após 2018?” “Será que a Tesla vai ser capaz de gerar caixa?”

Eu acredito que no momento existe pouca visibilidade para termos respostas claras para ambas as perguntas.

E mesmo assim, se você tem interesse em investir em ações da Petrobras você precisa fazer contas, e isso implica responder à pergunta acima e refletir isso em seu modelo. Não é fácil chegar nas premissas certas.

Muitas vezes é necessário estimar, fazer mais de um cenário e ponderar as probabilidades.

Valuation não é uma ciência exata.

Seria uma ciência exata se soubéssemos o futuro exatamente como vai ser. Bastaria trazer a valor presente estes fluxos futuros. Mas não sabemos o dia de amanhã. E mesmo sem saber o dia de amanhã você precisa tomar decisões hoje.

Nenhum investidor possui as mesmas premissas que outro.

Costumo usar o exemplo da Apple, a maior empresa do mundo em valor de mercado, e que os dois maiores investidores do mundo chegaram em conclusões diferentes sobre o caso de investimento.

No primeiro semestre de 2016 Carl Icahn estava vendendo ações, enquanto Warren Buffett estava comprando ações. Se nem os dois maiores investidores do planeta conseguem chegar a um consenso a respeito de uma empresa que possui muita informação disponível, você pode imaginar um pouco do desafio que é chegar nas premissas corretas para o seu modelo de precificação.

As próximas aulas desta série serão baseadas em dois pilares do bom Valuation:

  1. Modelos de precificação
  2. Premissas

Dominando essas duas matérias você poderá estar preparado para fazer as suas contas de valor justo para um ativo.

Mas não se engane. Erros vão ocorrer.

Warren Buffett precificou mal as ações da IBM e fez um mal negócio em 2011, quando acreditou que a empresa poderia reverter as quedas de receita.

Ele também admite que não investir em Google no passado foi um erro. Ainda mais possuindo empresas que são grandes anunciantes do mecanismo de buscas.

Se o Buffett erra, você também vai errar. Não se engane. Isso não significa que estudar é inútil. Ganha este desafio quem erra menos.

E Buffett cometeu poucos erros durante sua carreira como investidor. Por isso, chegou aonde chegou.

Com certeza, o conhecimento de Valuation vai te ajudar a minimizar os seus erros. Para isso, você precisa fazer as perguntas corretas e chegar às respostas certas para ter um modelo de Valuation assertivo.

Com essas premissas em mãos, podemos enfim colocar elas em modelos e chegar em preços estimados por ação.

E com este valor estimado por ação em mãos, comparamos com o preço na tela do ativo.

Se o preço for inferior ao valor estimado é capaz que o ativo seja uma ótima oportunidade de investimento.

Obviamente, não basta o papel ter potencial de valorização. O resto do mercado precisa perceber esta discrepância. Isso pode levar tempo.

Quanto tempo? Ninguém sabe. Às vezes, pode levar anos. Nas próximas aulas iremos explorar os modelos de precificação e como chegar em premissas factíveis para o seu modelo.

Your turn to make a move

Like Nothing You've Seen. Sign Up Today & Experience Salient

Button Text