Negócios

XP abre vaga na área de cartões e pode entrar no mercado de bancos digitais

0

A XP Investimentos, após receber a autorização do Banco Central (BC) para começar a operar como um banco, pode estar de olho no mercado de bancos digitais.

A companhia abriu uma vaga para que o novo colaborador seja “responsável por criar um produto promissor para o brasileiro, que ajude no progresso da vida financeira dos nossos clientes” em sua área de Squad Cartões. A XP ainda diz que o Tech Lead terá que “criar o produto com um atendimento excepcional, com serviços inovadores”.

Em outubro do ano passado, a autoridade monetária central do Brasil autorizou a companhia em constituir o Banco XP, um banco múltiplo com carteiras comerciais e de investimento.

O processo permite o funcionamento do banco tão logo sejam atendidas pela instituição outras exigências definidas na regulamentação, segundo o BC. Além disso, o banco também tem autorização para realizar operações no mercado de câmbio.

De acordo com uma fonte ouvida pelo SUNO Notícias à época da oferta pública inicial das ações (IPO) da XP na Nasdaq, em dezembro de 2019, “a XP terá um enorme reforço em seu caixa em 2020 e, com isso, deve acelerar ainda mais os investimentos, principalmente em outras fontes de negócio”.

“Seria um negócio mais como banco mesmo, com crédito, cartão de credito, etc”, disse. Além do crédito, também existiria a frente de fornecimento de seguros e todos os serviços de um banco digital.

Segundo esta fonte, a estratégia deveria consistir em aproveitar a ramificação e alcance dos agentes autônomos da companhia para oferecer produtos de crédito aos seus consumidores.

Bancos digitais em expansão

O mercado de bancos digitais, possível alvo da XP nos últimos meses, têm apresentado um forte crescimento na base de clientes no Brasil.

O Nubank, fintech brasileira, anunciou neste mês que atingiu a marca de 20 milhões de clientes. O número apresentado pela startup considera tanto os usuários da conta digital, 17 milhões de pessoas, quanto os do cartão de crédito, com 12 milhões. A soma dos dados ultrapassa 20 milhões pois alguns clientes utilizam ambos serviços.

“Atingir a marca de 20 milhões de usuários, contingente maior que a população de muitos países, mostra que estamos sendo bem-sucedidos na intenção de reinventar um mercado tradicional”, afirmou a cofundadora do banco digital, Cristina Junqueira.

Confira: Nubank inicia operações de sua gestora de investimentos após filiação à Anbima

Além disso, o Banco Inter (BIDI11) também está em franco crescimento. No início de 2020, a empresa divulgou suas prévias operacionais do quarto trimestre do ano passado, quando registraram a abertura de 807 mil novas contas, um recorde do banco. Em comparação ao mesmo período de 2018, o número é 95% superior e foram mais de 13 mil contas abertas por dia útil no último mês de 2019.

O Banco Inter bateu a marca de 4,1 milhões de correntistas no fim de 2019, apresentando uma elevação de 180% em relação a 2018. O banco já possui um valor de mercado de R$ 11,9 bilhões.

Contatada pelo SUNO Notícias acerca da nova vaga e as perspectivas da companhia para o segmento de bancos digitais, a XP informou que não irá comentar.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Jader Lazarini
Jader Lazarini escreve sobre mercado financeiro, política e economia para o portal de notícias da Suno Research. Anteriormente, trabalhou na Unidas. Estuda Relações Internacionais na Universidade Anhembi Morumbi.