Negócios

Volkswagen pode se tornar nova Nokia sem reformas, diz CEO

0

O presidente-executivo da Volkswagen, Herbert Diess, afirmou, nesta quinta-feira (16), que a empresa precisa acelerar seu processo de transformação para não se tornar uma nova Nokia.

A declaração ocorreu pois, ao longo dos últimos anos, a companhia finlandesa perdeu espaço no setor de celulares para suas concorrentes. Segundo Diess, a Volkswagen precisa reformular seu portfólio para não ser ultrapassada por suas rivais, como aconteceu com a Nokia.

“A era das montadoras tradicionais acabou”, declarou o presidente da montadora alemã.

A companhia estuda elevar seu valor de mercado de 91 bilhões de euros para 200 bilhões de euros. Além da reformulação do portfólio, a expansão de novas tecnologias e cortes de custos também serão utilizados para o avanço.

O executivo ressaltou que a medida é uma forma de acompanhar outras montadoras. Segundo Diess, outras companhias do setor estão acelerando os gastos com pesquisa para competir com empresas de tecnologia que estão desenvolvendo veículos autônomos e com menor emissão de carbono.

“A grande questão é: Seremos rápido o bastante? Se continuarmos na atual velocidade que estamos, será muito difícil”, disse Diess.

Produção de veículos autônomos

Para começar a produzir veículos autônomos, Diess informou que a Volkswagen cortará recursos de áreas voltadas a célula de combustível, pois este tecnologia não é mais considerada competitiva. Ademais, a empresa reduzirá gastos em sua unidade de serviços de mobilidade, a MOIA.

O CEO salientou ainda que a empresa deve focar menos em lucro e mais no volume de vendas. “Seria muito mais impressionante se nós tivéssemos uma margem de lucro maior que zero. Sendo totalmente honesto, seria preferível vender 5 mil carros e ter uma margem de mais de 20%,”, afirmou Diess.

Volkswagen investirá em caminhões elétricos

A Volkswagen anunciou, em dezembro, que vai investir R$ 110,8 milhões na preparação da linha de montagem da fábrica de Resende, no Rio de Janeiro. A produção em série do caminhão elétrico e-Delivery terá início no segundo semestre do ano que vem.

Saiba mais: Volkswagen projeta investimento de R$ 110 mi em caminhões elétricos

A montadora já possui um acordo de compra de 1,6 mil unidades do veículo por parte da fabricante de bebidas Ambev e de seus distribuidores.

A Volkswagen disponibilizou dois modelos para testes da Ambev que desde o ano passado estão sendo utilizados em serviços de entrega de bebidas em São Paulo. Até o fim deste mês colocará mais 17 unidades para testes de validação no campo de provas da marca e nas ruas.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Oliveira
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.